Tag

#salacult

CinemaMoviecomarte

O Insubstituível

Postado porTemperos de Cinema 3 de março de 2018 0 Comentários

O que é insubstituível em nossas vidas afinal? O amor, o carinho, a atenção… o melhor tratamento para todos os males está nas relações que cultivamos, principalmente quando chegamos à velhice. A comédia dramática “O Insubstituível”, escrita e dirigida pelo cineasta francês Thomas Lilti é o terceiro filme da programação do Sala Cult e fala de forma muito delicada sobre este tema.


Estrelado pelo francês François Cluzet, em uma brilhante atuação, o filme conta a história de um médico que enfrenta um câncer e precisa se reinventar em sua rotina profissional, para continuar a cuidar de seus pacientes em uma cidadezinha no interior da França.


Buscando um pouco de descanso em sua meticulosidade que beira ao perfeccionismo, Jean-Pierre precisa de um substituto para tantas funções que exerce e assim chega ao lugar a quase doutora Nathalie (Marianne Denicourt), que precisa enfrentar a rabugentice do médico e conquistar a confiança dos pacientes.


Envolvente e emocionante, “Insubstituível” será exibido dia 04 de março às 16 e às 19 horas, dias 08 e 09 às 19 horas e 10 de março às 16 e 19 horas, no Sala Cult.

Ficha Técnica
Nome: Insubstituível
Nome Original: Médecin de Campagne
Gênero: Drama
Direção: Thomas Lilti
Elenco: François Cluzet, Marianne Denicourt, Christophe Odent
Origem: França
Ano de produção: 2016
Duração: 102 min
Classificação: 12 anos
Distribuição: Cineart

CinemaMoviecomarte

Lumière, A Aventura Começa na Sala Cult

Postado porTemperos de Cinema 20 de fevereiro de 2018 0 Comentários

“Lumière, A Aventura Começa” – filme documentário que é um tributo do diretor Thierry Frémaux a Louis e Auguste Lumière, que em 1895 captaram as primeiras imagens em movimento.
A escolha desse filme para a estreia do Sala Cult não poderia ser mais significativa. “Lumière, A Aventura Começa” é o cinema em seu início. Os primeiros planos, as primeiras concepções visuais, as primeiras fotografias encadeadas e exibidas uma após a outra em uma velocidade que cria essa ilusão de movimento que chamamos de cinema.


Thierry Frémaux, que é também diretor do Instituto Lumière e do Festival de Cannes, reúne 108 filmes restaurados em 4K feitos por aqueles que são os criadores do cinematógrafo e a arte do cinema em si. E eles foram os inventores de quase tudo: Da técnica de como registrar movimentos em filme, da arte cinematográfica e da sala de cinema (a sala escura com ingresso de 1 franco).
Eles foram primeiros cineastas. Em seu primeiro filme os Irmãos Lumière mostram uma multidão de operários saindo da fábrica da família em 1895. Ficava claro desde o início que a função do cinema é mostrar quem somos e contar a nossa história.


Os pequenos filmes dos irmãos Lumière são ainda um importante registro, em imagens inesquecíveis, da França e do mundo que faziam sua entrada na Era Moderna.
Com uma trilha musical refinada assianada por Camille Saint-Saëns, narrado pelo próprio Frémaux e com a participação especial de Martin Scorsese, “Lumière, A Aventura Começa” será exibido nos dias 22, 23, as 19horas  e 24 de fevereiro, às 16 e as 19horas.

A Sala Cult fica no Shopping Paineiras –  Avenida Nove de Julho, 1155 – Chácara Urbana, Jundiaí .

Ficha Técnica
Título: Lumière, A Aventura Começa
Título original: Lumière!
Nacionalidade: França
Gênero: Documentário
Ano de produção: 2017
Duração: 1h30 minutos
Classificação: Livre
Direção: Thierry Frémaux
Roteiro: Thierry Frémaux
Produção: Maelle Arnaud, Thierry Frémaux, Bertrand Tavernier
Editor: Thierry Frémaux, Thomas Valette
Música: Camille Saint-Saëns
Distribuição: Imovision

Cinema

Programação de Estreia do Sala Cult

Postado porTemperos de Cinema 20 de fevereiro de 2018 1 Comentário

É com grande orgulho que apresentamos a programação de estreia do Sala Cult, mais um importante espaço para o cinema independente em Jundiaí.
O projeto voltado para os amantes do cinema, tem a proposta de exibir apenas grandes filmes, ignorados ou pouco valorizados pelo circuito comercial. E são justamente esses os favoritos dos verdadeiros cinéfilos.
Nesta programação inaugural do Sala Cult, selecionamos 4 filmes que representam de formas diferentes a essência da sétima arte, a paixão. Essa paixão que move grandes diretores, atores, roteiristas e tantos outros artistas envolvidos no fazer cinematográfico, com o único objetivo de chegar aos verdadeiros apreciadores de cinema, como você.

Disse Fellini que “o cinema é um modo divino de contar a vida” e não dá para falar de cinema sem lembrar seus primórdios, por isso o filme que abre oficialmente o Sala Cult é “Lumière, A Aventura Começa” – filme que é um tributo do diretor Thierry Frémaux aos irmãos Louis e Auguste Lumière, que em 1895 captaram as primeiras imagens em movimento.
A escolha desse filme para a estreia do Sala Cult não poderia ser mais significativa. “Lumière, A Aventura Começa” é o cinema em seu início. Os primeiros planos, as primeiras concepções visuais, as primeiras fotografias encadeadas e exibidas uma após a outra em uma velocidade que cria essa ilusão de movimento que chamamos de cinema.
Thierry Frémaux, que é também diretor do Instituto Lumière e do Festival de Cannes, reúne 108 filmes feitos por aqueles que são os criadores do cinematógrafo, restaurados em 4K.
Narrado pelo próprio Frémaux e com a participação especial de Martin Scorsese, será exibido nos dias 22, 23,`as 19 horas  e 24 de fevereiro, às 16 e as 19 horas.

Na sequência teremos “Em Busca de Fellini”, filme de estreia do sul-africano Taron Lexton. Trata-se de uma assumida homenagem a Federico Fellini, construída a partir do fascínio que a personagem Lucy (Ksenia Solo) passa a alimentar após assistir a um filme do cineasta italiano.
A garota americana, tímida e com uma mãe super protetora, parte para a Itália com o objetivo de conhecer o icônico diretor. Uma viagem que se transforma em uma jornada de autoconhecimento e amadurecimento, vivendo situações alinhavadas por referências a personagens e cenas dos filmes.
“Em Busca de Fellini” será exibido no dia 25 de fevereiro às 16 e às 19 horas e nos dias 01,02 e 03 de março, às 19 horas.

O cineasta francês Thomas Lilti assina o terceiro filme da programação do Sala Cult. “Insubstituível”, um delicado drama sobre a última idade, o profissionalismo e a importância do carinho em nossas vidas.
Estrelado pelo francês François Cluzet, em uma brilhante atuação, o filme conta a história de um médico que enfrenta uma grave doença e precisa se reinventar no seu lado profissional para continuar a cuidar de seus pacientes em uma cidadezinha no interior da França.
Buscando um pouco de descanso em sua meticulosidade que beira ao perfeccionismo, Jean-Pierre precisa de um substituto para tantas funções que exerce e assim chega ao lugar a ex-enfermeira e agora quase doutora Nathalie (Marianne Denicourt) que precisará enfrentar a rabugentice detalhista do experiente doutor para provar seu valor.
Envolvente e emocionante, “Insubstituível” será exibido dia 04 de março às 16 e às 19 horas, dias 08 e 09 às 19 horas e 10 de março às 16 e 19 horas, no Sala Cult.

A vida da filósofa e psicanalista Lou Andreas-Salomé (1861-1937) foi fascinante, para dizer o mínimo. Seu pioneirismo na psicanálise e no estudo da sexualidade feminina, sua vida amorosa com os filósofos Friedrich Nietzsche e Paul Rée (com quem viveiu um triângulo amoroso) e com o poeta Rainer Maria Rilke, e sua convivência com Sigmund Freud, revelam uma mulher brilhantemente transgressora e muito à frente de seu tempo.
Filme de estreia da diretora Cordula Kablitz-Post, “Lou” começa mostrando uma fogueira com livros sendo queimados, enquanto o áudio reproduz um discurso de Hitler condenando a psicanálise e outras expressões intelectuais às chamas.
Renegada às sombras da eternidade, como é muito comum a várias mulheres na história da humanidade, Lou Andreas-Salomé vem sendo redescoberta como um dos grandes nomes do feminismo.
Ela é personagem central da trama e à sua volta gravitam alguns dos homens mais brilhantes de todos os tempos. Uma das cenas mais simbólicas do filme mostra Lou sobre uma carroça “puxada” por Rée e Nietzsche, reprodução de uma imagem que ficou famosa e correu o mundo na época.
O imperdível “Lou” será exibido no Sala Cult dia 11 de março às 16 e às 19 hora, dias 15 e 16  de março às 19 horas e dia 17 de março às 16 e 19 horas.

Extras

Cinema Independente ganha mais espaço em Jundiaí

Postado porTemperos de Cinema 15 de fevereiro de 2018 6 Comentários

Em um momento que o consumo de áudio visual através do streaming é cada vez maior, vem como contraponto o sucesso em franco crescimento do Cinema Independente em todo o mundo.
Pensando bem, não é um contraponto, pois assim como a tecnologia do streaming possibilita o consumo sob demanda, o cinema independente é o cinema feito “sob encomenda” para os cinéfilos. Aquelas pessoas que não escolhem um filme só pelos efeitos especiais, pelas estrelas, ou pelos grandes orçamentos, mas sim a forma como o roteirista, o diretor e o olhar especial de um fotógrafo se unem para contar uma história.

witness-for-prosecution
E já que o mundo todo descobriu a magia do cinema independente, Jundiaí não ficou para trás e oferece um novo espaço para esse cinema que reúne reflexão, arte e entretenimento: A Sala Cult no Shopping Paineiras !
Uma sala multiuso, especialmente projetada para atividades culturais e artísticas, que será a partir de 22 de fevereiro um espaço ideal para um “cine clube” com sessões semanais de filmes independentes.

Mefisto-Sokurov1
Esse novo espaço de cinema tem a curadoria de Fátima Augusto, que está há 10 anos à frente de projetos como o Moviecomarte e o Temperos de Cinema.
Com um forte relacionamento com as principais distribuidoras de filmes do circuito de arte brasileiro, como a Imovision, a Cineart, a Pandora, a Marés filmes, e outras, Fátima tem como proposta trazer os melhores títulos exibidos nos circuitos de arte de São Paulo e Rio de Janeiro.

Still from film Loving Vincent (Robert Gulaczyk) IMAGE: Altitude Film Distribution
Inicialmente será exibido um filme por semana, e as sessões serão as quintas, sextas e sábados, as 20horas, e aos domingos as 19h00. A estreia será no dia 22 de fevereiro com um filme que é uma verdadeira homenagem ao cinema.
Também farão parte desse projeto, sessões comentadas, eventos e mostras especiais. E tudo isso num espaço muito bem localizado, com toda a estrutura necessária para oferecer conforto aos cinéfilos “de carteirinha” da região.

a-viagem-de-fanny-crítica-
Jundiaí merecia e precisava de mais cinema de arte no seu dia a dia.