Tag

#cinema

CinemaFilmes da semanaMoviecomarte

Os Filmes de Fevereiro no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 2 de Fevereiro de 2018 0 Comentários

.A vida é feita do cotidiano. De sonhos, lembranças, alegrias, de desafios, de superações, tristezas… Daquilo que pensamos, construímos ou simplesmente vivemos. A vida, sobretudo, é feita da vida. E às vezes esquecemos disso.
O cinema tem esse dom de nos chamar à reflexão, nos levando às vezes para lugares, situações e histórias que nunca pensamos vivenciar. isso nos permite entender melhor o outro e muitas vezes descobrimos que, de alguma forma, também vivemos um pouco daquila história.
O Moviecom Arte de fevereiro traz 4 belíssimos filmes sobre a vida de personagens tão próximos de nós, mesmo que pareçam distantes do nosso cotidiano.

MV5BYWM1MmFjYjktZjcwZi00OGQyLTk0NTYtZTJhZGM0MjUzOWYwXkEyXkFqcGdeQXVyMTA2ODMzMDU___V1_SY1000_CR02C02C14602C1000_AL_

Dias 03 e 04 de fevereiro – 11horas – dia 06 – 14horas
120 BATIMENTOS POR MINUTO
O cinema ativista às vezes pode ser bem chato, principalmente quando se torna um discurso militante e esquece de ser um filme. Não é o caso de “120 Batimentos Por Minuto”, de Robin Campillo, que aborda diversas questões contemporâneas a partir do cotidiano dos membros de um grupo que, nos anos 90, lutava para que o governo francês e a indústria farmaceutica agissem de forma mais efetiva em relação à AIDS.
O diretor Robin Campillo fez parte deste grupo e usa sua própria experiência para abordar questões como a homossexualidade na França e no mundo, as questões políticas que envolvem a indústria farmaceutica, a militância e a cultura gay que inclui as festas de música eletrônica.
O título “120 BPM”, aliás, vem exatamente dos batimentos cardiacos nas pistas de dança mas é uma analogia também à adrenalina necessária para enfrentar as questões abordadas no filme.
Não recomendado para menores de 16 anos

harry-dean-stanton-lucky (1)
Dias 10 e 11 – 11horas – dia 13 – 14horas

LUCKY
Falecido recentemente, Harry Dean Stanton é uma verdadeira lenda do cinema independente. Com personagens memoráveis como no cult “Paris, Texas” e no icônico “Twin Peaks”, esta é a última oportunidade de vê-lo atuando e justamente em um filme que é uma poética homenagem a ele.
O personagem é um velho ateu, aos 90 anos, vivendo seus dias à espera da morte, em uma inóspita e desinteressante cidadezinha no deserto. Embora pareça, não há nada de baixo-astral nisso. “Lucky” é uma exaltação à consicência, ao prazer da independência na última idade.
Falta beleza e há vários momentos de tédio absoluto no filme. Tudo sugere que o estreante diretor John Carroll Lynch se deixou influenciar demais por outros cult movies feitos no deserto mas, como poderiamos imaginar que a vida para um homem de 90 anos em um lugar como esse pudesse ser diferente.
Não recomendado para menores de 16 anos

cor01
Dias 17 e 18 – 11horas – dia 20 – 14horas
CORPO E ALMA
O hungaro “Corpo e Alma”, de Ildikó Enyedi, figura entre os mais belos filmes de 2017. Escolhido como melhor filme no Festival de Berlim, trata-se de uma incrível jornada sobre o amor em uma maravilhosa história contruída através de sonhos.
O filme conta a história de Endre (Géza Morcsányi), um burocrara e portador de uma deficiência no braço, que durante uma sessão com uma psicóloga chamada para auxiliar a empresa que trabalha, descobre que seus sonhos se completam com os mesmos sonhos de uma nova funcionária da empresa chamada Mária (Alexandra Borbély). Assim, se encontrando quase sempre nos sonhos mas sem muita aproximação na vida real, resolvem embarcar nessa história onde buscam a todo instante entender melhor sobre o amor e sobre essa situação totalmente inusitada que é o fato de se ligarem por um sonho.
Impossível falar de “Corpo e Alma” sem citar a lentidão e os longos silêncios essenciais na construção da história, usando a realidade vazia e feia como uma moldura para os momentos de beleza e magia que se dão durante os sonhos.
Não recomendado para menores de 18 anos

photo
Dias 24 e 25 de fevereiro – 11horas – dia 27 – 14horas
LOLA PATER
A vida como ela é, sem retoques, sem caricaturas e sem hipervalorizar as decepções. Lola Pater, do francês Nadir Moknèche, fala sobre escolhas, do medo do inusitado e das descobertas em uma relação, salientando a importância do respeito e da tolerância.
“Lola Pater” conta a história de um encontro entre pai e e filho, após muitos anos de uma separação inexplicada. Zino, um motoqueiro de 27 anos que trabalha em uma Paris, após a morte de sua mãe, resolve sair em busca de seu desconhecido de seu pai Farid, que há anos teria abandonado a família para regressar a seu país de origem, a Argélia.
Nessa busca Zino descobre que Farid nunca voltou ao país natal, não se divorciou de sua mãe (que sempre soube de tudo) e se tornou uma mulher transexual, a professora de dança Lola, (maravilhosamente interpretada por Fanny Ardant).
A reconexão de pai e filho obedece a passagens obrigatórias (rejeição, negação e aceitação), mas é terna. Zino e Lola se reconhecem, com um pouco de dor, sem sobressaltos ou histrionismos, e se aceitam, sem a obrigação de entender o outro.
Não recomendado para menores de 14 anos

_____________________________________________________________________

Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

O Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

sobrenatural---destino-de-uma-nação728x90

Cinema

Programação de Dezembro do Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 30 de novembro de 2017 0 Comentários

O cinema político contemporâneo reflete a diluição das fronteiras territoriais, étnicas, culturais e ideológicas do mundo globalizado. Os conflitos, aflições, anseios e desilusões sensibilizam ou são comuns a todos de alguma forma. Ao mesmo tempo, a intolerância e o preconceito constroem enormes barreiras ideológicas. Este mês o Moviecom Arte traz 4 grandes filmes de temática política e a visão de 4 grandes diretores.

A-trama

Dias 02, 03 e 05 de dezembro
A Trama
O aclamado diretor francês Laurent Cantet é um crítico perpicaz da cena política e social de seu país. Em “A Trama” ele traz uma nova abordagem sobre seus temas favoritos, com foco no microcosmo dos personagens centrais do enredo mas falando do macrocosmo de toda a sociedade francesa deste começo de século.
A história se passa na mediterrânea La Ciotat em pleno verão. Antoine (Matthieu Lucci) aceita participar de uma integradora oficina de escrita, onde alguns jovens deverão desenvolver um romance policial sob a tutoria de Olivia Dejazet (Marina Foïs), famosa romancista. Agressivo e provocador, ele apresenta um polêmico texto e logo passa a ser odiado pelo diverso grupo, ao mesmo tempo em que é apoiado pela intrigada professora.
Não recomendado para menores de 14 anos

maxresdefault
Dias 09, 10 e 12 de dezembro
VICTORIA E ABDUL
O brilhante diretor inglês Stephen Frears assina mais uma obra prima: Victoria & Abdul conta a história real da amizade inesperada entre a Rainha Victoria e Abdul Karim, um jovem empregado que viaja para participar do Jubileu de Ouro e é surpreendido ao conhecer a própria Rainha. Ao se aproximarem, eles criaram uma aliança improvável de dedicação e lealmente mútua, afrontando o circulo doméstico da Rainha.
Nos papéis principais e puxando um elenco de grandes talentos, Judi Dench e Ali Fazal.
Não recomendado para menores de 10 anos

Histórias-de-Amor-Que-Não-Pertencem-a-Este-Mundo-Faz-Parte-da-Programação-do-8-12-Festa-do-Cinema-Italiano
Dias 16, 17 e 19 de dezembro
HISTORIAS DE AMOR QUE NÃO PERTENCEM A ESTE MUNDO

A diretora italiana Francesca Comencini, famosa pela série Gomorra, assina também o roteiro deste maravilhoso drama romântico, junto com Francesca Manieri e Laura Paolucci.
“Histórias de Amor…” é um olhar sincero sobre a forma como a mulher moderna pode vir a se posicionar dentro de uma relação.
Depois de se separar de Flavio (Thomas Trabacchi), com quem se relacionou por sete anos, a professora Claudia (Lucia Mascino) se sente como uma alma perdida e não vê outra solução para sua dor que não perseguir e reconquistar o ex-companheiro. Flavio, no entanto, tem objetivo bem diferente: seguir em frente e mudar de vida, se afastando ao máximo da intensa parceira.
Não recomendado para menores de 16 anos

maxresdefault (3)

Dias 23, 24 e 26 de dezembro
HUMAN FLOW – NÃO EXISTE LAR SE NÃO HÁ PARA ONDE IR
O chinês Ai Weiwei é um artista plural. Designer arquitetônico, artista plástico, pintor, comentarista e cinegrafista, tornou-se mundialmente conhecido e venerado por seu ativismo social e por sua coragem em enfrentar a ditadura conuminsta chinesa.
Human Flow foi o grande destaque da 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, com a presença de Ai Weiwei que inclusive desenhou o cartaz da Mostra.
Neste filme o diretor Ai Weiwei acompanhou durante 1 ano as crises de refugiados em 23 países, incluindo França, Grécia, Alemanha, Iraque, Afeganistão, México, Turquia, Bangladesh e Quênia. Ele retrata as causas que levam milhões de pessoas a abandonarem seus países de origem, como a guerra, a miséria e a perseguição política, refletindo sobre as dificuldades encontradas na busca por uma vida melhor.
Não recomendado para menores de 14 anos

051
Dias 30, 31 de dezembro e 02 de janeiro
O FORMIDÁVEL
O cineasta francês Michel Hazanavicius conseguiu gerar uma grande polêmica com essa comédia dramática onde o personagem principal é um verdadeiro ícone do cinema da França e do mundo todo, Jean-Luc Godard.
Em O Formidável, Hazanavicius mostra o grande diretor a partir do término de seu longo e famoso relacionamento com sua musa Anna Karina e em meio à fase revolucionária de sua carreira, quando inicia a produção de seu mais novo filme: A Chinesa, longa que narra a história de um grupo de jovens que tentam incorporar princípios maoístas ao seu cotidiano político. Durante as filmagens, ele conhece Anne Wiazemsky (Stacy Martin) e, logo, os dois se apaixonam.
A polêmica se deu porque o diretor mostra no filme justamente o período da crise de Godard, um dos principais nomes da Nouvelle Vague e também militante anarquista. O que para muitos pareceu uma tentativa do diretor de desqualificar o Maio de 68
Não recomendado para menores de 12 anos.

_____________________________________

Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

O Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

Cinema

Programação de Abril do Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 27 de Março de 2017 1 Comentário

Confira a Programação de Abril do Moviecom Arte que traz mais uma seleção de grandes filmes selecionados especialmente para você, fã das telonas e do cinema de arte.
Dias 01 e 02 de abril – 11horas
TONI ERDMANN, de Maren Ade
Este filme foi o selecionado para representar a Alemanha no Oscar 2017, na categoria Melhor Filme Estrangeiro.
Esta comédia é uma produção austro-alemã que mostra o conflito gerações através do relacionamento de um pai super extrovertido e sua filha workaholic e carrancuda. As diferenças entre ambos faz com que vivam afastados mas o pai usa de vários subterfúgios para se reaproximarem. O filme teve grande repercussão quando exibido no último festival de Cannes.
A direção e roteiro são de Maren Ade e traz no elenco Peter Simonischek e Sandra Hüller.

Toni-Erdmann
Dias 08 e 09 de abril – 11horas
EU, DANIEL BLAKE, de Ken Loach
Ganhador da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2017, do Prêmio BAFTA de Melhor Filme Britânico e o César de Melhor Filme Estrangeiro, entre muitos outros prêmios, este filme é dos melhores da temporada.
E em tempos onde tanto se fala sobre a previdência social no Brasil, este filme é uma boa reflxão sobre o assunto.
Este drama conta a história de um homem analfabeto que, após sofrer um ataque cardíaco, tenta receber o auxílio a que tem direito pelas leis trabalhistas, mas se vê obrigado a enfrentar um terrível esquema burocrático. No meio de todo esse processo ele conhece uma mulher solteira e mãe de duas crianças, também brigando com o sistema. Eles se aproximam e passam a se ajudar mutuamente.
EU, DANIEL BLAKE é considerado um dos melhores filmes do veterano Ken Loach, famoso por seus filmes dramas sociais repletos de romantismo e com um refinamento de imagens sem igual.

Ken Loach

Dias 15 e 16 de abril – 11horas
NERUDA, de Pablo Larrain
Considerado um dos maiores diretores do cinema latino-americano, o chileno Pablo Larrain (também diretor de “Jackie” que teve 3 indicações ao Oscar) consolida seu prestígio com essa cinebiografia de um dos mais importantes poetas da língua castelhana do século XX.
“Neruda” foi indicado para representar o Chile na categoria de Melhor Filme Estrangeiro do Oscar 2017 e traz uma versão fantasiosa da vida de Pablo Neruda, partindo de fatos que construíram a lenda em torno deste grande poeta e também político, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 1971.
Estrelado pelo chileno Luis Gnecco e pelo mexicano Gael García Bernal, ambos em atuações brilhantes, o filme conta a relação entre o escritor e um investigador de polícia que o perseguiu durante dois anos, antes que ele conseguisse fugir para a Argentina.

eab9c82ba3bc197adeb06ea94c6ab6d8

Dias 22 e 23 de Abril – 11 horas
A ESPERA, de Piero Messina
A diva Juliette Binoche estrela este drama de estreia do italiano Pier Messina como diretor.
Marcado por belíssimas imagens e pela interpretação perfeita de Juliette Binoche e Lou de Laâge, “A Espera” narra a história de uma mãe enlutada, que recebe em sua casa na Sicília a visita da namorada do filho desaparecido. Em estado de desespero, ela mantém a jovem na ignorância enquanto se agarra à sua jovialidade para fugir à sua própria sina.
Messina, que fez parte da equipe de produção do premiado “A Grande Beleza”, faz uma belíssima estreia como diretor.

THE WAIT - CARTAZ_alta

 

Dias 29 e 30 de Abril – 11 horas

PERSONAL SHOPPER, de Olivier Assayas
Este filme estrelado por Kristen Stewart, transita por diferentes gêneros cinematográficos, indo do horror sobrenatural ao thriller psicológico e ao suspense policial.
“Personal Shopper” conta a história de uma jovem americana que mora em Paris e trabalha como “personal shopper” para uma celebridade local. Ela também tem uma capacidade especial para se comunicar com o mundo dos mortos. A moça dividia esse dom com seu irmão, recém-falecido, que parece estar querendo enviar uma mensagem para o mundo dos vivos.
Mais que um filme de suspense ou terror, “Personal Shopper” é uma reflexão sobre o mundo materialista cada vez mais estruturado em torno da ausência, possibilitando o contato entre corpos sem que ambos estejam em um mesmo plano físico, e que, pela legitimação dessa ausência no cotidiano, pode esconder, debaixo das roupas da moda, verdadeiros indivíduos fantasmas.

Personal-Shopper

CinemaFilmes da semana

“O Apartamento”, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 9 de Fevereiro de 2017 0 Comentários

Premiado em Cannes e também destaque na última Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o iraniano “O Apartamento”, novo trabalho de Asghar Farhadi, fala sobre algumas das tradições mais ancestrais da cultura iraniana que parecem permanecer intactas, apesar das grandes mudanças que o país atravessa. Principalmente aquelas tradições que cerceiam a liberdade ou levam à intolerância.

236963
O tema é abordado através da história de um professor e também ator que está montando uma peça americana, “A Morte de um Caixeiro Viajante”, quando sua vida conjugal vira do avesso e ele entra em uma cruzada de vingança. Uma metáfora clara para as contradições da cultura e costumes do Irã contemporâneo.

20170105170442391540e
Ganhador de um Oscar por “A Separação” em 2011, Asghar Farhadi é hoje um dos mais conhecidos diretores iranianos e, segundo ele mesmo, seus filmes carregam sempre a questão da “violência institucionalizada na vida doméstica, um problema que precisamos entender e superar… e não apenas no Irã.

Ficha: Técnica:
Título: O Apartamento
Título Original: Forushande
Direção: Asghar Farhadi
Gênero:: Drama
Elenco: Babak Karimi, Ehteram Boroumand, Emad Emami, Farid Sajjadi Hosseini, Maral Bani Adam, Mehdi Koushki, Mina Sadati, Mojtaba Pirzadeh, Sahra Asadollahe, Sam Valipour, Shahab Hosseini, Shirin Aghakashi, Taraneh Alidoosti
País: Irã
Distribuição: Pandora Filmes
Duração: 125 minutos
Classificação: 12 anos

“O Apartamento” será exibido nos dias 11 e 12 de fevereiro, às 11 horas, no Moviecom Arte.

034075

 

CinemaFilmes da semana

Moviecom ARTE traz “A Comunidade”, de Vinterberg

Postado porTemperos de Cinema 24 de outubro de 2016 0 Comentários

Romper com algumas convenções sociais é para os fortes. Mesmo nos anos 70, quando questionar convenções sociais era a palavra de ordem da então nova ordem mundial. Ou desordem, como preferiam os rippies.
O Moviecom ARTE apresenta nos dias 29 e 30 de outubro, às 11 horas, “A Comunidade”, do badalado diretor dinamarquês Thomas Vinterberg. Já aclamado como um dos melhores do ano, este filme é uma viagem aos anos 70, em clima de paz e amor e ao som de Elton John.


O arquiteto Erik (Ulrich Thomsen) e apresentadora de tv Anna (Trine Dyrholm) são um casal moderno e atento ás grandes transformações pelas quais o mundo passava naquele período. Eles herdam uma grande casa em um elegante bairro de Copenhague e para lá se mudam, levando a filha Freja e um grupo de amigos com o objetivo de montar uma comunidade. Tudo vai bem até que um caso de amor abala o grupo, fazendo com que todos voltem para a realidade.

the-commune-07
O filme tem um fundo autobiográfico. o diretor viveu com seus pais em uma comunidade durante toda a infância. “A Comunidade” não é um filme sobre o amor livre ou outros temas já mostrados anteriormente quando o assunto é os anos 70. Vinterberg mostra o quanto a natureza humana é mais forte que todas as convenções, antigas ou novas, e também a importância dos amigos.

the_commune
Segundo o diretor: “A vida envolve sacrifícios e sofrimentos, não importa o tipo de convivência que criamos para nós. A vantagem do coletivo é que ele torna a vida mais suportável. Os personagens superam um divórcio difícil ou a morte de um filho porque estão vivendo juntos. Não vejo a comunidade como utopia. As pessoas escolheram formas diferentes de viver. Nos anos 1980, buscou-se a liberdade individual, o direito à privacidade. Também são virtudes.”

the_commune_photo_by_christian_geisnaes

 

Ficha Técnica
Título: A Comunidade
Título Original: Kollektivet
Gênero: Drama
Direção: Thomas Vinterberg
Roteiro: Thomas Vinterberg, Tobias Lindholm
Elenco: Adam Fischer, Fares Fares, Helene Reingaard Neumann, Ida Emilie Krarup, Julie Agnete Vang, Lars Ranthe, Lise Koefoed, Mads Reuther, Magnus Millang, Ole Dupont, Rasmus Lind Rubin, Trine Dyrholm, Ulrich Thomsen
Fotografia: Jesper Tøffner
Trilha Sonora: Fons Merkies
Duração: 111 min.
Ano: 2016
País: Dinamarca
Distribuidora: Califórnia Filmes
Não recomendado para menores de 14 anos

049139

Receita da semanaTemperos

HARRY E SALLY… e O SANDUÍCHE INESQUECÍVEL!!!

Postado porTemperos de Cinema 23 de setembro de 2016 0 Comentários

Mais que uma receita de sanduíche, re-assistindo a esse filme, você terá uma receita de como construir um relacionamento.

harry-sally_
“Harry e Sally – Feitos Um Para O Outro” (1989) traz dois amigos que aparentemente discordam em tudo mas que conseguem se mostrar um ao outro realmente como são, sem as “maquiagens” da conquista. Isso faz com que eles, quando se descobrem apaixonados depois de muitos relacionamentos frustrados, estejam apaixonados pela pessoa de “verdade” que o outro é.
E esse é, na minha opinião um ingrediente fundamental para um relacionamento saudável e duradouro.
Filme da década de 80, o figurino é um verdadeiro desfile de ombreiras e preguinhas nas calças, afinal nem tudo é perfeito numa comédia romântica.
O tema orgasmo ainda era um tabu, mas o roteirista descobre uma maneira criativa e divertida de mostrar que as mulheres podem ser especialistas em “fingir” o orgasmo. Em uma cena hilária a protagonista está numa lanchonete comendo um sanduiche e finge um orgasmo, para provar que pode mentir muito bem.
Para ficar ainda mais engraçado, uma outra cliente pede o mesmo lanche que ela, esperando ter a mesma sensação.
Quer experimentar o sanduiche? Não prometemos a mesma sensação do filme, mas com certeza o sanduíche estará delicioso na receita especial da Sandra.


Receita do Sanduiche de Pastrami

Ingredientes:
200 g de pastrami
2 colheres (sopa) de mostarda
2 fatias grossas de pão de centeio
3 pedaços de picles de pepino
3 colheres colheres (sopa) de coleslaw

Ingredientes para a coleslaw
1 cenoura pequena
1/2 repolho branco
1/2 repolho roxo
1 xícara (chá) de creme de leite
1 colher (chá) de suco de limão
4 colheres (sopa) de maionese
1 colher (sopa) de espumante
3 colheres (chá) de açúcar
2 colheres (chá) de mostrada de Dijon
Sal e pimenta

Modo de preparo
Passe todos os legumes já higienizados no ralador (ralo médio) e separe. Em um recipiente, bata o creme de leite com o suco de limão até que fique um pouco mais consistente, porém ainda líquido. Em outra vasilha, misture os demais ingredientes. Depois, acrescente o creme de leite batido e tempere com sal e pimenta. Sirva gelado.

Montagem
Passe a mostarda em uma das fatias do pão de centeio. Sobre a outra fatia, coloque o pastrami e o picles. Feche o sanduíche e acompanhe com a coleslaw.

sanduiche-de-pastrami

 

CinemaFilmes da semana

Amor e Amizade no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 5 de setembro de 2016 0 Comentários

O Moviecom Arte traz esta semana o brilhante filme “Amor e Amizade”, de Whit Stillman, baseado na obra da escritora inglesa Jane Austen.

Filmada à exaustão, a obra da escritora Jane Austen (1775-1817) já rendeu versões cinematográficas maravilhosas como “Orgulho e Preconceito” de Joe Wright (2006) e outras meio questionáveis como “As Patricinhas de Beverly Hills” de Amy Heckerling (1995).

A escritora do período georgiano é famosa pelos personagens fortes, diálogos afiados e pelo tom irônico. “Amor e Amizade” é baseado em um livro pouco conhecido de Jane Austen, “Lady Susan”, uma de suas primeiras obras, onde essas características são bem acentuadas.

amor-c

Ambientado no final do século 18 e começo do século 19, trata-se da história de uma aristocrata falida e viúva recente, buscando resgatar a segurança e o conforto em um segundo casamento e tentando casar a filha. Bela, inteligente e com personalidade forte, Lady Susan é mal vista pelas mulheres e admirada pelos homens.

amor-b

O diretor Whit Stillman preservou a essẽncia austeniana e convidou para o papel principal a atriz Kate Beckinsale, dona de uma beleza aristocrática, grande talento dramático e que já intepretou outro personagem de Jane Austen, na adaptação para TV de “Emma”, também um clássico da autora.

amor-amizade-filme

Whit Stillman parece brincar com o enredo do filme ao mudar o título para “Amor e Amizade”. Há tão pouco desses dois sentimentos na trama que realmente parece uma brincadeira. A personagem principal também está a quilômetros de distância das mocinhas românticas. Lady Susan é quase uma vilã, uma apaixonante predadora social e sentimental, mas sempre muito distinta e vestida de luto, que nutre grande desprezo por todos que a cercam e a moral hipócrita da época.

love

O filme traz ainda interpretações brilhantes de Stephen Fry, Jemma Redgrave, Chloë Sevigny e o desconhecido Tom Bennett, que quase rouba o filme no papel de um homem muito rico mas excessivamente bronco e inconveniente, que garante boas risadas em suas aparições.

296360_pt

Ficha Técnica:

Título: Amor e Amizade

Título Original: Love & Friendship

Gênero: Romance dramático

Duração: 92 min.

País: Estados Unidos e Irlanda

Direção: Whit Stillman

Roteiro: Whit Stillman adaptado da obra de Jane Austen

Elenco: Kate Beckinsale, Stephen Fry, Jemma Redgrave, Chloë Sevigny e Tom Bennett

Distribuidor: Califórnia Filmes

Classificação: 10 anos

Ano: 2016

Cinema

Em Setembro, 4 Mulheres Fantásticas No Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 29 de agosto de 2016 0 Comentários

No mês que marca a entrada da primavera e antecede o outubro rosa, a força feminina é o destaque da programação do Moviecom Arte. São 4 histórias de mulheres completamente diferentes, vivendo em épocas, lugares e situações completamente opostas. No entanto, todas elas são personagens carregadas de força e paixão.

São elas:

NAHID – AMOR E LIBERDADE

00nahid

 

Lançado em julho deste ano, este filme dirigido por Ida Panahandeh se passa na cidade de Teerã dos dias atuais e conta a história de Nahid (Sareh Bayat), uma mulher que consegue ficar com a guarda do filho de 10 anos após obter o divórcio do marido, contrariando as leis iranianas. Para isso Nahid faz um acordo que envolve dinheiro e a condição de que nunca mais se case. Um dia, porém, Nahid se apaixona e teme quebrar as regras do acordo.

DIAS 03 E 04 DE SETEMBRO – 11HORAS

nahid

Não recomendado para menores de 12 anos

__________________________

 

AMOR & AMIZADE

ENTER_LOVE-FRIENDSHIP-MOVIE-REVIEW_2_MCT

 

O norte-americano Whit Stillman assina a direção deste filme ambientado no Século XVIII e estrelado pela bela Kate Beckinsale no papel de Lady Susan Vernon, uma jovem viúva que foge das fofocas sobre seus casos amorosos, buscando refúgio em uma fazenda. Lá reflete sobre a vida e decide arranjar um novo marido e também um bom pretendente para a filha, Frederica (Morfydd Clark). O filme conta ainda com a participação da diva Chloë Sevigny.

 

DIAS 10 E 11 DE SETEMBRO – 11HORAS

296360_pt

Não recomendado para menores de 10 anos

__________________________

 

ESPERANDO ACORDADA

esperando acordada 04 (2)

Uma comédia dramática francesa com direção de Marie Belhomme, Esperando Acordada conta a história de Perrine (Isabelle Carré), uma violinista amadora que ganha a vida tocando em festas de aniversário de crianças e asilos. Um dia, a caminho de um evento para o qual foi contratada, ela se envolve em um acidente de trânsito e foge. No entanto, movida por um forte sentimento de culpa, ela decide tentar ajudar o homem que atropelou quando descobre que ele está em estado coma em um hospital. O filme traz ainda a estrela do cinema espanhol, Carmen Maura.

DIAS 17 E 18 DE SETEMBRO

Esperando-Acordada

Não recomendado para menores de 10 anos

__________________________

 

FLORENCE – QUEM É ESSA MULHER

florence_6

 

Em mais uma atuação espetacular, Meryl Streep vive Florence Foster Jenkins, uma milionária excêntrica que persegue obsessivamente uma carreira para a qual não tem nenhum talento, a de cantora de ópera. Aos seus ouvidos, sua voz é linda, mas para todos os outros é absurdamente horrível. Seu companheiro e amigos fazem de tudo para protegê-la da verdade mas a farsa em risco quando Florence decide fazer uma apresentação no Carnegie Hall.

Florence Foster Jenkins existiu de verdade. Essa figura tão peculiar viveu em Nova York entre 1868-1944. Sua biografia inspirou também o belíssimo Marguerite, do francês Xavier Giannoli, que nós vimos aqui no Festival Varilux de Cinema Francês 2016.

Nesta versão dirigida por Stephen Frears, um dos mais brilhantes diretores britânicos da atualidade, Florence ganha uma versão mais cômica, embora ainda dramática. O filme marca também o retorno de Hugh Grant, mais maduro e mais charmoso do que nunca.

DIAS 24 E 25 DE SETEMBRO

415958

Não recomendado para menores de 10 anos

Temperos

O jovem Che Guevara em “Diários de Motocicleta”

Postado porTemperos de Cinema 25 de agosto de 2016 0 Comentários

Todo mito nasce homem comum e se torna mito por suas realizações ou por suas ideias. O filme que inspirou a receita do Espaguete Com Mexilhões em Temperos de Cinema é “Diários de Motocicleta”, que mostra o homem Che Guevara antes de se tornar um mito.

x950

Em 1951, Che ainda era Ernesto Guevara De La Serna, um rapaz de 23 anos prestes a se formar em medicina, que resolveu fazer uma viagem de motocicleta pelos confins da América Latina, em companhia de seu amigo Alberto Granado.

Essa viagem foi registrada em livro pelo próprio Ernesto e a experiência influenciou toda a carreira política que o transformaria em Che, um guerrilheiro marxista e um dos principais idealizadores da revolução cubana.

diario-de-motocicleta

O livro foi transformado em filme em 2004, com direção do brasileiro Walter Salles e uma produção conjunta de diversos países e envolvendo nomes de peso da indústria cinematográfica como  Robert Redford, Paul Webster, Rebecca Yeldham, Edgard Tenenbaum, Michael Nozik, Karen Tenkoff, Daniel Burman e Diego Dubcovsky.

Muito fiel ao livro, Salles fez um filme que se tornou um clássico do cinema latino-americano, narrando com clareza um momento histórico muito difícil onde a maioria dos países estava sob governos ditadores e os povos vivendo na mais completa miséria e vítimas de exploração.

Diarios-de-Moto-03

O galã Gael Garcia Bernal interpreta o jovem Ernesto. Ele já havia interpretado Che Guevara em 2002 na miniserie Fidel. O companheiro de viagem é interpretado pelo ator argentino Rodrigo De La Serna, coincidentemente primo de segundo grau do próprio Ernesto Guevara.

“Diários de Motocicleta” teve 2 indicações ao Oscar e ganhou a estatueta de Melhor Canção. Ganhou o BAFTA 2005 como Melhor Filme Estrangeiro, ganhou 3 prêmios no Festival de Cannes 2004, o Goya 205 como Melhor Roteiro Adaptado e no Independent Spirit Awards 2005 venceu na categoria de Melhor Filme e Melhor Estreia (Rodrigo De la Serna).

Assista o filme completo:

 

Ficha Técnica

Título: Diário de Motocicleta

Título Original: The Motorcycles Diaries

Genero: Drama Autobiográfico

Direção: Walter Salles

Roteiro: Adaptado por José Rivera da obra original de Ernesto Guevara

Produção: Argentina, Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, Chile, Peru e França

Elenco: Gael Garcia Bernal, Rodrigo De La Serna, Mercedes Morán, Lucas Oro, Marina Glezer, Diego Giorzi e Mia Maestro.

Título: Diarios de Motocicleta.

 

Receita da semanaTemperos

Omelete de Cogumelos do Filme “A 100 Passos de Um Sonho”

Postado porTemperos de Cinema 29 de julho de 2016 0 Comentários

A receita desta semana não poderia ser mais simples e nem mais deliciosa. A chef Sandra Romansini nos ensina a fazer um omelete de cogumelos, que mistura toques franceses e indianos, inspirado no filme “A 100 Passos de Um Sonho” (2014), dirigido por Lasse Hallström e estrelado por Helen Mirren em uma atuação irretocável.

Veja o passo a passo do preparo no vídeo e copie a receita abaixo:

OMELETE
Ingredientes
2 ovos
1/2 xícara (chá) de cogumelos shitake, Shimeji, Paris
1 fatia fina de presunto cru cortada em quadradinhos pequenos
2 dentes de alho
Azeite
1 colher (sopa) de leite
Sal
Pimenta preta moída a gosto
100 g Queijo ralado Parmesão
Modo de preparo:
Lave bem os cogumelos e corte-os em fatias finas.
Leve ao fogo uma frigideira com um fio de azeite e salteie os cogumelos, os alhos picados e o presunto.
Mexa de vez em quando, até os cogumelos ficarem macios.
Tempere de sal e pimenta e reserve.
Misture os ovos com o leite e bata um pouco.
Noutra frigideira, aqueça 1 a 2 colheres (chá) de azeite e coloque os ovos batidos.
Cozinhe durante uns instantes.
Em seguida coloque por cima a mistura de cogumelos e o queijo.
Enrole os lados da omoleta para cima e depois volte-a.