Tag

programação de janeiro

Moviecomarte

Filmes de Janeiro no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 4 de janeiro de 2019 0 Comentários

Férias de cinéfilo é no cinema! E o Moviecom Arte esquenta a temporada de Janeiro com uma seleção de filmes que você não pode deixar de ver.

DIAS 05, 06, 08 DE JANEIRO
A VIDA EM SI
De Dan Fogelman

As relações humanas são uma eterna fonte de inspiração para a literatura, teatro e cinema, pois é dentro das nossas relações que expressamos e exercemos as nossas singularidades.
Dan Fogelman tem se aprofundado nesse tema. Criador da série This is Us, que aborda as dificuldades embutidas nas relações humanas, é ele o diretor de “A Vida em Si”, um drama que parece uma versão para o cinema da série televisiva,
No centro da trama, temos o relacionamento de Will (Oscar Isaac) e Abby (Olivia Wilde), que estão prestes a construir uma família. Mas a história dos dois se desdobra em outras 3, contadas em épocas, lugares, personagens e situações completamente diferentes, todas conectadas através de um evento marcante.
Apesar da duração do filme, “A Vida em Si” se aprofunda em questões que vão além de amor, passando por educação, profissão e cotidiano. O roteiro também assinado por Dan Fogelman consegue desenrolar as particularidades de cada protagonista dentro de situações claramente viáveis no mundo real, que muitos de nós já vivenciamos.
O elenco super vipado traz ainda Antonio Banderas e narração de Samuel L. Jackson.

DIAS 12, 13 E 15 DE JANEIRO
O ÓDIO QUE VOCE SEMEIA
De George Tillman, Jr.

Estrelado por Amandla Stenberg, “O Ódio Que Você Semeia” é uma história poderosa e provocativa sobre raça e identidade, contada da perspectiva de Starr Carter, uma personagem que vive constantemente mudando entre dois mundos: o primeiro mais pobre, onde mora, com a maioria da população negra; e o segundo mais rico, onde estuda, com a maioria da população branca.
O equilíbrio entre esses dois mundos é despedaçado quando Starr presencia o assassinato de seu melhor amigo de infância por um policial. O que a personagem de Stenberg faz ou deixa de fazer pode mudar o destino de sua comunidade ou colocar sua vida em perigo.
Baseado no livro de ativismo negro de mesmo nome, de Angela Thomas, o filme dirigido por George Tillman Jr. mostra a trajetória da personagem descobrindo seu lugar no mundo, a partir das tragédias da sua vida, e reconhece o poder da sua voz acima das injustiças e o preconceito que a sociedade normaliza para não ter que lidar.
“O Ódio Que Você Semeia” é considerado por grande parte da crítica como o melhor filme de 2.018.

 

DIAS 19, 20 E 22 DE JANEIRO
UTOYA – 22 de Julho
De Erik Poppe

Exibido na última Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, “Utoya – 22 de Julho”, do norueguês Erik Poppe, concorreu ao Urso de Ouro na competição principal no Festival de Berlim.
Filmada com apenas uma câmera, como se fosse um documentário, a obra recria minuto a minuto o massacre promovido por um atirador contra um grupo de 500 adolescentes na ilha de Utoya, na Noruega, em 22 de Julho de 2011.
A estética de documentário e a câmera dinâmica de Erik Poppe recria de forma intensa e linear o terror vivido pelos adolescentes neste atendado de fundo político promovido por um homem de extrema direita, Anders Behring Breivik.
Um dos pontos altos do filme é o desempenho vigoroso e corajoso da jovem atriz Andrea Berntzen.

DIAS 26, 27 e 29 DE JANEIRO
UM SEGREDO EM PARIS
De Elise Girard

Em seu segundo filme, a diretora francesa Elise Girard traz uma comédia romântica que foge completamente das tradicionais histórias recheadas de cartões postais de Paris.
A cidade está o tempo todo presente, com suas luzes outonais na brilhante fotografia de Renato Berta, mas o foco é quase que único e exclusivo nos protagonistas, sem se importar com o que está ao redor.
A trama gira em torno de Mavie, uma garota que sonha em ser escritora e passa seus dias a caminhar por Paris, parando em cafés para colocar a leitura em dia.
Cansada de fazer nada, passa a procurar emprego, até que encontra um anúncio de uma livraria onde conhece o proprietário, o misantropo Georges. Apesar da grande diferença de idade, a atração que começa a se desenvolver entre os dois se dá antes num campo filosófico, intelectual.
A pressão pelo que pode vir a acontecer é maior do que por aquilo que, de fato, se sucede. Um Segredo em Paris não possui grandes revelações, eventos ou surpresas. Tudo se dá à luz do dia. O mistério, se é que existe, está nos corações e nas mentes, naquilo que é inexplicável e, mesmo assim, acaba por ganhar espaço.
Os dois protagonistas sao a alma de “Um Segredo em Paris”. Lolita Chammah e Jean Sorel, desenvolvem seus personagens com tanta paixão e naturalidade que é impossível não se apaixonar por eles.