Tag

#CinemaIndependente

CinemaMoviecomarte

O Red Carpet do Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 27 de fevereiro de 2018 0 Comentários

Março é o mês do Oscar no Moviecom Arte.
Preparamos para você uma seleção de 5 grandes filmes que concorrem à mais cobiçada estatueta do cinema.
São eles:

Dias 03 e 04 – 11 horas
Dia 06 – 14 horas
O INSULTO


Nomeado para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro
Essa é a primeira vez que um filme libanês é nomeado para o Oscar. E não é para menos. Neste filme assumidamente político o diretor Ziad Doueri permite que sua câmera ajuste automaticamente o foco sobre cada personagem, como que para nos fazer entender o ponto de vista de cada um deles dentro da trama. E nos faz refletir.
O roteiro provocativo escrito por Ziad Doueri e Joelle Touma mostra como um pequeno desentendimento entre dois cidadãos comuns vai tomando vulto à medida que se espalha, até chegar a um tribunal e ganhar a mídia, gerando uma crise que chega ao Presidente da República.
Longe de ser um filme panfletário, a trama de “O Insulto” aborda temas fortes e muito atuais como a ética, o racismo e os limites para a liberdade de expressão, o que o torna universal. Aliás presenciamos no Brasil vários acontecimentos parecidos…

Dias 10 e 11 – 11 horas
Dia 13 – 14 horas
LADY BIRD


Nomeado para o Oscar de Melhor Filme
Com 5 nomeações para o Oscar, “Lady Bird” divide opiniões mas sem dúvida é um dos melhores filmes na disputa. Dirigido por Greta Gerwig, este é daqueles filmes que a gente assiste como se estivesse sentado nas nuvens.
É um filme adolescente com todos os clichês típicos mas o que o torna especial é como a trama apresenta desfechos surpreendentes para cada situação, transformando-o em um filme sobre as relações humanas e a incrível descoberta do “mundo adulto”.
Outro ponto alto do filme é a atuação brilhante de Saoirse Ronan. No papel da adolescente problemática que dá título ao filme, Saoirse ganhou um Globo de Ouro, um Gotham, o título de melhor atriz do último Festival de Toronto, foi indicada para o Bafta e para o prêmio do Sindicato de Atores. De quebra a jovem atriz de 22 anos ganha também sua terceira indicação ao Oscar.

Dias 17 e 18 – 11 horas
Dia 20 – 14 horas
TRAMA FANTASMA


Nomeado para o Oscar de Melhor Filme
Com seis indicações ao Oscar o drama dirigido por Paul Thomas Anderson tem como pano de fundo o mundo da alta moda e aborda o potencial destrutivo de um relacionamento onde o amor, a admiração e o companheirismo estão em constante conflito com ódio, o ciúme e a inveja.
Na trama, o estilista Reynolds Woodcock (Daniel Day-Lewis) e sua musa Alma (Vicky Krieps), se amam e se odeiam profundamente, vivendo em uma guerra crescente e cruel, mascarada pela hipocrisia e pelo universo do luxo. Essa relação intensa e doentia, onde a essência e aparência são completamente divergentes, tem na moda seu paralelo perfeito.
Este também pode ser o último filme de Daniel Day-Lewis que anunciou sua aposentadoria após “Trama Fantasma” e a intenção de dedicar-se exclusivamente à família. Se assim for, o astro se despede das telonas em grande estilo e com sua sexta indicação para o Oscar de Melhor Ator.

Dias 24 e 25 – 11 horas
Dia 27 – 14 horas
MUDBOUND, LÁGRIMAS SOBRE O MISSISSIPI


Nomeado para o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado
Aclamado no Festival de Sundance, “Mudbound, Lágrimas Sobre o Mississipi” tem 4 indicações ao Oscar, incluindo o de melhor atriz (pela magnífica atuação de Mary J. Blige) e o de melhor fotografia (pelo excepcional trabalho de Rachel Morrison).
Dirigido por Dee Rees, que também assina o roteiro ao lado de Virgil Williams, “Mndbound, Lágrimas Sobre o Mississipi” é uma obra primorosa, uma das críticas mais ferozes à questão racial nos Estados Unidos.
A trama se passa durante a Segunda Guerra Mundial, que serve de paralelo para o clima tenso e a guerra que se dá entre os membros de duas famílias, uma branca e a outra negra, ambas vivendo em uma propriedade no interior do Mississipi, estado que ficou conhecido e marcado pelo racismo e a violência contra os negros.

Dias 31 de março e 01 de abril – 11 horas
Dia 03 de abril – 14 horas
ME CHAME PELO SEU NOME


Nomeado para o Oscar de Melhor Filme
O jornal El País disse que o Oscar não está preparado para um filme como “Me Chame Pelo Seu Nome”, de Luca Guadagnino. Mesmo tendo em seu histórico outros filmes com temática gay, como “O Segredo de Brokeback Mountain” e “Moonlight”, que alcançaram a premiação máxima, os centenários e conservadores membros da Academia ainda não conseguem absorver uma história de amor entre um adolescente de 17 anos e um jovem de 28, durante um verão no norte da Itália.
Com 4 indicações para o Oscar e uma carreira de sucesso construída nos mais importantes festivais mundo a fora, o que chama a atenção em “Me Chame Pelo Seu Nome” é que ele é muito mais que uma história de amor gay e passa longe do estereótipo de uma relação marcada pela dor, pelo medo e pela opressão.
Com roteiro adaptado por ninguém menos que James Ivory, à partir de um romance do egípcio André Aciman, este filme é um registro sensível do processo de descoberta de um sentimento entre duas pessoas que também estão a se descobrirem uma na outra.

 

__________________________________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

O Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

CinemaMoviecomarte

Lumière, A Aventura Começa na Sala Cult

Postado porTemperos de Cinema 20 de fevereiro de 2018 0 Comentários

“Lumière, A Aventura Começa” – filme documentário que é um tributo do diretor Thierry Frémaux a Louis e Auguste Lumière, que em 1895 captaram as primeiras imagens em movimento.
A escolha desse filme para a estreia do Sala Cult não poderia ser mais significativa. “Lumière, A Aventura Começa” é o cinema em seu início. Os primeiros planos, as primeiras concepções visuais, as primeiras fotografias encadeadas e exibidas uma após a outra em uma velocidade que cria essa ilusão de movimento que chamamos de cinema.


Thierry Frémaux, que é também diretor do Instituto Lumière e do Festival de Cannes, reúne 108 filmes restaurados em 4K feitos por aqueles que são os criadores do cinematógrafo e a arte do cinema em si. E eles foram os inventores de quase tudo: Da técnica de como registrar movimentos em filme, da arte cinematográfica e da sala de cinema (a sala escura com ingresso de 1 franco).
Eles foram primeiros cineastas. Em seu primeiro filme os Irmãos Lumière mostram uma multidão de operários saindo da fábrica da família em 1895. Ficava claro desde o início que a função do cinema é mostrar quem somos e contar a nossa história.


Os pequenos filmes dos irmãos Lumière são ainda um importante registro, em imagens inesquecíveis, da França e do mundo que faziam sua entrada na Era Moderna.
Com uma trilha musical refinada assianada por Camille Saint-Saëns, narrado pelo próprio Frémaux e com a participação especial de Martin Scorsese, “Lumière, A Aventura Começa” será exibido nos dias 22, 23, as 19horas  e 24 de fevereiro, às 16 e as 19horas.

A Sala Cult fica no Shopping Paineiras –  Avenida Nove de Julho, 1155 – Chácara Urbana, Jundiaí .

Ficha Técnica
Título: Lumière, A Aventura Começa
Título original: Lumière!
Nacionalidade: França
Gênero: Documentário
Ano de produção: 2017
Duração: 1h30 minutos
Classificação: Livre
Direção: Thierry Frémaux
Roteiro: Thierry Frémaux
Produção: Maelle Arnaud, Thierry Frémaux, Bertrand Tavernier
Editor: Thierry Frémaux, Thomas Valette
Música: Camille Saint-Saëns
Distribuição: Imovision

Cinema

Programação de Estreia do Sala Cult

Postado porTemperos de Cinema 20 de fevereiro de 2018 1 Comentário

É com grande orgulho que apresentamos a programação de estreia do Sala Cult, mais um importante espaço para o cinema independente em Jundiaí.
O projeto voltado para os amantes do cinema, tem a proposta de exibir apenas grandes filmes, ignorados ou pouco valorizados pelo circuito comercial. E são justamente esses os favoritos dos verdadeiros cinéfilos.
Nesta programação inaugural do Sala Cult, selecionamos 4 filmes que representam de formas diferentes a essência da sétima arte, a paixão. Essa paixão que move grandes diretores, atores, roteiristas e tantos outros artistas envolvidos no fazer cinematográfico, com o único objetivo de chegar aos verdadeiros apreciadores de cinema, como você.

Disse Fellini que “o cinema é um modo divino de contar a vida” e não dá para falar de cinema sem lembrar seus primórdios, por isso o filme que abre oficialmente o Sala Cult é “Lumière, A Aventura Começa” – filme que é um tributo do diretor Thierry Frémaux aos irmãos Louis e Auguste Lumière, que em 1895 captaram as primeiras imagens em movimento.
A escolha desse filme para a estreia do Sala Cult não poderia ser mais significativa. “Lumière, A Aventura Começa” é o cinema em seu início. Os primeiros planos, as primeiras concepções visuais, as primeiras fotografias encadeadas e exibidas uma após a outra em uma velocidade que cria essa ilusão de movimento que chamamos de cinema.
Thierry Frémaux, que é também diretor do Instituto Lumière e do Festival de Cannes, reúne 108 filmes feitos por aqueles que são os criadores do cinematógrafo, restaurados em 4K.
Narrado pelo próprio Frémaux e com a participação especial de Martin Scorsese, será exibido nos dias 22, 23,`as 19 horas  e 24 de fevereiro, às 16 e as 19 horas.

Na sequência teremos “Em Busca de Fellini”, filme de estreia do sul-africano Taron Lexton. Trata-se de uma assumida homenagem a Federico Fellini, construída a partir do fascínio que a personagem Lucy (Ksenia Solo) passa a alimentar após assistir a um filme do cineasta italiano.
A garota americana, tímida e com uma mãe super protetora, parte para a Itália com o objetivo de conhecer o icônico diretor. Uma viagem que se transforma em uma jornada de autoconhecimento e amadurecimento, vivendo situações alinhavadas por referências a personagens e cenas dos filmes.
“Em Busca de Fellini” será exibido no dia 25 de fevereiro às 16 e às 19 horas e nos dias 01,02 e 03 de março, às 19 horas.

O cineasta francês Thomas Lilti assina o terceiro filme da programação do Sala Cult. “Insubstituível”, um delicado drama sobre a última idade, o profissionalismo e a importância do carinho em nossas vidas.
Estrelado pelo francês François Cluzet, em uma brilhante atuação, o filme conta a história de um médico que enfrenta uma grave doença e precisa se reinventar no seu lado profissional para continuar a cuidar de seus pacientes em uma cidadezinha no interior da França.
Buscando um pouco de descanso em sua meticulosidade que beira ao perfeccionismo, Jean-Pierre precisa de um substituto para tantas funções que exerce e assim chega ao lugar a ex-enfermeira e agora quase doutora Nathalie (Marianne Denicourt) que precisará enfrentar a rabugentice detalhista do experiente doutor para provar seu valor.
Envolvente e emocionante, “Insubstituível” será exibido dia 04 de março às 16 e às 19 horas, dias 08 e 09 às 19 horas e 10 de março às 16 e 19 horas, no Sala Cult.

A vida da filósofa e psicanalista Lou Andreas-Salomé (1861-1937) foi fascinante, para dizer o mínimo. Seu pioneirismo na psicanálise e no estudo da sexualidade feminina, sua vida amorosa com os filósofos Friedrich Nietzsche e Paul Rée (com quem viveiu um triângulo amoroso) e com o poeta Rainer Maria Rilke, e sua convivência com Sigmund Freud, revelam uma mulher brilhantemente transgressora e muito à frente de seu tempo.
Filme de estreia da diretora Cordula Kablitz-Post, “Lou” começa mostrando uma fogueira com livros sendo queimados, enquanto o áudio reproduz um discurso de Hitler condenando a psicanálise e outras expressões intelectuais às chamas.
Renegada às sombras da eternidade, como é muito comum a várias mulheres na história da humanidade, Lou Andreas-Salomé vem sendo redescoberta como um dos grandes nomes do feminismo.
Ela é personagem central da trama e à sua volta gravitam alguns dos homens mais brilhantes de todos os tempos. Uma das cenas mais simbólicas do filme mostra Lou sobre uma carroça “puxada” por Rée e Nietzsche, reprodução de uma imagem que ficou famosa e correu o mundo na época.
O imperdível “Lou” será exibido no Sala Cult dia 11 de março às 16 e às 19 hora, dias 15 e 16  de março às 19 horas e dia 17 de março às 16 e 19 horas.

Extras

Cinema Independente ganha mais espaço em Jundiaí

Postado porTemperos de Cinema 15 de fevereiro de 2018 6 Comentários

Em um momento que o consumo de áudio visual através do streaming é cada vez maior, vem como contraponto o sucesso em franco crescimento do Cinema Independente em todo o mundo.
Pensando bem, não é um contraponto, pois assim como a tecnologia do streaming possibilita o consumo sob demanda, o cinema independente é o cinema feito “sob encomenda” para os cinéfilos. Aquelas pessoas que não escolhem um filme só pelos efeitos especiais, pelas estrelas, ou pelos grandes orçamentos, mas sim a forma como o roteirista, o diretor e o olhar especial de um fotógrafo se unem para contar uma história.

witness-for-prosecution
E já que o mundo todo descobriu a magia do cinema independente, Jundiaí não ficou para trás e oferece um novo espaço para esse cinema que reúne reflexão, arte e entretenimento: A Sala Cult no Shopping Paineiras !
Uma sala multiuso, especialmente projetada para atividades culturais e artísticas, que será a partir de 22 de fevereiro um espaço ideal para um “cine clube” com sessões semanais de filmes independentes.

Mefisto-Sokurov1
Esse novo espaço de cinema tem a curadoria de Fátima Augusto, que está há 10 anos à frente de projetos como o Moviecomarte e o Temperos de Cinema.
Com um forte relacionamento com as principais distribuidoras de filmes do circuito de arte brasileiro, como a Imovision, a Cineart, a Pandora, a Marés filmes, e outras, Fátima tem como proposta trazer os melhores títulos exibidos nos circuitos de arte de São Paulo e Rio de Janeiro.

Still from film Loving Vincent (Robert Gulaczyk) IMAGE: Altitude Film Distribution
Inicialmente será exibido um filme por semana, e as sessões serão as quintas, sextas e sábados, as 20horas, e aos domingos as 19h00. A estreia será no dia 22 de fevereiro com um filme que é uma verdadeira homenagem ao cinema.
Também farão parte desse projeto, sessões comentadas, eventos e mostras especiais. E tudo isso num espaço muito bem localizado, com toda a estrutura necessária para oferecer conforto aos cinéfilos “de carteirinha” da região.

a-viagem-de-fanny-crítica-
Jundiaí merecia e precisava de mais cinema de arte no seu dia a dia.

Temperos

Pequena Miss Sunshine Reflete Os Comuns

Postado porTemperos de Cinema 29 de agosto de 2016 0 Comentários

O filme que inspirou a receita de Frango Frito no estilo americano, em Temperos de Cinema, é um road movie de comédia dramática, o clássico “Pequena Miss Sunshine”, de 2006, filme de estréia dos diretores Jonathan Dayton e Valerie Faris.

o-PEQUENA-MISS-SUNSHINE-facebook

Em uma sociedade onde “fazer sucesso” virou uma obrigação que atinge e aflige todos os mortais, “Pequena Miss Sunshne” é um espelho que reflete os comuns. Os Hoover formam uma família exageradamente normal, de pessoas frustradas e socialmente “fracassadas”, que se unem em torno de uma menina que sonha vencer um concurso de beleza infantil – desses em que mães enlouquecidas travestem suas crianças de adultos.

lWKQvy2kY0nbf5UiE56Ft458Coj

Em uma cena de impressionantes 15 minutos, logo no começo do filme, os diretores apresentam a família Hoover: O pai, Richard (Greg Kinnear), é vendedor de um programa de autoajuda; a mãe Sheryl (Toni Collette) é uma mulher prega sobre a importância da honestidade mas fuma escondido; o avô paterno, Edwin (Alan Arkin), foi expulso de uma casa de repouso por uso de substâncias ilícitas; o tio Frank (Steve Carell) é um professor universitário e homossexual suicida que cita Proust o tempo todo; e o irmão Dwayne (Paul Dano), um jovem roqueiro e revoltado, fascinado por Nietzsche, que vive em greve de silêncio.

p016-1_786507_673836_highres

No centro de tudo isso está a pequena Olive (Abigail Breslin), uma menina comum e completamente distante do ideal de beleza que norteia os concursos de beleza. Barrigudinha, com imensos óculos de grau e totalmente desengonçada, ela sonha em ser a rainha no concurso Pequena Miss Sunshine, na Califórnia.

Para realizar o sonho de Olive, a família atravessa o deserto do Novo México em uma Kombi Amarela, vivendo situações extremamente cômicas e até surreais. Unidos pelo mesmo propósito e em suas frustrações pessoais, durante a viagem eles vão se conhecendo melhor e descobrindo que juntos são muito mais fortes.

little-miss-sunshine

É impossível não nos vermos em Pequena Miss Sunshine. Tem em pedacinho de todos nós em cada um dos personagens. O filme nos leva principalmente a questionar os padrões impostos pela sociedade moderna e a lembrar a importância de nossas relações afetivas, principalmente a família.

Lançado no Sundance Festival, o mais importante festival americano de cinema independente, Pequena Miss Sunshine derrubou lançamentos milionários de Hollywood naquele ano e acabou com 4 indicações para o Oscar, levando duas estatuetas. Foi um grande sucesso de público e crítica.

SUNSHINE1 Richard---Olive-little-miss-sunshine-44185_1400_933

Uma curiosidade sobre os diretores: Antes de Pequena Miss Sunshine,  Jonathan Dayton e Valerie Faris trabalharam em clips de bandas como Red Hot Chilli Peppers, R.E.M. e Smashing Pumpkins, entre outras.

Assista o filme na íntegra:

Ficha Técnica

Título: Pequena Miss Sunshine
Título Original: Little Miss Sunshine (Original)
Ano de Produção: 2006
Direção: Jonathan Dayton Valerie Faris
Elenco: Abigail Breslin, Greg Kinnear, Toni Collette, Steve Carell, Pul Dano e Alan Arkin
Duração: 102 minutos
Classificação; Não recomendado para menores de 14 anos
Gênero: Comédia Dramática
País: Estados Unidos da América
Distribuição: Fox