Tag

#drama

Moviecomarte

Ventos da Liberdade, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 22 de fevereiro de 2020 0 Comentários

Um suspense sobre tempos sombrios que constantemente rondam os países democráticos na forma de movimentos autoritários.
A Alemanha vivenciou isso desde a ascenção de Hitler até a queda, em 1989, de seu último ditador Erick Honecker. O país passou décadas assombrado pelo medo e assombrado pelo fim da liberdade.


Em Ventos da Liberdade, o diretor Michael Herbig, mostra a tirania destilando seu ódio sobre o cidadão comum, recriando a atmosfera dos tempos do regime em eficiente reconstituição de um dos períodos mais terríveis da história da humanidade.
Baseada em uma história real, o roteiro assinado por Herbig, Kit Hopkins e Thilo Röscheisen reconstrói o verão de 1979, na cidade de Thüringer, na Alemanha Oriental, para contar a história de duas famílias, os Strelzyk e os Wetzel, desesperados para fugir cruzando a fronteira para a Alemanha Ocidental em um balão de ar quente feito por eles mesmos de modo improvisado.


A poucos metros de distância do lado ocidental, eles sabem que podem ser executados como traidores do regime se falharem. Homens são recrutados a todo momento e obrigados a trabalhar nas fronteiras. A ordem é impedir as fugas a qualquer custo e executar, na hora, homens, mulheres e crianças que tentarem escapar do lado Oriental.
Michael Herbig investe em uma dinâmica de suspense para mostrar os obstáculos que envolvem a empreitada. Em 1982, o fato foi adaptado para o cinema com o título ‘Dramática Travessia’, de Delbert Mann, estrelada por John Hurt e Jane Alexander, mas agora são os próprios alemães que contam sua história.

A música de Marvin Miller e Ralf Wengenmayr, e a montagem de Alexander Dittner contribuem de modo impressionante para a narrativa, além da ótima colaboração do elenco liderado por Friedrich Mücke, Karoline Schuch, David Kross e Alicia Von Rittberg.
“Ventos da Liberdade” é um exemplar do cinema que conserva os elementos do entretenimento com competência dramática para contar uma história que não pode ser esquecida.
Venha ver este grande filme no Moviecom Arte, dias 22 e 23 às 11 horas e dia 25 de fevereiro às 14 horas.

Trailer:

Ficha Técnica
Título: Ventos da Liberdade
Título Original: Balloon
Direção: Ken Loach
Roteiro: Paul Laverty
Produção: Rebecca O’Brien
Fotografia: Barry Ackroyd
Trilha Sonora: George Fenton
Elenco: Cillian Murphy, Gerard Kearney, Liam Cunningham, Padraic Delaney, William Ruane
Data de estreia: 07/11/19
País de Origem: Alemanha
Gênero: Drama
Ano de produção: 2018
Distribuição: A2 Filmes

Moviecomarte

Os Miseráveis, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 13 de fevereiro de 2020 0 Comentários

Do clássico de Victor Hugo, o estreante diretor Ladj Ly pegou o título, a ambientação nos suburbios de Paris, a desigualdade social, a miséria decorrente e o conflito na relação com o Estado, seja pela ação arbitrária da policia ou pela atitude dos revolucionários exigindo justiça.


Mas Os Miseráveis de Ly é um filme contemporâneo, mostrando os problemas sociais que a França enfrenta. O roteiro assinado por Ladj Ly, Alexis Manenti e Giordano Gederlini nos insere em uma caótica espiral, com uma história cheia de viravoltas e obstinada em apresentar temas variados.


Um dos grandes méritos do filme é modo como explora a complexidade étnica da França atual: negros, mestiços, árabes e brancos se combinam num registro que, pela própria seleção do elenco do filme, já denota uma urgência de pontos de vista conflitantes.
No centro da trama está um trio de policiais, um deles em seu primeiro dia de trabalho, transitando pelo suburbio e desencadeando uma série de acontecimentos que se transformam em uma iminente tragédia.
Dividindo com o brasileiro Bacurau o Prêmio do Juri no Festival de Cannes, Os Miseráveis traz a urgência da discução que a luta de classes ainda suscita em pleno século XXI e é um dos filmes que concorreram ao Oscar 2020 de Melhor Filme Internacional.


Você não pode perder! Os Miseráveis de Ladj Ly será exibido no Moviecom Arte nos dias 14 e 15 às 11 horas e no dia 17 de fevereiro às 14 horas.

Trailer:

Ficha Técnica
Título: Os miseráveis
Título Original: Les misérables
Direção: Ladj Ly
Roteiro: Alexis Manenti, Giordano Gederlini, Ladj Ly
Elenco: Abdelkader Hoggui, Al-Hassan Ly, Alexis Manenti, Almamy Kanouté, Damien Bonnard, Diego Lopez, Djibril Zonga, Issa Perica, Jaihson Lopez, Jeanne Balibar, Lucas Omiri, Luciano Lopez, Nizar Ben Fatma, Omar Soumare, Raymond Lopez, Rocco Lopez, Sana Joachaim, Steve Cauret, Steve Tientcheu, Zordon Cauret
Ano de produção: 2029
Gênero: Drama
Origem: França
Distribuidora: Diamond Filmes

Moviecomarte

Judy: Muito Além do Arco-Íris, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 7 de fevereiro de 2020 0 Comentários

O filme que deu a Renée Zellweger o Oscar de Melhor Atriz na premiação de 2020 da Academia.

Focada nos últimos anos de vida de uma das mais icônicas estrelas de Hollywood, Judy: Muito Além do Arco-Íris é uma cinebiografia muito mais emocional do que factual.


Renée Zellweger interpreta Judy Garland e essa foi uma das grandes sacadas do diretor Rupert Goold. Assim como Judy, Renée também sabe o peso da pressão pública sobre a própria imagem de uma estrela.
Não deu outra, Renée foi agraciada recentemente com o Globo de Ouro de Melhor Atriz por seu trabalho em Judy: Muito Além do Arco-Íris e é a grande favorita para o Oscar 2020.


O roteiro assinado por Peter Quilter e Tom Edge nos mostra a turnê de Judy Garland pelo Reino Unido em 1968, quando ela já era uma estrela em decadência.


Considerada um investimento de risco pelos grandes estúdios, Garland tinha esperança de reerguer sua carreira nos palcos de Londres, deixando tudo para trás, inclusive seus filhos.


As canções do filme falam muito mais sobre a diva do que o próprio texto. E elas ganham uma versão cativante na interpretação de Renéé, principalmente em Somewhere Over the Rainbow.


Com baixo orçamento este filme é uma das gandes surpresas da temporada e você poderá conferir nas exibições do Moviecom Arte nos dias 08 e 09 de fevereiro às 11 horas e no dia 11 às 14 horas.

Trailer:

Ficha Técnica
Título Original: Judy
Data de Estréia: 30/01/20
País: Reino Unido
Gênero: Drama
Ano de produção: 2019
Direção: Rupert Goold
Roteiro: Peter Quilter, Tom Edge
Elenco: Adrian Lukis, Andy Nyman, Bella Ramsey, Bentley Kalu, Darci Shaw, Fenella Woolgar, Finn Wittrock, Gaia Weiss, Gemma-Leah Devereux, Jessie Buckley, Jodie McNee, John Dagleish, Lewin Lloyd, Lucy Russell, Michael Gambon, Phil Dunster, Philippe Spall, Renée Zellweger, Richard Cordery, Royce Pierreson, Rufus Sewell
Fotografia: Ole Bratt Birkeland
Trilha Sonora: Gabriel Yared
Distribuidora: Paris Filmes

Moviecomarte

O Último Amor de Casanova, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 23 de janeiro de 2020 0 Comentários

A vida aventureira e os incontáveis amores do lendário Giacomo Girolamo Casanova já inspiraram dezenas de filmes mas o diretor francês Benoît Jacquot, desenvolveu o roteiro de “O Ùltimo Amor de Casanova”, em parceria com Jérôme Beaujour e Chantal Thomas, focando no única mulher que ele amou e que foi também a única a resistir a seus flertes.


Ao se concentrar nesta história pouco conhecida, o cineasta mergulha em um mundo de desejos frustrados, de amor versus paixão, de conquista e possessão, além de uma interessante inversão de gêneros nas relações entre homem e mulher, num contexto particular da Europa do Século XVIII.


Neste filme, Casanova é apresentado já sexagenário, escrevendo e narrando uma de suas aventuras mais marcantes, vivida 30 anos antes, quando se refugiou em Londres depois de ter sido exilado.


Bernoit Jacquot nos mostra um outro Casanova nesta versão interpretada por Vincent Lindon. Trata-se de um homem triste, muito mais procurado pelas mulheres do que as procura, completamente apaixonado por uma jovem prostituta, Marianne de Charpillon, que o provoca e repele de forma sádica.


Invertendo a história, a interpretação de Bernoit Jacquot: traz o empoderamento feminino na personagem Marianne de Charpillon (Stacy Martin) que utiliza seu poder de sedução para aprisionar homens incapazes de controlar seus desejos.
“O Ùltimo Amor de Casanova” fecha a programação de Janeiro do Moviecom Arte, com exibição nos dias 25 e 26, às 11 horas. Um filme imperdível.

Ficha Técnica
Direção: Benoît Jacquot
Roteiro: Benoît Jacquot, Chantal Thomas, Giacomo Casanova, Jérôme Beaujour
Produção: Jean-Pierre Guérin, Kristina Larsen
Fotografia: Christophe Beaucarne
Trilha Sonora: Bruno Coulais
Montador: Julia Gregory
País: França
Gênero: Drama
Ano de produção: 2019
Elenco: Anna Cottis, Anne-Fanny Kessler, Audrey Quoturi, Catherine Bailey, Christian Erickson, Hayley Carmichael, Jesuthasan Antonythasan, Julia Roy, Michèle Clément, Nancy Tate, Nathan Willcocks, Olivia Ross, Pauline Nyrls, Stacy Martin, Valeria Golino, Vincent Lindon
Distribuição: Califórnia Filmes

 

Moviecomarte

Synonimes no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 27 de dezembro de 2019 0 Comentários

Para fechar em grande estilo a programação de 2.019, o Moviecom Arte traz o ganhador do prêmio da crítica no Festival de Berlim, o filme israelense “Synonimes”, dirigido por Nadav Lapid, que fala sobre reconstrução de identidade.


De um rigor plástico invejável, expresso em enquadramentos hipnotizantes de Paris, este drama deu ao cinema israelense um reconhecimento estético sonhado há tempos.
Contando a saga, em tons autobiográficos, de um rapaz que deixa seu país para recomeçar a vida na França, sem preservar qualquer laço com suas origens israelenses, tendo como seu mais fiel companheiro um dicionário.


O desempenho de Tom Mercier como Yoav, o sujeito que quer reinventar sua identidade (e custa a se livrar do passado), é impecável. Mas o que pesou mais, ao lado de sua excelência narrativa, é a aposta numa discussão sobre pertencimento.
“Synonimes” é uma jornada de transformação física, mental, existencial, moral, tendo por base o percurso pelas ruas de Paris em busca de palavras com que o personagem se identifique. Mas a identidade israelense está marcada no corpo desse homem, e em suas vivências.


Este filme fecha a nossa programação de 2019 e altíssimo estilo. E você poderá conferir “Synonimes” nos dias 28 e 29 às 11 hs e no dia 31 de dezembro às 14 hs.

Ficha Técnica
Título original: Synonyms
Direção: Nadav Lapid
Elenco: Tom Mercier, Quentin Dolmaire e Louise Chevillotte
Roteiro – Nadav Lapid, Haïm Lapid
Cenógrafia: Pascale Consigny
Figurinista – Khadija Zeggaï
Gerente de Produção – Marianne Germain
Data de estreia: 12/12/19
País de Origem: França, Israel e Alemanha
Gênero: Drama
Ano de produção: 2019
Distribuição: Fênix Filmes/Escarlate

Moviecomarte

Downton Abbey no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 27 de novembro de 2019 0 Comentários

Os milhares de fãs da charmosa e elegante série televisiva que mostrava como vivia a aristocracia inglesa no começo do século XX, não vão se decepcionar com a versão para as telonas de Downton Abbey. A nova história, escrita pelo criador Julian Fellowes e dirigida por Michael Engler, tem tudo para agradar inclusive quem não acompanhou os 52 episódios das 6 temporadas.


Aclamado pela crítica e ganhador dos mais importantes prêmios para séries de TV, “Downton Abbey”, o filme, promete carreira brilhante nos cinemas.


Na nova produção, os residentes de Downton recebem a notícia de uma visita real e, enquanto os moradores dos andares de cima se apressam para organizar os preparativos, os criados dos andares debaixo tentam encontrar um jeito de não serem substituídos pelos funcionários da Coroa.


A trama é básica, mas complementada por romances paralelos e questões políticas, em duas horas de um trabalho muito bem realizado por Fellowes e Engler, incluindo temas atuais como a política e a homofobia.


Assim como na série, não há como não se encantar pela personalidade azeda de Violet Crawley, personagem da diva do cinema inglês Maggie Smith, que arremata qualquer cena com conclusões e pontadas deliciosamente impiedosas.


Não perca a oportunidade de ver “Downton Abbey” na telona do Moviecom Arte, nos dias 30 de novembro e 01 de dezembro às 11 horas, com reapresentação no dia 03 de dezembro às 14 horas.

Ficha Técnica:
Título original: Downton Abbey
País: Reino Unido
Ano de produção: 2019
Duração: 122 minutos
Direção: Michael Engler
Roteiro: Julian Fellowes
Produção: Gareth Neame, Julian Fellowes, Liz Trubridge, Mark Hubbard
Fotografia: Ben Smithard
Trilha Sonora: John Lunn
Montador: Mark Day
Distribuidora: Universal Pictures
Direção artística: Caroline Barton, Mark Kebby, Simon Walker
Design de produção: Donal Woods
Elenco:
Allen Leech, Brendan Coyle, David Haig, Elizabeth McGovern, Hugh Bonneville, Imelda Staunton, Jim Carter, Joanne Froggatt, Kate Phillips, Laura Carmichael, Maggie Smith, Michelle Dockery, Penelope Wilton, Phyllis Logan, Raquel Cassidy, Robert James-Collier, Sophie McShera, Stephen Campbell Moore, Tuppence Middleton

Moviecomarte

Luta de Classes, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 21 de novembro de 2019 0 Comentários

Escrito pelo diretor Michel Leclerc e por sua esposa, a atriz Baya Kasmi, este filme traz um tema do momento: como conviver com as diferenças?


A trama gira em torno de um casal burguês super engajado que se muda para uma pequena casa suburbana. Ela, uma advogada de origem norte-africana, e ele, baterista de punk-rock com ideais anarquistas, cultivam princípios humanitários e convicções políticas muito sólidas.


O casal quer dar ao para seu filho uma educação de princípios e deseja simplesmente que ele seja uma criança feliz e consciente do mundo em que vive.


O menino estuda na escola primária local, mas, quando todos os seus amigos abandonam a escola pública e seguem para outra instituição particular, ele se sente solitário e excluído por pertencer a uma família mais abastada que as outras, em sua maioria filhos de imigrantes.


Este tema tem sido muito recorrente no cinema francês contemporâneo e a família que é o centro de “Luta de Classes” reflete, não só a França, mas toda a Europa atual que resiste mesmo com a onda nacionalista que ronda o continente.
Marque em sua agenda: “Luta de Classes” será exibido nos dias 23 e 24 às 11 horas e no dia 26 às 14 horas no Moviecom Arte.

Ficha Técnica
Título no Brasil: Luta de Classes
Título original: La lutte des classes (2019)
Gênero: Comédia Drama Romance
Duração: 103 min
Estreia no Brasil: 24 de Outubro de 2019
País: França
Idioma: Francês
Diretor: Michel Leclerc
Roteirista: Baya KasmiMichel Leclerc
Elenco: Leïla Bekhti, Edouard Baer, Ramzy Bedia, Tom Lévy, Baya Kasmi, Eye Haidara, Oussama Kheddam, Laurent Capelluto, Claudia Tagbo e Michèle Moretti
Distribuição: A2 Filmes

Moviecomarte

A Luz No Fim Do Mundo, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 15 de novembro de 2019 0 Comentários

Imagine o que aconteceria se as mulheres de todo o planeta fossem morrendo pouco a pouco, em consequência de uma desconhecida doença que não atinge os seres humanos do sexo masculino.


Este é o ponto de partida de “A Luz No Fim Do Mundo”, um drama apocalíptico sobre a extinção da raça humana.
Roteirizado, dirigido e estrelado por Casey Affleck, a trama gira em torno de um pai tentando proteger a filha, talvez a última sobrevivente feminina, das possíveis ameaças. A intensidade da constante fuga dos dois resulta em uma profunda viagem de autoconhecimento.


Culminando em uma experiência ímpar, este filme nos dá a possibilidade de refletir sobre temas como a castração masculina, identidade de gênero e o papel da mulher na sociedade.


Discreto em sua concepção, mas tecnicamente impecável, este filme abre mais uma vertente para o significado de apocalipse. E, ainda que haja companhia mútua dos personagens, a solidão de ambos chega ser o grande coadjuvante.


Você não pode perder este grande filme que será exibido nos dias 16 e 17 de novembro às 11 horas e no dia 19 de novembro às 14 horas no Moviecom Arte.

Ficha Técnica
Título Original: Light of my Life
Duração: 119 minutos
Ano produção: 2019
Estreia: 17 de outubro de 2019
Distribuidora: Imagem Filmes
Dirigido por: Casey Affleck
Gênero: Drama
Elenco: Casey Affleck, Anna Pniowsky, Tom Bower
Roteiro: Casey Affleck
Classificação: 14 anos
Países de Origem: EUA

 

Moviecomarte

Branca Como A Neve, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 1 de novembro de 2019 0 Comentários

Inspirada naquela história que todo mundo já conhece, esta comédia é um conto de fadas à francesa, em uma releitura moderna e adulta, com elementos de sensualidade e emancipação.
A trama gira em torno de Claire (Lou de Laâge), uma bela jovem que trabalha no hotel de seu falecido pai, administrado por sua madrasta má, Maud (Isabelle Huppert).


O amante de Maudse apaixona por Claire, despertando a ira da madrasta que decide se livrar da mocinha, que consegue fugir e acaba escondida em uma fazenda onde cativa sete rapazes locais com seu charme, disparando uma série de novas percepções, sensações e experiências.


Anne Fontaine (que nós já conhecemos de Coco Antes de Chanel e Agnus Dei) assina a direção e também o roteiro feito a seis mãos, junto com Pascal Bonitzer e com colaboração de Claire Barré. Eles mostram uma protagonista sexualmente livre e sem pudores, disposta a viver fortes emoções.


A diva do cinema francês, Isabelle Ruppert , está maravilhosa no papel de vilã, mas a jovem Lou de Laâge também dá um show de interpretação. Juntas elas levam o filme nas costas, por assim dizer.


Vale a pena ver esta versão francesa e contemporânea do clássico dos irmãos Grimm. “Branca Como A Neve” abre a progrmação de novembro do Moviecom Arte e será exibido nos dias 02 e 03 de novembro às 11 horas e no dia 05 de novembro às 14 hs.

Ficha Técnica
Título original: Blanche comme neige
Distribuição: A2 Filmes
Data de estreia: 19/09/19
País: França/Bélgica
Gênero: Comédia dramática
Ano de produção: 2019
Classificação: 16 anos
Direção: Anne Fontaine
Elenco: Lou de Laâge, Isabelle Huppert e Charles Berling

Moviecomarte

Adeus À Noite, No Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 25 de outubro de 2019 0 Comentários

O que realmente sabemos sobre as pessoas que se envolvem com o terrorismo? Seriam apenas pessoas desprovidas de humanidade? O que de fato torna algumas pessoas em obcecadas por suas convicções politicas/religiosas?


“Adeus À Noite”, escrito e dirigido por André Téchiné, mostra as diversas facetas que um terrorista pode assumir e nos insere no contexto a partir do drama vivido pelas pessoas mais próximas daqueles que seguem este caminho.


Téchiné traz a diva Catherine Deneuve – sua grande parceira em mais de 1 dezena de produções – no papel de Muriel, uma senhora francesa que recebe o neto, que mora no Canadá, para passar uma temporada em sua casa. Acompanhado da namorada ele vai para a França com o objetivo de se juntar a um grupo extremista.


“Adeus À Noite” é uma narrativa sobre como o extremismo religioso vai tomando conta das pessoas num nível quase patológico. O neto, interpretado por Kacey Mottet Klein, vai gradualmente aprofundando o nível de tormento em sua cabeça. Os conflitos internos e pessoais com a avó ajudam a dar o tom.


Este filme impactante fecha a nossa programação de Outubro no Moviecom Arte e você poderá assistí-lo nos dias 26 e 27 às 11 horas e no dia 29 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Adeus à noite
Título Original: L’adieu à la nuit
País de Origem: França
Ano de produção: 2018
Gênero: Drama
Direção: André Téchiné
Fotografia: Julien Hirsch
Trilha Sonora: Alexis Rault
Estúdio: arte France Cinéma, Bellini Films, Curiosa Films, ZDF/Arte
Montador: Albertine Lastera
Distribuidora: Pandora Filmes
Elenco: Abdelkader Bouallaga, Amer Alwan, Catherine Deneuve, Célia Rachedi-Delhaie, Elisabeth Puig, Elodie Mas, Emmanuel Santa-Cruz, Hanna El Hmaimi, Jacques Nolot e Jean Corso.