Tag

#comédia

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Acertando o Passo, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 8 de junho de 2018 0 Comentários

Richard Loncraine é o diretor de “Acertando o Passo”, uma comédia dramática estrelada por Imelda Staunton e Celia Imrie, que o Moviecom Arte exibe nos dias 09, 10 e 12 de junho.


A trama gira em torno de duas irmãs na terceira idade que, forçadas pelas circunstâncias, voltam a conviver depois de muitos anos afastadas e aí constatam suas diferenças e quanto têm a aprender uma com a outra.


Esta é a segunda vez que Loncraine mira personagens da terceira idade. Em 2015 ele dirigiu “Ruth e Alex”, estrelado por Diane Keaton e Morgan Freeman, que viviam um casal de idosos que decide vender o apartamento onde vivem.
Em “Acertando o Passo”, uma senhora rica ao descobrir a infidelidade do marido resolve voltar a viver com a irmã, com quem não falava a muitos anos. Essa convivência se revela profundamente transformadora para ambas.


Entre as descobertas e redescobertas, essa senhora passa a frequentar aulas de dança e se abre para novas possibilidades, inclusive para um novo amor.


Richard Loncraine não economiza nos clichês típicos dos filmes de dança e da terceira idade, mas faz uso deles com inteligência e sem perder aquele estilo europeu de cinema, onde o foco está no personagem e em suas relações. “Acertando o Passo”, é um fime emocionante e divertido.

Ficha Técnica
Título original: Finding Your Feet
Nacionalidade: Reino Unido
Gêneros: Comédia, Drama
Ano de produção: 2017
Estréia: 10 de maio de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 51 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Richard Loncraine
Roteiro: Meg Leonard, Nick Moorcroft
Elenco: Imelda Staunton, Joanna Lumley, Timothy Spall, Celia Imrie e Phoebe Nicholls
Trilha sonora: Michael J. McEvoy
Direção de fotografia: John Pardue
Edição: Johnny Daukes
Design de produção: Jon Bunker
Figurino: Jill Taylor
Distribuição: California Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Uma Cinderela Moderna no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 31 de maio de 2018 0 Comentários

A espanhola Rossy de Palma é uma das grandes divas do cinema contemporâneo. Musa de Almodóvar (com quem trabalhou em 7 filmes), Rossy esbanja talento e versatilidade, indo da comédia à tragédia em personagens que se tornaram históricos.
E é em uma rasgada comédia romântica que ela está de volta, desta vez sob a direção da francesa Amanda Sthers, em “Madame”, um conto de fadas moderno que faz uma divertida releitura do arquétipo de Cinderela.


A história gira em torno de Maria (Rossy de Palma), a empregada espanhola de um casal de milionários americanos que vai morar em Paris. Durante um jantar oferecido a um seleto grupo de amigos europeus, a supersticiosa anfitriã se dá conta de que tem 13 convidados à mesa e obriga Maria a passar por uma aristocrata espanhola.


Atrapalhada, a pobre Maria esforça-se para interpretar sua personagem o mais discretamente possível mas acaba conquistando as atenções de um influente comerciante de arte inglês que fica totalmente seduzido por ela.
O namoro entre eles vai além daquela noite e, apavorados, os patrões americanos fazem o possível e o impossível para terminar com a relação antes que o inglês perceba o papel deles naquela terrível mentira.


O enredo não é dos mais originais mas Amanda Sthers abusa e faz bom uso de todos os clichês, contando ainda com o talento de um elenco de estrelas como Toni Collette, Harvey Keitel e Tom Hughes, além de mais uma atuação impagável de Rossy de Palma.
Tudo isso resulta em uma deliciosa e sofisticada comédia que vai além de divertir o público. Nas entrelinhas do texto estão algumas das facetas mais perversas da nossa sociedade como as diferenças de classes e a abusiva relação patronal para com empregados de classes sociais inferiores.


“Madame” é o filme da semana no Moviecom Arte e será exibido nos dias 02 e 03 de junho às 11 horas e no dia 05 de junho às 14 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica
Título original: Madame
Nacionalidade: França
Gêneros: Drama, Comédia, Romance
Ano de produção: 2017
Estréia: 29 de março de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 30 minutos
Direção: Amanda Sthers
Roteiro: Amanda Sthers, Matthew Robbins, Amanda Sthers
Elenco: Rossy de Palma, Toni Collette, Harvey Keitel, Michael Smiley, Tom Hughes, Violaine Gillibert, Stanislas Merhar, Sue Cann, Ariane Séguillon, Amélie Grace Zhurkin, James Foley, Brendan Patricks, Tim Fellingham, Joséphine de La Baume e Sonia Rolland.
Produção: Cyril Colbeau-Justin, Matthew Gledhill, Didier Lupfer, Alain Pancrazi
Trilha sonora: Matthieu Gonet
Direção de fotografia: Régis Blondeau
Edição: Nicolas Chaudeurge
Design de produção: Herald Najar
Decoração de set: Julyan Giraux
Distribuição: California Filmes

 

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Deixe A Luz Do Sol Entrar, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 23 de maio de 2018 0 Comentários

A diva Juliette Binoche aparece com frequência na programação do Moviecom Arte e não é porque somos fãs declarados dela. Aos 54 anos ela é uma atriz cheia de energia e super solicitada por todos os diretores, dos novatos aos mais renomados.


Incapaz de dizer não a um bom roteiro, vira e mexe Binoche aparece vestindo um personagem incrível. Em “Deixe a Luz do Sol Entrar”, de Claire Denis, ela é Isabelle, uma artista parisiense – mãe e divorciada – em busca do amor verdadeiro.
“Deixe a Luz do Sol Entrar” nasceu de um convite que a diretora Claire Denis e outras diretoras receberam para fazerem adaptações de “Fragmentos De um Discurso Amoroso”, obra de Roland Barthes que completou em 2017 o aniversário de 40 anos de sua primeira publicação.


Em sua obra Barthes falava da solidão e extrema depreciação dos discursos amorosos de hoje em dia e é isso que vemos na história da personagem de Juliette Binoche. Isabelle vive em um entra e sai de relacionamentos, sempre se decepcionando com seus parceiros.


Claire Denis assina o roteiro em parceria com Christine Angot, criando uma sucessão de conversas que vão da trivialidade ao existencialismo que, muito além do romance ou da comédia, é uma jornada de autoconhecimento de uma mulher dos nossos tempos.
Além de Binoche, outro astro francês super requisitado do cinema francês – e também figura fácil no Moviecom Arte – faz participação especial no filme: Gérard Depardieu. Ele surge na trama como um psiquiatra que eleva Isabelle a refletir sobre o essencial.
“Deixe a Luz do Sol Entrar” é o filme da semana no Moviecom Arte, que será exibido nos dias nos dias 26 e 27 às 11 horas e dia 29 de maio às 14 horas.

Ficha Técnica
Título Original: Un Beau Soleil Intérieur
Título no Brasil: Deixe a Luz do Sol Entrar
Nacionalidades: França, Bélgica
Gêneros: Drama, Comédia, Romance
Ano de produção: 2017
Estréia: 29 de março de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 35 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Claire Denis
Roteiro: Claire Denis & Christine Angot
Elenco: Juliette Binoche, Xavier Beauvois, Philippe Katerine, Josiane Balasko, Sandrine Dumas, Nicolas Duvauchelle e Alex Descas
Produção: Emilien Bignon, Jacques-Henri Bronckart, Olivier Bronckart, Christine De Jekel, Olivier Delbosc, Philippe Logie
Trilha sonora: Stuart A. Staples
Direção de fotografia: Agnès Godard
Edição: Guy Lecorne
Design de produção: Arnaud de Moleron
Distribuição: Imovision

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

O Feminismo Além do Feminismo em A Número Um

Postado porTemperos de Cinema 11 de abril de 2018 0 Comentários

Emmanuelle Blachey é uma mulher como milhões de outras em todo o mundo, tendo que dar conta da casa, dos filhos, cuidar do pai idoso e ainda ser uma profissional dedicada em um ambiente de trabalho onde a mulher é menos valorizada que os homens.
Embora o tema central do filme “A Número Um” gire em torno do machismo que insistie e resiste nos meios corporativos, esta obra da diretora francesa Tonie Marshall não levanta a bandeira do feminismo e se limita a mostrar apenas a realidade de uma mulher e sua luta nos bastidores de uma disputa pelo poder.


Brilhantemente interpretada por Emmanuelle Devos a personagem Emmanuelle Blachey é uma executiva de uma empresa de energia que, incentivada por um clube feminista, resolve competir pela presidência de uma importante indústria francesa de água.


Sempre distante das discussões feministas a personagem no entanto vê na proposta uma ótima oportnidade de crescimento profissional e ao aceitar o desafio abre seus olhos para essa triste realidade. “A Número Um” mostra que o empoderamento maior da mulher é sua conscientização, muito antes de seu sucesso profissional.
Este é o filme da semana no Moviecom Arte com sessões nos dias 14 e 15 de Abril às 11 horas e dia 17 de abril às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: A Número Um
Título original: Numéro Une
Nacionalidade: França
Gênero: Comédia dramática
Ano de produção: 2017
Duração: 1h 50 minutos
Direção: Tonie Marshall
Roteiro: Tonie Marshall, Raphaëlle Bacqué, Marion Doussot
Elenco: Emmanuelle Devos, Richard Berry, Sami Frey Suzanne Clément, Anne Azoulay, Benjamin Biolay, Carole Bouquet e Francine Bergé
Trilha sonora: Fabien Kourtzer, Mike Kourtzer
Direção de fotografia: Julien Roux
Edição: Marie-Pierre Frappier
Design de produção: Anna Falguères
Decoração de set: Matthieu Guy
Figurino: Anne Autran, Elisabeth Tavernier
Distribuição: Imovision

CinemaMoviecomarte

O Outro Lado da Esperança

Postado porTemperos de Cinema 3 de janeiro de 2018 0 Comentários


O drama dos refugiados em todo o mundo é um tema que muitos diretores vem abordando nos últimos anos. Entre outros filmes, exibimos no mês passado o documentário “|Human Flow”, de Ai Weiwei, falando sobre esse assunto.
E não é para menos, segundo dados da ONU em 2015 já se contabilizava mais de 65 milhões de refugiados em todo mundo. Pessoas fugindo de guerras, da fome e da miséria, bem como de governos opressores.
Esse tema cai como uma luva para o diretor finlandês Aki Kaurismäki que tem sua filmografia quase sempre falando de uma Finlândia de onde todos desejam fugir. Dono de um estilo instigante, a beleza de seus filmes se deve em grande parte à extrema simplicidade estética, à precisão de seus enquadramentos e da narração sofisticada, com muitas referências aos anos 70.

out01-750x380
Abrindo a temporada 2018 o Moviecom Arte orgulhosamente apresenta “O Outro Lado da Esperança”, o 17º longa de Aki Kaurismäki, que conta história de Khaled (Sherwan Haji), um refugiado sírio que chega clandestinamente à Helsinque depois de percorrer vários países. Com seu visto de asilo negado ele é preso mas foge e passa a viver ilegalmente no país, sempre em busca de uma irmã desaparecida.

TThe-Other-Side-Of-Hope (1)
O que Kaurismäki mostra em “O Outro Lado da Esperança” vai além do drama dos refugiados. Ele expõe de forma bastante irônica e anarquista a instabilidade social nos países europeus, o medo do terrorismo e o avanço do conservadorismo e dos nacionalismos.

toivontuollapuolen_249876
Esse é o filme da semana no primeiro Moviecom Arte de 2018 e será exibido nos dias 06 e 07 de janeiro, Sábado e Domingo, às 11 horas da manhã no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica:
Nome: O outro lado da esperança
Nome Original: Toivon tuolla puolen
País de Origem: Finlândia
Ano de produção: 2017
Gênero: Comédia dramática
Duração: 100 min
Classificação: 12 anos
Direção: Aki Kaurismäki
Elenco: Ville Virtanen, Kati Outinen, Tommi Korpela

Distribuição: Imovision

606566

touro-ferdinando-728x90

 

CinemaMoviecomarte

Rock’n’Roll, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 15 de novembro de 2017 0 Comentários

O real e a ficção se misturam na comédia romântica Rock’n’Roll – Por Trás da Fama, do diretor francês Guillaume Canet, que também interpreta o personagem principal ao lado de sua mulher, a diva Marion Cotillard.

282440
No filme eles interpretam um casal de atores que se conhece e se envolve durante a produção de um filme. A intimidade do casal se mistura a de seus personagens e também ao casal da vida real.
Segundo o diretor, que também assina o roteiro junto de Rodolphe Laupe e Philippe Lefebvre, “Rock’n roll — Por trás da fama” nasceu da constatação de que as pessoas têm uma percepção muito equivocada da verdadeira rotina dos artistas. Sua primeira intenção era fazer um documentário, que depois virou essa ficção.

mv5bmzuwzdfly2itndc5mc00nwe1lwfimwmtotm1njgxmwixn2zkl2ltywdll2ltywdlxkeyxkfqcgdeqxvyntu5ntk3mda._v1_sy1000_cr0014991000_al__1 085860
O filme não faz uma reflexão muito profunda sobre o assunto, mas cumpre com perfeição o papel de fazer rir e se emocionar com as particularidades e excentricidades que, afinal de contas, fazem parte da vida de todos os casais.
Este é o filme da semana no Moviecom Arte, dias 18 e 19 de novembro às 11 horas e dia 21 de novembro às 14 horas

Ficha Técnica
Título: Rock’n Roll – Por trás da fama
Título Original: Rock’n Roll
País de Origem: França
Ano de produção: 2016
Gênero: Drama, Comédia
Direção: Guillaume Canet
Elenco: Guillaume Canet, Marion Cotillard, Philippe Lefebvre

Distribuição: Mares filmes

0413298

 

Promoção-precinho-Liga-da-Justiça728x90

CinemaMoviecomarte

Bye Bye Alemanha no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 11 de setembro de 2017 0 Comentários

Nos dias 16 e 17 de setembro o Moviecom Arte apresenta uma comédia que conta a história de um grupo de sobreviventes do Holocausto.
Essa abordagem pouco comum em filmes relacionados ao tema já é um ponto de partida interessante para “Bye Bye Alemanha”, do diretor Sam Garbarski. Sem a pretensão de criar uma obra prima como “O Grande Ditador” de Chaplin, ou “A Vida É Bela” de Roberto Benigni, este filme usa o humor para explorar um tema muito pouco abordado: o retorno de Judeus à Alemanha depois da Segunda Guerra.

es-war-einmal-in-deutschland-

201710141_1_IMG_FIX_700x700
“Bye Bye Alemanha” conta a história de David Bermann, que retorna a Alemanha e encontra o país devastado, repleto de lembranças ruins e sem oferecer muitas perspectivas de futuro. Ele lidera um grupo bem heterogêneo de sobreviventes e sonha em fugir para a América. Para isso ele e seus amigos eles montam um negócio de venda de enxovais para alemães que até então apoiavam seus algozes.
Paralelamente, David é investigado por suposto colaboracionismo, já que, vivendo em um campo de concentração, fora cooptado para ensinar Hitler a contar piadas. O personagem é divinamente interpretado por Moritz Bleibtreu.

es-war-einmal-in-deutschland-mit-moritz-bleibtreu-mark-ivanir-hans-low-und-pal-macsai Es-war-einmal-in-D-jpg
Ficha Técnica:
Título Original: “Es war einmal in Deutschland”
Título em Português: “Bye Bye Alemanha”
Gênero: Comédia
Direção: Sam Garbarski
Roteiro: Michel Bergmann e Sam Garbarski
Elenco: Moritz Bleibtreu, Antje Traue e Tim Seyfi
País de Origem: Alemanha
Distribuição: Mares Filmes
252203 (1)

Policia+IT-728x90

CinemaMoviecomarte

Perdidos em Paris, No Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 29 de agosto de 2017 0 Comentários

Em janeiro deste ano o cinema francês perdeu uma de suas maiores estrelas. Morreu aos 94 anos Emmanuelle Riva, a estrela de filmes icônicos como “Hiroshima meu amor” (1959), “A liberdade é azul” (1993) e “Amor” (2012).
Uma atriz dramática excepcional e cultuada por grandes diretores, Riva escolheu despedir-se do cinema com uma comédia suave e escrita e dirigida por dois grandes nomes do clown, Fiona Gordon e Dominique Abel.

lost_in_paris_still4-h_2016
Juntos há mais de 35 anos, o casal de diretores busca no cômico uma maneira de falar sobre a falta de jeito dos seres humanos o lado bizarro da vida cotidiana. Quando convidaram Riva para o projeto não tinham muitas esperanças que ela aceitasse mas foram surpreendidos não só com um sim mas também com o grande conhecimento da atriz sobre a comédia e sua generosidade. Riva chegou a ceder o apartamento em que viva para as filmagens.

film_lostinparis

Só essas anotações de bastidores já seriam o suficiente para nos convencer a ver o filme mas o fato é que “Perdidos em Paris” é uma pequena obra de arte, deliciosamente agradável de assistir.
Neste filme Emmanuelle Riva é Marta, uma senhora idosa e sozinha que foge do asilo e se perde em Paris. Sua sobrinha (Fiona Gordon) é uma bibliotecária que vive no Canadá, que sempre sonhou conhecer Paris e quando recebe a notícia da fuga da tia, viaja para resgatá-la e realizar seu grande sonho. Mas ela também se perde na capital francesa e para ajudá-la surge o mal humorado morador de rua (Dominique Abel).

fionaportebleu
Esse trio tão inusitado quanto atrapalhado garante boas piadas e sacadas muito divertidas durante todo o filme, sem perder o foco da trama.
Com cores vibrantes e uma fotografia moderna, “Perdidos em Paris” tem a cidade de Paris quase como um quarto personagem, mostrando sob uma ótica completamente diferente até mesmo para pontos muito conhecidos como a Torre Eifel e o Rio Sena.

lost-in-paris-paris-pieds-nus-lost-in-paris-copyright-cma-msvp-cg-11-eclaircir
Este é o filme da semana, um verdadeiro presente de boas vindas ao mês de setembro, abrindo a programação do mês no Moviecom Arte.

Ficha Técnica
Título: “Perdidos em Paris”
Título Original: “Paris Pied Nus”
Gênero: Comédia
Direção: Fiona Gordon e Dominique Abel
Roteiro: Fiona Gordon e Dominique Abel
Elenco: Emmanuelle Riva, Fiona Gordon e Dominique Abel
País de Origem: França
Ano de Produção: 2016
Distribuição: Pandora Filmes
Exibição no Moviecom Arte: Dias 02 e 03 de setembro, às 11 horas.

074559

Policia+IT_728x90

 

 

CinemaMoviecomarte

Julho Agosto no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 14 de agosto de 2017 0 Comentários

Julho e agosto são os meses de férias no hemisfério norte e daí vem o título desta comédia dramática dirgida pelo polivalente Diastème — nome artístico do realizador, roteirista, dramaturgo, escritor, músico e ator francês Patrick Asté.

JUILLET AOUT_PHOTO4

Filmes que falam de adolescentes e dos conflitos de gerações não são nenhuma novidade mas “Julho Agosto” é um delicado retrato sobre a juventude e a realidade no relacionamento de pais e filhos nos dias de hoje, exibindo a rica fauna de sentimentos dos personagens.

20170705-julho-agosto-papo-de-cinema2
No filme, duas irmãs passam metade das férias com a mãe e o padrasto e a outra metade com o pai. Durante esses dias, as garotas vivenciam emoções e realidades muito divergentes e intensas, passando por situações dramáticas que colocarão em xeque seus sentimentos e convicções com relação às pessoas que amam e ao mundo ao redor. Transitando por dois mundos quase opostos elas vão descobrir o verdadeiro significado da palavra família.

20170705-julho-agosto-papo-de-cinema-banner
“Julho Agosto” é uma verdadeira aula sobre juventude e relações familiares. A orquestração de divergências surge como resposta a todos os conflitos transformando este filme em uma despretensiosa obra prima sobre relações contemporâneas.
Você poderá assistir “Julho Agosto” nos dias 19 e 20 de agosto, às 11 horas, no Moviecom Arte.

19638-cartaz
Ficha Técnica
Título: Julho Agosto
Título original: Juillet Août
Direção: Diastème
Roteiro: Diastème e Camille Pouzol
Gênero: Comédia Dramática
País de Origem: França
Ano de produção: 2015
Elenco: Luna Lou, Pascale Arbillot, Alma Jodorowsky, Patrick Chesnais, Thierry Godard, Jérémie Laheurte e Lou Chauvain
Distribuidor: Cineart Filmes

728x90 (3)

CinemaMoviecomarte

Monsieur e Madame Adelman no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 7 de agosto de 2017 0 Comentários

Hoje em dia, 45 anos de casamento parece tempo demais. E é mesmo. Ainda mais quando a relação coloca um dos cônjuges na sombra do outro. Haja abnegação!
“Monsieur e Madame Adelman”, de Nicolas Bedos, é uma comédia dramática que conta a história de um casal assim, pelo ponto de vista da viúva de um famoso escritor. Logo após o enterro de seu marido, Sarah Adelman concede uma entrevista a um jornalista prometendo contar absolutamente tudo sobre os anos que passou ao lado do gênio consagrado. E o faz com todos os pormenores.

DestaqueMonsieureMadameAdelman
Nessa narrativa bem contemporânea de fracasso de um relacionamento amoroso, o grande destaque é a interpretação da atriz Doria Tillier, que assina o roteiro em parceria com o diretor Nicolas Bedos. Bedos. Aliás Bedos também está no filme como ator, ele é Victor Adelman, o escritor morto.
“Monsieur e Madame Adelman” é um filme cheio de surpresas, reviravoltas e boas risadas, principalemnte quando se fala a respeito das regras e colaborações complicadas que os casais desenvolvem entre si — e ponha-se complicação nisso.

maxresdefault
Este é o filme da semana no Moviecom Arte. E você poderá assistí-lo no sábado 12 e domingo 13, sempre às 11 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.
Ficha Técnica
Nome: Monsieur & Madame Adelman
Nome Original: Monsieur & Madame Adelman
País de Origem: França
Ano de produção: 2017
Gênero: Drama
Duração: 120 min
Direção: Nicolas Bedos
Roteiro: Doria Tillier, NIcolas Bedos
Elenco: Nicolas Bedos, Doria Tilier, Denis Podalydès
Distribuição: Imovision

324968

728x90 (3)