Tag

#verão

Moviecomarte

PROGRAMAÇÃO DE JANEIRO NO MOVIECOM ARTE

Postado porTemperos de Cinema 3 de janeiro de 2020 0 Comentários

A programação 2.020 do Moviecom Arte começa quente como o verão, com sessões aos sábados e domingos, sempre às 11 horas. Lembrando que no mês de Janeiro, não teremos sessões às terças-feiras. Venha aproveitar os melhores filmes da temporada no Moviecom Arte. O ar condicionado é por nossa conta!

DIAS 04 e 05
A VIDA INVISÍVEL
de Karim Aïnouz

Conhecido pelo cultuado e premiado filme “Madame Satã”, de 2002, o diretor e roteirista brasileiro Karim Aïnouz retoma a cena carioca da década de 1920 em “A Vida Invisível”, que fala de amor familiar, questões de gênero, opressão e resistência através do afeto.
Cotado para representar o Brasil no Oscar 2.020, “A Vida Invisível” é uma adaptação do livro A vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Martha Batalha (Companhia das Letras).
Estrelado pelas atrizes Carol Duarte, Julia Stockler e Fernanda Montenegro, conta a trajetória e o amor de duas irmãs, Eurídice (vivida por Duarte, na juventude, e por Montenegro, na velhice) e Guida Gusmão (Stockler), filhas de uma família imigrante portuguesa patriarcal e conservadora que se separam depois que Guida foge para viver um amor (frustrado), retorna grávida para casa e é expulsa pelo pai.
A partir desse trauma, ambas passarão a vida se buscando, sempre tão longe e tão perto. Enquanto Guida se reconstrói como mãe solo e pobre, operária, que encontra apoio e afeto na amiga Filomena (vivida por Bárbara Santos), Eurídice tenta conciliar o sonho de ser uma grande pianista com a vida de uma mulher casada dos anos 1950.
Em “A Vida Invisível”, o lugar social e tradicional da família é posto em xeque a todo momento. Se, por um lado, está o amor incondicional entre duas irmãs, por outro está a rejeição paterna, as relações de poder e força física e a imposição de vontades. Isso fica claro, por exemplo, nas cenas de sexo da obra, que são sempre incômodas, por vezes cômicas, mas que também denunciam abusos.
Estruturalmente denso e cromaticamente arrojado, este filme já rendeu ao diretor o importante prêmio Um Certo Olhar, no Festival de Cannes 2019. E você poderá vê-lo nos dias 04 e 05 de Janeiro, às 11 horas, no Moviecom Arte.

DIAS 11 e 12
UM DIA DE CHUVA EM NOVA YORK
de Woody Allen

Apesar das controvérsias que envolvem seu nome, Woody Allen é inegavelmente um dos grandes cineastas contemporâneos e, enquanto nada é provado juridicamente, ele segue fazendo seu trabalho de forma impecável, superando os obstáculos profissionais consequentes das denúncias em sua vida pessoal.
“Um Dia de Chuva em Nova York” deveria estrear em 2.018 mas o rompimento de contrato e uma disputa judicial com a Amazon Filmes, retardaram a exibição. Aqui no Brasil ele chegou apenas em 21 de novembro de 2019.
A trama gira em torno dos personagens de Timothée Chalamet (Gatsby) e de Elle Fanning (Ashleigh), um casal de namorados sem muita sintonia, ele parece não saber muito bem o que quer da vida, enquanto ela é uma dedicada estudante de jornalismo para quem surge a oportunidade de entrevistar em Nova York um importante diretor de cinema, Roland Pollard (Liev Schreiber).
O jovem casal planeja então um final de semana perfeito e romântico na Big Apple. Mas os planos não saem como combinado e cada um vai para um lado, abrindo possibilidades para que surjam diversos floreios narrativos típicos da obra de Allen, como a possibilidade do adultério e a sátira dos costumes cosmopolitas.
Em uma sucessão deliciosa de encontros e desencontros, Ashleigh e Gatsby vão descobrir novos sentidos para as suas vidas e reavaliar suas escolhas atuais para ter o futuro que buscam e merecem.
Bem ao estilo de Allen, há também em “Um Dia de Chuva Em Nova York” um quê de provocação ao atual clima na indústria cinematográfica pós #MeToo
Venha conferir o mais recente trabalho deste icônico diretor norte americano nos dia 11 e 12 de Janeiro, às 11 horas, no Moviecom Arte.

DIAS 18 e 19
Papicha
de Mounia Meddour

Chamado de “Bacurau argelino” pelo crítico João de Oliveira, o drama “Papicha” é o longa de estreia da cineasta Mounia Meddour e mostra a luta da arte contra o obscurantismo fundamentalista.
Ambientado nos anos 90, marcados como a década negra pelos conflitos acirrados entre o governo da Argélia e grupos islâmicos, o filme conta a trajetória de Nedjma (Lyna Khoudri), uma estudante de moda que luta para reafirmar suas posições em um país transformado pela Guerra Cívil e atentados terroristas.
O obstinado exercício de sua arte é a maneira que Nedjma encontra de reafirmar seus valores e de empoderar suas amigas. A resistência de seu discurso bate de frente com o sofrimento que a cerca.
“Papicha” nos apresenta um lado pouco conhecido dos mulçumanos, mostrando pessoas comuns, opostas ao estereótipo ocidental que nos é passado. A diretora coloca em cena pessoas que sonham e que sofrem com a falta de liberdade e a tirania ignorantes extremistas.
“Papicha” é um drama intenso, cheio de reviravoltas de tirar o fôlego e uma simbologia desconcertante. Não perca este filme que será exibido no Moviecom Arte dos dias 21 e 22 de Janeiro, às 11 horas.

DIAS 25 e 26
O ÚLTIMO AMOR DE CASANOVA
de Benoît Jacquot

A vida aventureira e os incontáveis amores do lendário Giacomo Girolamo Casanova já inspiraram dezenas de filmes mas o diretor francês Benoît Jacquot, desenvolveu o roteiro de “O Ùltimo Amor de Casanova”, em parceria com Jérôme Beaujour e Chantal Thomas, focando no única mulher que ele amou e que foi também a única a resistir a seus flertes.
Ao se concentrar nesta história pouco conhecida, o cineasta mergulha em um mundo de desejos frustrados, de amor versus paixão, de conquista e possessão, além de uma interessante inversão de gêneros nas relações entre homem e mulher, num contexto particular da Europa do Século XVIII.
Neste filme, Casanova é apresentado já sexagenário, escrevendo e narrando uma de suas aventuras mais marcantes, vivida 30 anos antes, quando se refugiou em Londres depois de ter sido exilado.
Bernoit Jacquot nos mostra um outro Casanova nesta versão interpretada por Vincent Lindon. Trata-se de um homem triste, muito mais procurado pelas mulheres do que as procura, completamente apaixonado por uma jovem prostituta, Marianne de Charpillon, que o provoca e repele de forma sádica.
Invertendo a história, a interpretação de Bernoit Jacquot: traz o empoderamento feminino na personagem Marianne de Charpillon (Stacy Martin) que utiliza seu poder de sedução para aprisionar homens incapazes de controlar seus desejos.
“O Ùltimo Amor de Casanova” fecha a programação de Janeiro do Moviecom Arte, com exibição nos dias 25 e 26, às 11 horas. Um filme imperdível.

Moviecomarte

A Vida em Si, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 4 de janeiro de 2019 0 Comentários

As relações humanas são uma eterna fonte de inspiração para a literatura, teatro e cinema, pois é dentro das nossas relações que expressamos e exercemos as nossas singularidades.


Dan Fogelman tem se aprofundado nesse tema. Criador da série This is Us, que aborda as dificuldades embutidas nas relações humanas, é ele o diretor de “A Vida em Si”, um drama que parece uma versão para o cinema da série televisiva,
No centro da trama, temos o relacionamento de Will (Oscar Isaac) e Abby (Olivia Wilde), que estão prestes a construir uma família. Mas a história dos dois se desdobra em outras 3, contadas em épocas, lugares, personagens e situações completamente diferentes, todas conectadas através de um evento marcante.


Apesar da duração do filme, “A Vida em Si” se aprofunda em questões que vão além de amor, passando por educação, profissão e cotidiano. O roteiro também assinado por Dan Fogelman consegue desenrolar as particularidades de cada protagonista dentro de situações claramente viáveis no mundo real, que muitos de nós já vivenciamos.
O elenco super vipado traz ainda Antonio Banderas e narração de Samuel L. Jackson.

Assista “A Vida Em Si” no Moviecom Arte do Moviecom Cinemas – Maxi Shopping Jundiaí, nos dias 05 e 06 às 11 horas e no dia 08 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: A Vida Em Si
Título Original: Life Itself
Direção: Dan Fogelman
Roteiro: Dan Fogelman
Fotografia: Brett Pawlak
Trilha Sonora: Federico Jusid
Elenco: Adrian Marrero, Àlex Monner, Annette Bening, Antonio Banderas, Caitlin Carmichael, Charlie Thurston, Gabby Bryan, Isabel Durant, Jake Robinson, Jean Smart, Jordana Rose, Kya Kruse, Laia Costa, Lorenza Izzo, Mandy Patinkin, Olivia Cooke, Olivia Wilde, Oscar Isaac, Samuel L. Jackson, Sergio Peris-Mencheta
Distribuidora: Paris Filmes

Moviecomarte

Verão de 1993 no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 24 de janeiro de 2018 0 Comentários

Representando a Espanha no Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, “O Verão de 1993”, foi um dos grandes destaques do Festival de Cinema do Rio e é o filme da semana no Moviecon Arte.
Escrito e dirigido pela estreante Carla Simón, vem sendo aclamado como uma pequena obra prima do cinema contemporâneo, por seu roteiro brilhante e o incrível trabalho de direção do elenco, sobretudo do núcleo mirim.

Cine_espanol-Isabel_Coixet-Directores_de_cine-Peliculas_del_ano-Cine_272483463_58715263_1706x960
Partindo de uma uma história autobiográfica e misturando a ela memórias afetivas, episódios reais, verdades construídas e muita imaginação, Carla Simón conta a história da pequena Frida (Laia Artigas), uma criança de 6 anos e em crise depois de perder o pais em decorrência da AIDS, uma doença que ela ainda não é capaz de compreender.

Filme_Verao-1993_01 estiu1993
A garota é obrigada a mudar-se de Barcelona para uma cidade no interior da Catalunha, onde vivem seus tios. Apesar do afeto e compreensão da família, Frida manifesta um comportamento agressivo, especialmente com a prima mais nova.
“O Verão de 1993” mostra que só o tempo pode explicar algumas coisas e curar outras.

VErão-1993
Este filme fecha a programação de janeiro do Moviecom Arte e será exibido nos dias 27 e 28, sábado e domingo, sempre as 11 horas no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.


Ficha Técnica:
Título: VERÃO 1993
Título Original: ESTIU 1993
País de Origem: ESPANHA
Ano de Produção: 2017
Direção: CARLA SIMÓN
Roteiro: CARLA SIMÓN
Elenco: LAIA ARTIGAS, PAULA ROBLES, BRUNA CUSÍ, DAVID VERDAGUER, PAULA BLANCO, ETNA CAMPILLO, JORDI FIGUERAS, BERTA PIPÓ, FERMÍ REIXACH, ISABEL ROCATTI, MONTSE SANZ
Distribuição: Supo Mungam Films

0563520

Sem categoria

A Programação de Janeiro do Moviecom ARTE

Postado porTemperos de Cinema 25 de dezembro de 2016 0 Comentários

Em 2017 o Moviecom ARTE completa 10 anos e as comemorações começam já em janeiro com uma programação super especial, só com os mais recentes lançamentos do chamado circuito de arte e já com alguns possíveis concorrentes ao Oscar 2017.

Nesta temporada de Férias e de Verão, o Moviecom ARTE se transforma na praia dos cinéfilos, com direito a ar condicionado e sem precisar de protetor solar.

snowden_joseph_gordon_levitt_h_2015
O primeiro filme do ano será o comentado e polêmico “Snowden – Herói ou Traidor”, de Oliver Stone. Lançado no Brasil em novembro, este filme biográfico e de suspense conta a história real de Edward Snowden, ex-funcionário terceirizado da Agência de Segurança dos Estados Unidos, que se tornou um dos homens mais caçados pelo governo norte-americano após denunciar o esquema ultrassecreto de cibervigilância em massa praticada pela C.I.A. em todo o mundo.

snowden
Com roteiro baseado em fatos que marcam a vida de Snowden entre 2003 e 2013, o mais recente filme do badalado diretor Oliver Stone, mostra a trajetória que transformou o franzino aspirante a soldado em uma celebridade mundial, que teve até indicação ao Prêmio Nobel da Paz.

mv5bmtg2mzyznzgzof5bml5banbnxkftztgwotg4nzq4ote-_v1_uy1200_cr6906301200_al_“Snowden…”, estrelado por Joseph Gordon-Levitt, será exibido nos dias 07 e 08, às 11 horas, no Moviecom ARTE.

tumblr_ogbmv0b8dr1slsalco3_1280

O segundo filme do mês é um dos maiores sucessos recentes do cinema francês. O filme de suspense “Elle”, tem sido aclamado como a consagração mundial do diretor holandês Paul Verhoeven e teve sua estréia no Brasil em novembro.
Escolhido para representar a França na disputa pelo Oscar de melhor filme estrangeiro de 2016, “Elle” deve render também a Isabelle Huppert um indicação à estatueta de melhor atriz.

047036
O filme traz uma abordagem impactante sobre a vida de uma poderosa executiva após sofrer um estupro durante um assalto à sua casa. Baseado em um romance francês (de Philippe Djian), “Elle” não é uma abordagem psicanalística ou feminista sobre a condição feminina. Verhoeven o define como “uma observação da normalidade”.
O diretor usa a lógica dos jogos virtuais (a personagem principal tem uma empresa de games), como um meio de canalização do sentimento de violência dessa mulher tão provocativa. Elle é um filme de relações extremadas, daquelas que desafiam e instigam, como há tempos não se via no cinema com tanta intensidade.

a6cc10b270d60e07120c524bef4e58db_xl
“Elle” será exibido nos dias 14 e 15 de janeiro, às 11 horas, no Moviecom ARTE.

523419

Lançado no Brasil em 15 de dezembro último, “Sieranevada” é um belo produto do badalado cinema contemporâneo da Romenia. Dirigido por Cristi Puiu, este filme entrou na disputa para concorrer ao Oscar 2017 de Melhor Filme Estrangeiro.

sieranevada-1-1600x900-c-default
“Sieranevada” é uma discussão sobre problemas da Romênia e sua posição diante do mundo contemporâneo após a revolução de 1989, que colocou fim ao regime comunista.
A discussão se dá a partir dos microcosmos criados pelos muitos membros de uma mesma família, em um espetáculo em tempo real que nos leva a uma imersão de 3 horas neste belíssimo filme que se passa praticamente todo dentro de um apartamento.

020288598d1bb28bbf127183343c8fbe_xl
“Sieranevada” será exibido dias 21 e 22 de janeiro, às 11 horas, no Moviecom ARTE.

manchester-by-the-sea

A família e a política também são o tema de “Belos Sonhos”, filme do consagrado diretor Marco Bellocchio, desta vez com tempero da psicanálise.
Inspirado no romance autobiográfico de Massimo Gramellini, “Belos Sonhos” começa na Turin dos anos 60 contando a história de um garoto apaixonado pelo time de futebol Torino e por sua mãe.

belos-sonhos-fai_bei_sogni-marco-bellocchio-3
Ele cresce e se torna jornalista esportivo e perde a mãe de forma misteriosa. Após uma viagem a Sarajevo, ele entra em crise existencial e sofre ataques de pânico. A razão disso é uma cena que ele presencia como repórter na guerra e que tem tudo a ver com seu drama familiar.
Bellocchio trabalha faz idas e vindas no tempo para evidenciar o elo entre a criança e o adulto através das muitas e paradoxais sutilezas da mente e as turbulências da alma humana.
“Belos Sonhos” foi exibido pela primeira vez no Brasil na 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, por ocasião de uma homenagem a Marco Bellochio, integrando um ciclo filmes de destaque na carreira do diretor italiano.

358407
“Belos Sonhos” será exibido nos dias 28 e 29 de janeiro, às 11 horas, no Moviecom ARTE.

Serviço:

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

O Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP