Tag

#oscar

Moviecomarte

PROGRAMAÇÃO DE JANEIRO NO MOVIECOM ARTE

Postado porTemperos de Cinema 3 de janeiro de 2020 0 Comentários

A programação 2.020 do Moviecom Arte começa quente como o verão, com sessões aos sábados e domingos, sempre às 11 horas. Lembrando que no mês de Janeiro, não teremos sessões às terças-feiras. Venha aproveitar os melhores filmes da temporada no Moviecom Arte. O ar condicionado é por nossa conta!

DIAS 04 e 05
A VIDA INVISÍVEL
de Karim Aïnouz

Conhecido pelo cultuado e premiado filme “Madame Satã”, de 2002, o diretor e roteirista brasileiro Karim Aïnouz retoma a cena carioca da década de 1920 em “A Vida Invisível”, que fala de amor familiar, questões de gênero, opressão e resistência através do afeto.
Cotado para representar o Brasil no Oscar 2.020, “A Vida Invisível” é uma adaptação do livro A vida Invisível de Eurídice Gusmão, de Martha Batalha (Companhia das Letras).
Estrelado pelas atrizes Carol Duarte, Julia Stockler e Fernanda Montenegro, conta a trajetória e o amor de duas irmãs, Eurídice (vivida por Duarte, na juventude, e por Montenegro, na velhice) e Guida Gusmão (Stockler), filhas de uma família imigrante portuguesa patriarcal e conservadora que se separam depois que Guida foge para viver um amor (frustrado), retorna grávida para casa e é expulsa pelo pai.
A partir desse trauma, ambas passarão a vida se buscando, sempre tão longe e tão perto. Enquanto Guida se reconstrói como mãe solo e pobre, operária, que encontra apoio e afeto na amiga Filomena (vivida por Bárbara Santos), Eurídice tenta conciliar o sonho de ser uma grande pianista com a vida de uma mulher casada dos anos 1950.
Em “A Vida Invisível”, o lugar social e tradicional da família é posto em xeque a todo momento. Se, por um lado, está o amor incondicional entre duas irmãs, por outro está a rejeição paterna, as relações de poder e força física e a imposição de vontades. Isso fica claro, por exemplo, nas cenas de sexo da obra, que são sempre incômodas, por vezes cômicas, mas que também denunciam abusos.
Estruturalmente denso e cromaticamente arrojado, este filme já rendeu ao diretor o importante prêmio Um Certo Olhar, no Festival de Cannes 2019. E você poderá vê-lo nos dias 04 e 05 de Janeiro, às 11 horas, no Moviecom Arte.

DIAS 11 e 12
UM DIA DE CHUVA EM NOVA YORK
de Woody Allen

Apesar das controvérsias que envolvem seu nome, Woody Allen é inegavelmente um dos grandes cineastas contemporâneos e, enquanto nada é provado juridicamente, ele segue fazendo seu trabalho de forma impecável, superando os obstáculos profissionais consequentes das denúncias em sua vida pessoal.
“Um Dia de Chuva em Nova York” deveria estrear em 2.018 mas o rompimento de contrato e uma disputa judicial com a Amazon Filmes, retardaram a exibição. Aqui no Brasil ele chegou apenas em 21 de novembro de 2019.
A trama gira em torno dos personagens de Timothée Chalamet (Gatsby) e de Elle Fanning (Ashleigh), um casal de namorados sem muita sintonia, ele parece não saber muito bem o que quer da vida, enquanto ela é uma dedicada estudante de jornalismo para quem surge a oportunidade de entrevistar em Nova York um importante diretor de cinema, Roland Pollard (Liev Schreiber).
O jovem casal planeja então um final de semana perfeito e romântico na Big Apple. Mas os planos não saem como combinado e cada um vai para um lado, abrindo possibilidades para que surjam diversos floreios narrativos típicos da obra de Allen, como a possibilidade do adultério e a sátira dos costumes cosmopolitas.
Em uma sucessão deliciosa de encontros e desencontros, Ashleigh e Gatsby vão descobrir novos sentidos para as suas vidas e reavaliar suas escolhas atuais para ter o futuro que buscam e merecem.
Bem ao estilo de Allen, há também em “Um Dia de Chuva Em Nova York” um quê de provocação ao atual clima na indústria cinematográfica pós #MeToo
Venha conferir o mais recente trabalho deste icônico diretor norte americano nos dia 11 e 12 de Janeiro, às 11 horas, no Moviecom Arte.

DIAS 18 e 19
Papicha
de Mounia Meddour

Chamado de “Bacurau argelino” pelo crítico João de Oliveira, o drama “Papicha” é o longa de estreia da cineasta Mounia Meddour e mostra a luta da arte contra o obscurantismo fundamentalista.
Ambientado nos anos 90, marcados como a década negra pelos conflitos acirrados entre o governo da Argélia e grupos islâmicos, o filme conta a trajetória de Nedjma (Lyna Khoudri), uma estudante de moda que luta para reafirmar suas posições em um país transformado pela Guerra Cívil e atentados terroristas.
O obstinado exercício de sua arte é a maneira que Nedjma encontra de reafirmar seus valores e de empoderar suas amigas. A resistência de seu discurso bate de frente com o sofrimento que a cerca.
“Papicha” nos apresenta um lado pouco conhecido dos mulçumanos, mostrando pessoas comuns, opostas ao estereótipo ocidental que nos é passado. A diretora coloca em cena pessoas que sonham e que sofrem com a falta de liberdade e a tirania ignorantes extremistas.
“Papicha” é um drama intenso, cheio de reviravoltas de tirar o fôlego e uma simbologia desconcertante. Não perca este filme que será exibido no Moviecom Arte dos dias 21 e 22 de Janeiro, às 11 horas.

DIAS 25 e 26
O ÚLTIMO AMOR DE CASANOVA
de Benoît Jacquot

A vida aventureira e os incontáveis amores do lendário Giacomo Girolamo Casanova já inspiraram dezenas de filmes mas o diretor francês Benoît Jacquot, desenvolveu o roteiro de “O Ùltimo Amor de Casanova”, em parceria com Jérôme Beaujour e Chantal Thomas, focando no única mulher que ele amou e que foi também a única a resistir a seus flertes.
Ao se concentrar nesta história pouco conhecida, o cineasta mergulha em um mundo de desejos frustrados, de amor versus paixão, de conquista e possessão, além de uma interessante inversão de gêneros nas relações entre homem e mulher, num contexto particular da Europa do Século XVIII.
Neste filme, Casanova é apresentado já sexagenário, escrevendo e narrando uma de suas aventuras mais marcantes, vivida 30 anos antes, quando se refugiou em Londres depois de ter sido exilado.
Bernoit Jacquot nos mostra um outro Casanova nesta versão interpretada por Vincent Lindon. Trata-se de um homem triste, muito mais procurado pelas mulheres do que as procura, completamente apaixonado por uma jovem prostituta, Marianne de Charpillon, que o provoca e repele de forma sádica.
Invertendo a história, a interpretação de Bernoit Jacquot: traz o empoderamento feminino na personagem Marianne de Charpillon (Stacy Martin) que utiliza seu poder de sedução para aprisionar homens incapazes de controlar seus desejos.
“O Ùltimo Amor de Casanova” fecha a programação de Janeiro do Moviecom Arte, com exibição nos dias 25 e 26, às 11 horas. Um filme imperdível.

Moviecomarte

Vice, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 4 de abril de 2019 0 Comentários

Com uma carreira sólida no reino das comédias de gosto duvidoso, Adam McKay surpreende em “Vice”, seu mais recente trabalho, que chegou com 8 indicações ao Oscar 2.019.
O filme nos coloca em um momento crucial na vida de Dick Cheney, vice-presidente dos Estados Unidos, durante os ataques terroristas de 11 de setembro. Conforme seguimos a agitação dos funcionários da Casa Branca somos transportados para Wyoming de 1963, onde Cheney é um jovem trabalhador braçal, bêbado, sem perspectivas que acabara de largar a faculdade e é pressionado pela esposa para achar um caminho na vida.

Com muito humor e uma linguagem extremamente acessiva, o diretor segue acompanhando a carreira de Cheney, saltando para 1969 quando trabalhou com Donald Rumsfeld, assessor econômico de Nixon, tornando-se um agente político experiente enquanto conciliava a vida em família, chegando até ao cargo de chefe de gabinete da Casa Branca para o presidente Gerald Ford, enquanto Rumsfeld se torna secretário de Defesa.

Mesmo sem nunca permitir a total empatia pelo protagonista, Adam McKay ainda consegue entregar momentos de humanidade dentro de um personagem tão moralmente lacônico. Com a saída dos republicanos da Casa Branca o político veterano resolve concorrer para o congresso, época em que sofre seu primeiro ataque cardíaco.

A história de Cheney é atraente por si só, mas é a performance de Christian Bale que realmente entrega o engenho ardiloso por trás de suas ações. Se a transformação física já é impressionante, é a atenção aos gestos, cacoetes e até mesmo timbre de voz que esconde a malícia do personagem. Como o próprio Bale “brincou” em seu discurso de agradecimento pela estatueta de melhor ator no Globo de Ouro, Satã foi sua maior inspiração para o papel; deixando assim bem claro o sabor diabólico de sua interpretação.

“Vice”, de Adam McKay, será exibido no Moviecom Arte dias 06 e 07 às 11 horas e no dia 09 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título original: Vice
Nacionalidade: EUA
Gênero: Drama, Biografia
Ano de produção: 2018
Estréia: 31 de janeiro de 2019 (Brasil)
Direção: Adam McKay
Roteiro: Adam McKay
Produção: Brad Pitt, Will Ferrell, Megan Ellison, Dede Gardner, Jason George, Jeremy Kleiner, Jillian Longnecker, Adam McKay, Kevin J. Messick, Jeff G. Waxman
Trilha sonora: Nicholas Britell
Direção de fotografia: Greig Fraser
Edição: Hank Corwin
Design de produção: Patrice Vermette
Direção de arte: David Meyer, Brad Ricker, Dean Wolcott
Decoração de set: Jan Pascale
Figurino: Susan Matheson
Elenco: Amy Adams, Alison Pill, Christian Bale, Steve Carell
Distribuição: Imagem Filmes

Receita da semanaReceitasTemperos

Cheesecake de Chocolate

Postado porTemperos de Cinema 2 de abril de 2019 0 Comentários

Fechando o cardápio composto por receitas inspiradas nos filmes do Oscar 2.019, temos hoje uma sobremesa digna de todos os prêmios: Cheesecake de Chocolate.

Com origem na antiguidade grega, o cheesecake passou por algumas transformações no decorrer dos tempos até se tornar um ícone da cultura norte americana, assim como o Oscar. E é em homenagem a todos os filmes norte americanos que concorreram ao grande prêmio da indústria cinematográfica que escolhemos esta sobremesa para fechar este cardápio.
A chef Sandra Romansini dá o passo a passo e os segredos para preparar esta deliciosa sobremesa.

Cheesecake de chocolate

Massa:
200 gr bolacha maizena de chocolate
100 gr de manteiga
2 colheres de sopa cacau
2 colheres de sopa de açúcar de confeiteiro
1 pitada de sal

Recheio
300 gr cream cheese
300 gr chocolate meio amargo
3 ovos inteiros batidos
2 colheres sopa açúcar

Preparo:

Derreta o chocolate em banho maria por 1-2 minutos em microondas até que fique cremoso e liso.
Bata a bolacha em um processador até que forme uma farinha, o açúcar, coloque os ovos, o chocolate em pó e a manteiga derretida.
Até que forme uma massa.
Reserve
Em uma forma de fundo removível coloque a massa de biscoito e com as pontas dos dedos forre o fundo formando uma camada de 2 cm.
Leve ao forno para assar a 16ºC por 10 minutos.
Retire a forma e deixe esfriar.
Coloque o recheio e leve novamente para assar 16ºC por 30 minutos.

Retire deixe esfriar e leve para a geladeira por 1 hora.
Desenforme.
Decore com frutas vermelhas e sirva .

Geleia de Pimenta

Ingredientes

5 a 10 pimentas dedo de moça (depende do grau de ardência que você deseja)
1 dente de alho picado
2 maçãs pequenas sem casca e sem sementes picadas
1 xícara de açúcar (ou mais se gostar mais doce)
1/4 xícara de água
1/4 xícara de vinagre de maçã
1 pitada de sal

Modo de Preparo

Corte as pimentas ao meio e retire todas as sementes e a parte branca. Eu faço isso com uma colher de chá. Acho que é muito mais prático. Pois já retiro as sementes e a parte branca de uma vez. Depois corte em 3 ou 4 pedaços.
Em um mixer ou liquidificador, coloque as pimentas, a maçã, o alho e a água. Bata por alguns instantes só até que a pimenta esteja picada e a maçã triturada.
Coloque a mistura em uma panela, junte o açúcar, o vinagre e o sal. Misture com uma colher de pau e leve para fogo baixo.
Deixe cozinhar até chegar na consistência de geleia, mexendo as vezes. Deve levar cerca de 10 minutos.
Pra você saber a consistência, é bem fácil. Retire uma colherinha da geleia e coloque em uma superfície lisa e fria. Ela deve ficar cremosa ao entrar em contato com a superfície. Se ela endurecer, passou do ponto. Você pode adicionar mais água. Se ela ficar muito liquida é porque ainda precisa cozinhar mais uns minutos.
Quando estiver pronta, basta coloca-la ainda quente em um pote hermeticamente fechado que durará até 15 dias em geladeira.

Moviecomarte

Guerra Fria, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 28 de março de 2019 0 Comentários

O diretor polonês Pawel Pawlikowski é um dos grandes nomes do cinema contemporâneo e seu mais recente trabalho, “Guerra Fria”, lhe rendeu o prêmio de melhor direção em Cannes e concorreu ao Oscar 2.019 de Melhor Filme Estrangeiro.


“Guerra Fria” conta uma história de amor inspirada na vida dos pais do cineasta. Duas pessoas completamente diferentes uma da outra, em suas origens e personalidade, Zula e Wiktor se apaixonam e ambos terão que ceder em suas personalidades para viver uma história que se desenha de forma atropelada, durante o período da Guerra Fria iniciada na década de 50, em seu país de origem e em boa parte da Europa.


Pawell transforma suas recorrências estilísticas em signos palatáveis através das linhas evolutivas de seus protagonistas. O trabalho conjunto dele com seu casal de atores é de enorme responsabilidade para conseguir esse espaço empático.


Filmado em preto e branco, técnica que o diretor já utilizou em “Ida” (seu filme de estreia), “Guerra Fria” é conduzido pela música que o transforma em uma obra requintada e super lapidada.
Você não pode perder “Guerra Fria” no Moviecom Arte nos dias 30 e 31 de março às 11 horas e no dia 2 de abril às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Guerra Fria
Título original: Zimna Wojna
Nacionalidades: Polônia, Reino Unido, França
Gêneros: Drama, Romance
Ano de produção: 2018
Estréia: 7 de fevereiro de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 28min
Classificação: 14 anos
Direção: Pawel Pawlikowski
Roteiro: Pawel Pawlikowski, Janusz Glowacki, Piotr Borkowski
Elenco: Joanna Kulig, Tomasz Kot, Jeanne Balibar
Direção de fotografia: Lukasz Zal
Edição: Jaroslaw Kaminski
Design de produção: Benoît Barouh, Marcel Slawinski, Katarzyna Sobanska-Strzalkowska
Decoração de set: Marcel Slawinski, Katarzyna Sobanska-Strzalkowska
Figurino: Ola Staszko
Distribuição: California Filmes

Moviecomarte

Poderia Me Perdoar?, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 22 de março de 2019 0 Comentários

Melissa McCarthy não era a primeira escolha dos produtores de “Poderia Me Perdoar?” para viver nas telonas a história de Lee Israel, escritora que gerou controvérsia nos anos 90 ao vender cartas falsificadas de celebridades. O papel recusado por Julianne Moore, caiu como uma luva para Melissa McCarthy que teve a oportunidade de mostrar todo seu potencial em um filme introspectivo e cheio de nuances, que a levou a ser uma das indicadas para o Oscar 2.019 de Melhor Atriz.

Dirigido por Marielle Heller e com roteiro assinado por Nicole Holofcener e Jeff Whity, “Poderia Me Perdoar?” é um drama biográfico denso que conta a história real de uma jornalista e escritora que chega ao fundo do poço e como último recurso decide vender cartas de celebridades falsificadas por ela mesma. Quando as primeiras suspeitas começam, para não parar de lucrar, ela modifica o esquema e passa a roubar os textos originais de arquivos e bibliotecas.


O grande desafio do filme era conseguir que a personagem despertasse, de alguma forma, a empatia do público apesar de sua personalidade difícil. Sociofóbica e alcoólatra, desbocada e grosseira, o tratamento dado à Lee Israel pelo roteiro é o que permitiu a Melissa McCarthy desenvolver uma personagem que transcende essas primeiras camadas, mostrando-a como uma mulher que, no fundo, somente deseja ter seu trabalho reconhecido.
Este filme surpreendente chega ao Moviecom Arte nos dias 23 e 24 de março às 11 horas e 26 de março às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Poderia Me Perdoar?
Título Original: Can You Ever Forgive Me?
Gênero: Drama Comédia Biografia
Duração: 106 min
Estreia no Brasil: 07 de Fevereiro de 2019
Classificação indicativa: 16 anos
País: EUA
Idioma: Inglês
Direção: Marielle Heller
Roteiro: Nicole Holofcener e Jeff Whitty
Elenco; Melissa McCarthy Richard E. Grant Dolly Wells Ben Falcone Gregory Korostishevsky Jane Curtin Stephen Spinella Christian Navarro Pun Bandhu Erik LaRay Harvey
Distribuição: Fox Film do Brasil

 

Receita da semanaReceitasTemperos

Um Frango Frito Digno de Oscar

Postado porTemperos de Cinema 18 de março de 2019 0 Comentários

Os filmes vencedores do Oscar 2.019 inspiram o cardápio do Temperos de Cinema neste mês de março.
Esta semana, o prato que a chef Sandra Romansini nos ensina a preparar, foi extraído de uma icônica cena de Green Book: O Guia, comédia dramática dirigida por Peter Farrelly e ganhador do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Roteiro Original e Melhor Filme.


Quem já assistiu Green Book certamente se lembra da cena onde o motorista Tony Vallelonga convence o músico Don Shirley a experimentar frango frito. Sem dúvida, uma cena marcante.
Tão marcante quanto esta deliciosa receita e frango frito tipicamente americano, que apresentamos aqui e que se tornará um sucesso de público e crítica em sua casa.

Receita Frango USA

Ingredientes:
1 kg de coxinha da asas
3 g de paprica picante
3 g de paprica doce
Pimenta do reino moída a gosto
Pimenta branca a gosto
Sal a gosto
Suco de 2 limões
2 ovos batidos
500 Farinha de trigo
Óleo para fritura

Preparo:
Em uma bacia coloque o frango e tempere com limão, sal, paprica e as pimentas.
Deixe marinando por 3-4 horas.
Um pouco antes de servir,
coloque o óleo para aquecer em fogo baixo.

Para o empane do frango:
Coloque a farinha em uma bacia e passe o frango, passe no ovo batido e repasse na farinha formando um crosta fina porém firme. Frite l frango em óleo já pré aquecido em temperatura média 150-160c até que esteja crocante e cozido por dentro.
Sirva logo em seguida!

Moviecomarte

A Favorita, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 13 de março de 2019 0 Comentários

“A Favorita”, é um filme cheio de méritos, incluindo a excelente campanha que fez desde seu lançamento, tornando-se o queridinho do público e dos críticos de cinema.
Sensual, hilário e repugnante, “A Favorita” colecionou uma longa lista de prêmios e indicações, culminando com o Oscar 2.019 de Melhor Atriz para a incrível Olivia Colman, que desbancou a super favorita do ano, Glenn Close.


Dirigido pelo grego Yorgos Lanthimos, o filme é uma comédia dramática que se destaca pelo cinismo cortante. Ambientado na Inglaterra do século XVIII, Sarah Churchill, a Duquesa de Marlborough exerce sua influência na corte como confidente, conselheira e amante secreta da Rainha Ana. Seu posto privilegiado, no entanto, é ameaçado pela chegada de Abigail, nova criada que logo se torna a queridinha da majestade e agarra com unhas e dentes à oportunidade única.


O triângulo amoroso e de intrigas é formado por estrelas de primeira grandeza. Além de Olivia Colman, temos Rachel Weisz e Emma Stone, todas em performances impecáveis.


Escrito por Tony McNamara e Deborah Davis, o roteiro mescla com muita propriedade o humor ácido e uma insanidade fluente a uma trama sóbria de história e política.


O filme é extremamente ousado em seu visual. A fotografia arrisca com trechos nos quais são utilizadas lentes grande angular, dando aquele aspecto arredondado no qual conseguimos ver além do olho humano, numa conjectura de 180 graus. E os figurinos e direção de arte são de uma extravagância tão impressionante quanto indispensável.


O Moviecom Arte apresenta “A Favorita” nos dias 16 e 17 de março às 11 horas e no dia 19 de março às 14 horas. Coloque em sua agenda e venha ao Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí para ver mais este grande filme.

Ficha Técnica

Título: A Favorita
Título original: The Favourite
Nacionalidades: EUA, Grécia
Gêneros: Histórico, Comédia dramática
Duração: 2h
Classificação: 14 anos
Direção: Yorgos Lanthimos
Roteiro: Deborah Davis, Tony McNamara
Elenco: Olivia Colman, Rachel Weisz, Emma Delves, Faye Daveney, Emma Stone, Paul Swaine, Jennifer White, LillyRose Stevens, Denise Mack, James Smith, Mark Gatiss, Horatio, Willem Dalby, Edward Aczel, Carolyn Saint-Pé, John Locke, Nicholas Hoult, Everal Walsh, Basil Eidenbenz, Declan Wyer
Direção de fotografia: Robbie Ryan
Edição: Yorgos Mavropsaridis
Design de produção: Fiona Crombie
Direção de arte: Caroline Barclay, Sarah Bick, Lynne Huitson, Dominic Roberts
Decoração de set: Alice Felton
Figurino: Sandy Powell
Distribuição: Fox Pictures

Receita da semanaTemperos

Um Jantar Com Os Melhores do Oscar

Postado porTemperos de Cinema 12 de março de 2019 0 Comentários

A temporada 2019 do Temperos de Cinema começa em clima de Oscar. São 4 receitas para um cardápio estrelado, todas elas inspiradas nos países de origem dos principais ganhadores do mais importante prêmio do cinema mundial.
E é claro que a primeira receita teria que ser inspirada no grande ganhador do ano, “Roma”, de Alfonso Cuarón. Com 10 indicações, este filme levou os ambicionados prêmios de Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Diretor e Melhor Fotografia. Todos super merecidos.
A história de “Roma” acontece na Cidade do México no começo dos anos 70. Por isso, para homenagear este grande filme e também a cultura e a culinária mexicana, abrimos o cardápio com a receita de uma entrada bem original: Salada Frijoles. Uma salada de feijão!
Super prática, rápida e deliciosa, esta é a receita que a chef Sandra Romansini nos ensina a preparar neste primeiro vídeo do ano.
Anote os ingredientes e veja o passo a passo.

Salada Frijoles

Ingredientes:
100 g Feijão fradinho cozido
100 g de Feijão preto cozido
100 g de feijão verde cozido
100 g de Favas cozidas
100 g de feijão branco cozido
100 g de tomatinhos sweet
200 g de milho verde cozido
4 avocados fatiados e regados com suco de 2 limões ( para não escurecer)
1 maço de folhas verdes da sua preferência
4 limões Taiti para temperar
Sal
Páprica picante a gosto
Pimenta branca moída
Pimenta do reino a gosto
Pimenta caiena gosto
100 ml Azeite
Coentro picadinho a gosto
Salsinha a gosto

Preparo:
Em um bom grande misture todos os feijões, o milho e os Temperos com cuidado e delicadamente. Tempere com limões, Pimentas, sal e azeite, salsa e salsinha encorpore bem.
Deixe marinar por 30 minutos em geladeira.
Na hora de servir monte a travessa com folhas verdes, disponha a salada de feijões. Disponha os tomates e por último a por cima para decorar o avocado.

OBS: Esta salada pode ser servida individualmente, em taças. Fica linda!!

 

Moviecomarte

Se a Rua Beale Falasse, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 8 de março de 2019 0 Comentários

A rua Beale é uma rua em Nova Orleans mas poderia estar em qualquer cidade dos Estados Unidos ou de qualquer outro país do mundo. Ela é uma rua de famílias negras, onde vidas negras lutam, amam, sofrem e cantam. A rua Beale do novo filme do diretor Barry Jenkins, fica na Nova Iorque dos anos 70.


Baseado no célebre romance de James Baldwin, o filme “Se A Rua Beale Falasse” é o filme da semana no Moviecom Arte.
A trama acompanha Tish, uma jovem de 19 anos vivendo a história de amor com o vizinho da vida toda. No entanto, a vida se revelará uma sucessão de agruras quando o rapaz é injustamente acusado pelo estupro de uma jovem porto-riquenha e vai parar na cadeia. Em meio à luta para libertar o noivo, Tish se descobre grávida. Entre sonhos desfeitos, coragem e muito amor, essa mulher negra precisa descobrir o quão forte é.


A personagem central é brilhantemente interpretada pela novata Kiki Layne mas não tem como não ser arrebatado pelo excepcional desempenho de Regina King, que interpreta a mãe de Tish, ganhadora do Oscar 2.019 de Melhor Atriz Coadjuvante.
“Se A Rua Beale Falasse” transmite ideias e emoções convidando às lágrimas. Sua construção se dá através do mais completo domínio do fazer cinematográfico, com atenção cirúrgica para cada recurso estético ou narrativo, onde simples gestos como o estender dos braços ao outro gera uma explosão de catarse.


“Se A Rua Beale Falasse” será exibido nos dias 09 e 10 de março às 11 horas e no dia 12 de março às 14 horas, no Moviecom Arte. E você não pode deixar de ver este grande filme.

Ficha Técnica

Título: Se A Rua Beale Falasse
Título Original: If Beale Street Could Talk
Nacionalidade: EUA
Gênero: Drama
Ano de produção: 2018
Estréia: 07 de fevereiro de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 59 min
Classificação: 10 anos
Direção: Barry Jenkins
Roteiro: Barry Jenkins
Elenco: Kiki Layne, Stephan James, Regina King
Produção: Barry Jenkins, Brad Pitt, Chelsea Barnard, Mark Ceryak, Megan Ellison, Sarah Esberg, Dede Gardner, Caroline Jaczko, Jeremy Kleiner, Jillian Longnecker, Sara Murphy, Adele Romanski
Trilha sonora: Nicholas Britell
Direção de fotografia: James Laxton
Design de produção: Mark Friedberg
Direção de arte: Robert Pyzocha, Oliver Rivas Madera
Decoração de set: Kris Moran
Figurino: Caroline Eselin
Distribuidora: Sony Pictures do Brasil

Moviecomarte

Programação de Março do Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 1 de março de 2019 0 Comentários

A Programação de Março do Moviecom Arte está em clima de Oscar. São 5 filmes imperdíveis, entre indicados e premiados. Confira a lista e anote as datas em sua agenda.


Dias 02, 03 e 05 de março
Cafarnaum
indicado a melhor filme estrangeiro

A cidade bíblica de Cafarnaum dá nome ao mais novo filme da diretora libanesa Nadine Labaki, que concorreu ao Oscar 2.019 de Melhor Filme Estrangeiro.
“Cafarnaum” se passa em um bairro de Beirute com planos aéreos que evidenciam um triste quadro de miséria. Problemas como a violência tornaram-se tão sintomáticos ao ponto de crianças brincarem felizes com metralhadoras improvisadas. Uma dessas crianças é Zain, o protagonista da trama, que depois é visto sob custódia por esfaquear um homem e, logo em seguida, processando seus pais por ter nascido.
É um ponto de partida espantoso que anuncia uma experiência tão insólita quanto difícil, que o roteiro tenta explicar voltando no tempo e nos apresentando à difícil realidade de Zain, um dos filhos mais velhos em uma casa cheia de crianças mas com pouco a oferecê-las além das condições mais básicas.
Aos doze anos, Zain (Zain Al Rafeea) carrega uma série de responsabilidades: é ele quem cuida de seus irmãos no cortiço em que vive junto com os pais, que estão sempre ausentes, ttrabalhando em uma marcearia. Quando sua irmã de onze é forçada a se casar com um homem mais velho, o menino fica extremamente revoltado e decide deixar a família. Ele passa a viver nas ruas junto aos refugiados e outras crianças que, diferentemente dele, não chegaram lá por conta própria.
Ganhador do Prêmio do Júri em Cannes, “Cafarnaum” era o grande rival de “Roma” no Oscar, ambos tidos como verdadeiras obras de arte do cinema atual.
Você poderá ver este grande filme no Moviecom Arte dos dias 02 e 03 de março às 11 horas e no dia 05 de março às 14 horas. Imperdível.

Não recomendado para menores de 14 anos


Dias 09, 10 e 12 de março
Se A Rua Beale Falasse
Vencedor do Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante

A rua Beale é uma rua em Nova Orleans mas poderia estar em qualquer cidade dos Estados Unidos ou de qualquer outro país do mundo.. Ela é uma rua de famílias negras, onde vidas negras lutam, amam, sofrem e cantam. A rua Beale do novo filme do diretor Barry Jenkins, fica na Nova Iorque dos anos 70.
Baseado no célebre romance de James Baldwin, o filme “Se A Rua Beale Falasse” acompanha Tish, uma jovem de 19 anos vivendo a história de amor com o vizinho da vida toda, Fonny (Stephan James). No entanto, a vida se revelará uma sucessão de agruras quando o rapaz é injustamente acusado pelo estupro de uma jovem porto-riquenha e vai parar na cadeia. Em meio à luta para libertar o noivo, Tish se descobre grávida. Entre sonhos desfeitos, coragem e muito amor, essa mulher negra precisa descobrir o quão forte é.
A personagem central é brilhantemente interpretada pela novata Kiki Layne mas não tem como não ser arrebatado pelo excepecional desempenho de Regina King, que interpreta a mãe de Tish, ganhadora do Oscar 2.019 de Melhor Atriz Coadjuvante.
“Se A Rua Beale Falasse” será exibido nos dias 09 e 10 de março às 11 horas e no dia 12 de março às 14 horas, no Moviecom Arte. E você não pode deixar de ver este grande filme.

Não recomendado para menores de 10 anos

Dias 16, 17 e 19 de março
A Favorita
Vencedor do Oscar de Melhor Atriz

“A Favorita”, drama de época passado na corte britânica do século XVIII, é um filme cheio de méritos, inclundo a excelente campanha que fez desde seu lançamento, tornando-se o queridinho do público e dos críticos de cinema.
Sensual, hilário e repugnante, “A Favorita” colecionou uma longa lista de prêmios e indicações, culminando com o Oscar 2.019 de Melhor Atriz para a incrível Olivia Colman, que desbancou a super favorita do ano, Glenn Close.

Dirigido pelo grego Yorgos Lanthimos, o filme se passa na Inglaterra do século XVIII, Sarah Churchill, a Duquesa de Marlborough (Rachel Weisz) exerce sua influência na corte como confidente, conselheira e amante secreta da Rainha Ana (Olivia Colman). Seu posto privilegiado, no entanto, é ameaçado pela chegada de Abigail (Emma Stone), nova criada que logo se torna a queridinha da majestade e agarra com unhas e dentes à oportunidade única.
Escrito por Tony McNamara e Deborah Davis, o roteiro mescla com muita propriedade o humor ácido e uma insanidade fluente a uma trama sóbria de história e política.
Ofilme é extremamente ousado em seu visual. A fotografia arrisca com trechos nos quais são utilizadas lentes grande angular, dando aquele aspecto arredondado no qual conseguimos ver além do olho humano, numa conjectura de 180 graus. E os figurinos e direção de arte são de uma extravagância tão impressionante quanto indispensável.
O Moviecom Arte apresenta “A Favorita” nos dias 16 e 17 de março às 11 horas e no dia 19 de março às 14 horas. Coloque em sua agenda!

Não recomendado para menores de 14 anos

Dias 23, 24 e 26 de março
Poderia me Perdoar ?
Indicado ao Oscar de Melhor Atriz

Melissa McCarthy não era a primeira escolha dos produtores de “Poderia Me Perdoar?” para viver nas telonas a história de Lee Israel, escritora que gerou controvérsia nos anos 90 ao vender cartas falsificadas de celebridades. O papel recusado por Julianne Moore, caiu como uma luva para Melissa McCarthy que teve a oportunidade de mostrar todo seu potencial em um filme introspectivo e cheio de nuances, que a levou a ser uma das indicadas para o Oscar 2.019 de Melhor Atriz.
Dirigido por Marielle Heller e com roteiro assinado por Nicole Holofcener e Jeff Whity, “Poderia Me Perdoar?” é um drama biográfico denso que conta a história real de uma jornalista e escritora que chega ao fundo do poço e como último recurso decide vender cartas de celebridades falsificadas por ela mesma. Quando as primeiras suspeitas começam, para não parar de lucrar, ela modifica o esquema e passa a roubar os textos originais de arquivos e bibliotecas.
O grande desafio do filme era conseguir que a personagem despertasse, de alguma forma, a empatia do público apesar de sua personalidade difícil. Sociofóbica e alcoólatra, desbocada e grosseira, o tratamento dado à Lee Israel pelo roteiro é o que permitiu a Melissa McCarthy desenvolver uma personagem que transcende essas primeiras camadas, mostrando-a como uma mulher que, no fundo, somente deseja ter seu trabalho reconhecido.
Este filme surpreendente chega ao Moviecom Arte nos dias 23 e 24 de março às 11 horas e 26 de março às 14 horas.


Dias 30, 31 de março e 02 de abril
Guerra Fria
indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro

O diretor polonês Pawel Pawlikowski é um dos grandes nomes do cinema contemporâneo e seu mais recente trabalho, “Guerra Fria”, lheredenu o prêmio de melhor direção em Cannes e concorreu ao Oscar 2.019 de Melhor Filme Estrangeiro.
“Guerra Fria” conta uma história de amor inspirada na vida dos pais do cineasta. Duas pessoas completamente diferentes uma da outra, em suas origens e personalidade, Zula e Wiktor se apaixonam e ambos terão que ceder em suas personalidades para viver uma história que se desenha de forma atropelada, durante o período da Guerra Fria iniciada na década de 50, em seu país de origem e em boa parte da Europa.
Pawell transforma suas recorrências estilísticas em signos palatáveis através das linhas evolutivas de seus protagonistas. O trabalho conjunto dele com seu casal de atores é de enorme responsabilidade para conseguir esse espaço empático.
Filmado em preto e branco, técnica que o diretor já utilizou em “Ida” (seu filme de estreia), “Guerra Fria” é conduzido pela música que o transforma em uma obra requintada e super lapidada.
Você não pode perder “Guerra Fria” no Moviecom Arte nos dias 30 e 31 de março às 11 horas e no dia 2 de abril às 14 horas.

Não recomendado para menores de 14 anos

________________________________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

O Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP