Tag

#cinema

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Confira os filmes do mês no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 28 de novembro de 2018 0 Comentários

DIAS 01, 02 E 04 DE DEZEMBRO
MUSEU
de Alonso Ruizpalacios

Trazendo o galã mexicano Gael García Bernal em uma de suas melhores performances o longa “Museu”, do diretor Alonso Ruizpalacios, abre a programação de dezembro do Moviecom Arte.
Gael interpreta Juan Núñes, um tolo e jovem funcionário do Museu Nacional de Antropologia da Cidade do México. De tanto fotografar as relíquias milenares e de valor incalculável do museu, Juan acaba tendo a ideia de roubar algumas delas e convida para tal façanha seu amigo e também atrapalhado Benjamin Wilson, personagem interpretado élo também brilhante Leonardo Ortizgris.
Baseado em fatos reais o filme recria a história de um crime que se deu na noite de Natal de 1985. Os dois jovens invadem o prédio e roubam 140 peças pré-hispânicas de suas vitrines, como a máscara do Rei Pakal. Após o improvável mas bem sucedido roubo eles fogem buscando um comprador para peças tão raras.
A dupla de atrapalhados ladrões é tão adorável que é impossível não torcer por eles no decorrer da trama. A sensibilidade de Alonso Ruizpalacios e o belo roteiro escrito por Manoel Alcalá, constroem com delicadeza o universo do personagem, um rapaz de classe média que mora em uma cidade satélite da Cidade do México.
O roteiro foi premiado com o Urso de Prata no Festival de Berlim deste ano e aborda assuntos “polêmicos” como os males causados pelo colonialismo e pelo capitalismo aos bens culturais e questiona a função social dos museus.
Não recomendado para menores de 16 anos

DIAS 08, 09 E 11 DE DEZEMBRO
INFILTRADO NA KLAN
de Spike Lee

“Infiltrado na Klan” marca o retorno do cultuado diretor norte-americano Spike Lee aos grandes filmes que marcaram sua trajetória no cinema.
Com roteiro desenvolvido pelo próprio Lee junto com Charlie Wachtel, David Rabinowitz e Kevin Willmott, a partir do livro escrito por Ron Stallworth, este filme é uma homenagem a Blacksploitation – um movimento cinematográfico dos EUA que surgiu na década de 70, quando diretores e atores negros começaram a produzir uma série de filmes.,
A trama se passa em 1978 e conta a real história de Ron Stallworth (John David Washington), um policial negro do Colorado que conseguiu se infiltrar na Ku Klux Klan, organização extremista e reacionária que defende temas como a supremacia branca, o nacionalismo branco, a anti-imigração, historicamente expressos através do terrorismo voltado contra negros, judeus e católicos.
Por ser negro obviamente Ron não participava das reuniões do grupo pessoalmente. Quem se apresentava em seu lugar nessas reuniões era seu parceiro e também policial Flip Zimmerman (Adam Driver). Os dois chegam aos níveis mais altos da organização
A obra está recheada de cenas onde o preconceito é representado de uma maneira caricata, mas o que parece loucura é um retrato cada vez mais próximo e fiel da nossa realidade atual e isso faz de “Infiltrado na Klan” um dos filmes mais importantes do ano e foi o vencedor do Grande Prêmio do Juri no Festival de Cannes.
Não recomendado para menores de 14 anos.

DIAS 15, 16 E 18 DE DEZEMBRO
EM CHAMAS
de Chang-Dong Lee

O diretor sul-coreano Chang-Dong Lee é um dos mais aclamados pela crítica e presença obrigatória nos mais importantes festivais de cinema.
O mais recente trabalho do diretor é “Em Chamas”, um drama psicológico de suspense, que se desenvolve em torno de um misterioso desaparecimento e possível assassinato da namorada de um rapaz humilde de uma região rural do país.
O cinema de crime faz parte da carreira do diretor Chang-dong, mas em “Em Chamas” é a possibilidade de ter existido ou não um crime que move a narrativa que nos leva aos limites da certeza para então revelar aspectos que mudam completamente a história.
Em Chamas tem todas as qualidades de um bom suspense. A trama é lenta mas envolve o público desde o início, graças também à excelente interpretação de seu trio de protagonistas, especialmente Yoo Ah-in, numa interpretação perfeita em seu caráter dúbio; e também do carismático Steven Yeun, grande chamariz internacional do filme.
Com sua narrativa profunda e propositalmente inócua, diferente da escola de thrillers sul-coreanos, “Em Chamas” é menos tensão e mais reflexão.
Não recomendado para menores de 14 anos.


DIAS 22, E 23 DE DEZEMBRO
PO
de John Asher

Duas histórias paralelas, intrinsecamente ligadas e influenciando uma à outra. Um garoto autista que cada vez mais se fecha em seu próprio mundo, e seu pai David, que acaba de perder sua esposa e enfrenta o medo de tudo o que vem pela frente.
Essa é a trama de “Po”, o premiado drama dirigido por John Asher.
A dificuldade dos dois personagens em lidar com o mundo à sua volta nos leva a uma profunda reflexão sobre a importância dos vínculos familiares. Uma história triste e repleta de clichês mas também carregada de delicadezas e aprendizado, tornando impossível passar por ela sem se envolver profundamente.
O autismo sempre recebe tratamentos redutivos e condescendentes no cinema, com crianças prodigiosas exibindo excentricidades adoráveis, gênios matemáticos ou musicais deslumbrantes.. “Po” evita essas armadilhas. E é bem realista ao mostrar o pesadelo burocrático, sistemas escolares sobrecarregados, múltiplos terapeutas, a luta com o seguro de saúde e até a insensibilidade dos patrões.
O papel do garoto autista é interpretado pelo ator Julian Feder, em um desempenho que desde o começo cativa até os mais durões dos expectadores, o que lhe rendeu os prêmios de Melhor Ator no Young Artist Awards, WorldFest Houston e Albuquerque Film & Music Experience.
“Po” conta ainda com uma belíssima trilha assinada por ninguém menos que Burt Bacharach, que há 17 anos não compunha uma trilha original para o cinema.


DIAS 29 E 30
O QUEBRA CABEÇAS
de Marc Turtletaub

Baseado no filme Rompecabezas, dirigido pela cineasta argentina Natalia Smirnoff em 2009, “O Quebra Cabeça” é o segundo longa do diretor Marc Turtletaub, mais conhecido por seu trabalho como produtor em filmes como “A Pequena Miss Sunshine” e “Loving”.
O roteiro assinado por Oren Moverman conta a história de uma meticulosa e obcecada dona de casa suburbana, religiosa, dedicada a cuidar da organização e limpeza de seu lar, além de alimentar pontualmente marido e filhos.
Interpretada por Kelly Macdonald, Agnes é uma personagem em busca de um elo de ligação entre a lógica e a emoção. E isso acontece quando em seu aniversário de 40 anos ganha um quebra-cabeças de mil peças e descobre, enfim, seu grande talento matemático e geométrico, que a possibilita resolver rapidamente o desafio.
Isso provoca uma grande reviravolta em sua vida e em seus sentimentos. atingindo seu casamento, o relacionamento com os filhos e a amizade com Robert (Irrfan Khan), aspirante a montador profissional de quebra-cabeças que procura por uma parceira de jogo.
Quando a personagem resolve sair de sua estagnante rotina e ir em direção ao seu sonho, percebe que as peças do seu quebra-cabeças pessoal estavam todas soltas e não mais se encaixavam naquele cenário de antes.
Não recomendado para menores de 12 anos

Atenção nos dias 25 de dezembro e 01 de janeiro não haverá sessão do Moviecom Arte

________________________________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

O Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

Extras

Festa a Fantasia no Yellow Pub

Postado porTemperos de Cinema 19 de novembro de 2018 0 Comentários

Com o tema “Cinema, a melhor fantasia”, a festa temática do Moviecom Arte / Temperos de Cinema realizada no Yellow Pub no dia 26 de outubro foi um grande sucesso.
Com tapete vermelho na entrada, luzes e estatueta do Oscar, o Yellow Pub recebeu os 220 participantes que capricharam na fantasia e abrilhantaram essa festa que teve sua renda em benefício do grupo Faz Bem Fazer o Bem.
Além de muito divertida, como você pode ver nas fotos oficiais da festa que você pode ver aqui neste post, ficamos muito felizes em informar que o valor arrecadado possibilitou a compra de 35 cestas básicas que farão a alegria de muitas pessoas carentes neste final de ano.
E já estamos ansiosos pela festa do ano que vem!

 

 

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Programação de Novembro no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 31 de outubro de 2018 0 Comentários

Filmes com conteúdo político dominam a cena independente. Os recentes acontecimentos históricos e as consequências deles na sociedade contemporânea são abordados de diversas formas pelos mais importantes cineastas do momento.
O cinema cumpre seu papel na preservação de nossa história e trazendo elementos importantes no processo da nossa construção como cidadãos políticos.
A programação de novembro traz 3 brilhantes trabalhos de alguns dos mais cultuados diretores da atualidade e que seguem o viés político. E traz também uma comédia romântica, super despretenciosa e divertida.


Dias 03, 04 e 06 de novembro
“Primavera em Casablanca”
de Nabil Ayouch

Ambientado na mítica cidade de Casablanca o filme estabelece um poderoso retrato histórico do Marrocos nos últimos 40 anos. Mas os sentimentos personificados por seus personagens, bem como os problemas que eles vivem, surgem muito familiares a todos nós.
Nabil Ayouch dirige com incrível sensibilidade o roteiro escrito a quatro mãos com sua esposa e atriz Maryam Touzani, protagonista do filme. Juntos eles descrevem a vida de cinco personagens enfrentando conflitos como o aborto, o machismo, a prostituição, as drogas, a violência doméstica, o preconceito contra artistas, a desigualdade social, os conflitos raciais, as manifestações políticas, a brutalidade policial, a desilusão dos idosos, a cegueira dos adultos, a indiferença dos jovens…
Tudo isso no entanto não é retratado de modo panfletário ou monolítico. Muito menos se propõe a oferecer soluções para problemas tão complexos. “Primavera em Casablanca” fala de forma muito poética sobre vidas humanas que se misturam a um panorama político. E o pensar político começa em compreender as histórias das pessoas atingidas por ela.
Tão maravilhoso quanto necessário, “Primavera em Casablanca”, de Nabil Ayouch, será exibido nos dias 03 e 04 de novembro às 11 horas e no dia 06 de novembro às 14 horas.

Dias 10, 11 e 13 de novembro
“Uma Noite em 12 Anos”
de Álvaro Brechner

Relembrar o passado para que o futuro não mais se corrompa, esta é a proposta de “Uma Noite em 12 Anos”, do diretor uruguaio Álvaro Brechner.
O filme conta a história de três jovens, líderes de um grupo que se opunha ao governo militar no Uruguai, os escritores e jornalistas Eleuterio Fernández Huidobro e Mauricio Rosencof, e o agricultor e político José Alberto Mujica Cordano, que mais tarde se tornou presidente do Uruguai. Eles foram presos e violentamente torturados durante 4.500 dias.
Trata-se de um drama bastante pesado e tudo fica ainda mais intenso ao sabermos que as situações reproduzem fatos reais, ocorridos em um passado não muito distante, aqui mesmo pertinho da gente.
O elenco é liderado por 3 grandes atores sul americanos: Alfonso Tort, Chino Darín e Antonio de la Torre. Eles se submetem a severas transformações físicas para dar ainda mais veracidade à narrativa.
Essencial inclusive para nos ajudar a preservar o nosso presente, este é o fime que o Moviecom Arte apresenta nos dias 10, 11 e 13 de novembro.


Dias 17, 18 e 20 de novembro
“Juliet, Nua e Crua”
de Jesse Peretz

Estrelada por Rose Byrne, Chris O’Dowd e Ethan Hawke, “Juliet, Nua e Crua” é uma comédia romântica baseada no livro homônimo de Nick Hornby.
Rose Byrne interpreta uma mulher que está saindo de um relacionamento de 15 anos e busca um recomeço. Curiosamente, começará um romance com o ídolo do seu ex-marido, o rockstar Tucker Crowe (interpretado por Ethan Hawke), que já não faz mais tanto sucesso. O papel do fã traído fica com Chris O’Dowd.
Ao contrário do que se pode esperar de uma comédia romântica, a trama foca na história de cada um dos 3 personagens e se mostra muito mais propensa a discutir os reveses da vida do que contar uma história de amor.
Você poderá ver “Juliet, Nua e Crua” no Moviecom Arte dos dias 17 e 18 às 11 horas e no dia 20 às 14 horas.


Dias 24, 25 e 27 de novembro
“A Ilha dos Cachorros”
de Wes Anderson

Um dos mais badalados cineastas europeus da atualidade, Wes Anderson criou um simpático elenco de caninos para abordar temas como xenofobia, polarização e militarização.
Visualmente impecável e com uma estética ultra moderna, “A Ilha dos Cachorros” vem carregado de referências bem ao estilo de Anderson que desta vez mostra uma nítida influência da cultura japonesa e nos filmes de animação de Hayao Miyazaki.
Na trama, o prefeito de Megasaki resolve banir todos os cães dessa cidade fictífica japonesa. Tirânico e fã de gatos, ele envia os cachorros para uma ilha cheia de lixo. Segundo ele, o objetivo é evitar que o surto de gripe canina prejudique os humanos.
O sobrinho órfão do político não gosta da ideia de perder seu animal de estimação. Então, o garoto de 12 anos sai em busca de seu cachorro Spots, acompanhado de outros cães da ilha.
Outro detalhe curioso do filme é a personagem chamada Yoko Ono e que é dublada pela própria Yoko Ono. Dando suas vozes aos persoNAgens de animação estão também: F. Murray Abraham, Scarlett Johansson, Tilda Swinton e Akira Ito, entre muitas outras celebridades do cinema.
Você não pode perder “A Ilha dos Cachorros”, de Wes Anderson, no Moviecom, dias 24 e 25 às 11 horas e no dia 27 às 14 horas.PROGRAMAÇÃO, NOVEMBRO, POLÍTICA,

_________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

O Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

Receita da semanaReceitasTemperos

Pudim de Leite

Postado porTemperos de Cinema 28 de outubro de 2018 0 Comentários

Fechando o cardápio de receitas inspiradas nas cores de Almodóvar, apresentamos a sobremesa, o Pudim da Raimunda, uma versão personalíssima da chef Sandra Romansini para o clássico Pudim de Leite.
Vamos à receita?

INGREDIENTES
Calda:
1 xícara (chá) de açúcar
Pudim:
1 Leite condensado lata ou caixinha)
3 ovos
MODO DE PREPARO
Calda:
1 Em uma panela de fundo largo, derreta o açúcar até ficar dourado.
2 Junte meia xícara (chá) de água quente e mexa com uma colher.
3 Deixe ferver até dissolver os torrões de açúcar e a calda engrossar.
4 Forre com a calda uma forma com furo central (19 cm de diâmetro) e reserve.
Pudim:
5 Em um liquidificador, bata todos os ingredientes do pudim e despeje na forma reservada.
6 Cubra com papel-alumínio e leve ao forno médio (180°C), em banho-maria, por cerca de 1 hora e 30 minutos.
7 Depois de frio, leve para gelar por cerca de 6 horas. Desenforme e sirva a seguir.
DICAS:
– É essencial que o pudim seja preparado em banho-maria para que asse de forma lenta e controlada, para atingir a textura ideal.
– Para que o seu pudim não forme furinhos, verifique se a temperatura do forno está regulada conforme indicação da receita. Leve a forma ao forno na grade superior, longe da chama.

Receita da semanaReceitasTemperos

A Culinária Espanhola e As Cores de Almodóvar

Postado porTemperos de Cinema 5 de outubro de 2018 0 Comentários

Neste mês de Outubro o Temperos de Cinema traz um cardápio que homenageia a culinária espanhola e todo inspirado nas cores de Almodóvar, um de seus mais famosos cineastas.
O filme escolhido é “Volver”, de 2006, estrelado pela diva Penélope Cruz e que tem todos os elementos que caracterizam os filmes de Pedro Almodóvar.

Como sempre, nosso cardápio começa pela entrada e hoje a chef Sandra Romansini ensina a preparar um Gaspacho, uma sopa fria muito popular na região de Andaluzia e que tem sua origem datada por volta do século XVII como um prato das camadas menos favorecidas. Aos poucos o Gaspacho se tornou um dos pratos mais apreciados da gastronomia espanhola.
De quebra, a chef Sandra Romansini nos ensina também a preparar uma Sangria, bebida que está para a gastronomia espanhola como a caipirinha está para nossa.
E, convenhamos, cozinhar bebericando um bom drink torna a experiência ainda mais prazerosa, não é mesmo?

Receita de Gaspacho

Ingredientes:
500 g de tomate maduro firme, sem pele e sem sementes
1 pimentão vermelho médio em cubinhos
1 pimentão amarelo em cubinhos
1/2 pimentão verde em cubinhos
½ pepino em cubinhos
200 ml de suco de tomate
Sal a gosto
Pimenta a gosto
100 gramas de azeite de oliva extra-virgem.
10 g alho
1 fatia de pão amanhecido picado.
Tabasco a gosto
Suco de 1 limão Taiti

Modo de preparo:

Separe todos os ingredientes.

Em um liquidificador coloque:
O suco, os tomates, tempere com sal e pimenta, acrescente 1 parte do pimentão vermelho, verde e amarelo e uma parte de pepino em seguida coloque o pão, tempere com limão e fio de azeite e bata bem até que fique cremoso e homogêneo e todos os ingredientes se misturem.
Disponha em pratos de sopa, cumbuca ou taças, decorando com pimentões, um fio de azeite .
Sirva gelado!

Receita de Sangria

Ingredientes:
300 ml Vinho tinto seco
200 ml de água com gás
1/2 maçã verde
1/2 cacho pequeno de uva verde
1/2 cacho de uva roxa
5 morangos fatiados
1 fatia de abacaxi
2 rodelas de laranja
2 paus canela
2 colheres de açúcar

Modo de preparo:
Em uma jarra coloque o vinho, a água, as frutas, adoce com açúcar e coloque a canela
Coloque gelo a gosto e sirva gelado

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Programação de Setembro no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 31 de agosto de 2018 0 Comentários

Setembro marca a chegada da primavera com dias mais quentes, mais iluminados e mais coloridos e a programação do Moviecom Arte traz as mais finas flores da estação na Sétima Arte. Uma seleção de filmes lançados recentemente feita especialmente para você que é apaixonado por cinema.

DIAS 01, 02 E 04 DE SETEMBRO
Título : O ORGULHO
Direção: Yvan Attal
Este filme rendeu a Neïla Salah o César de Melhor Atriz Revelação por sua interpretação da personagem Camélia Jordana, uma moradora do subúrbio de Paris que quer ser advogada e desde o primeiro dia de aula na universidade entra em confronto com um professor veterano arrogante, preconceituoso e famoso por seus ataques explosivos. Filmado pelos alunos fazendo comentários extremamente grosseiros e racistas, ele é desafiado a preparar Neïla para vencer um concurso acadêmico de retórica em troca de uma segunda chance de seus superiores. As diferenças são muitas, assim como é enorme a quantidade de ensinamentos que um pode oferecer ao outro mas há muitas barreiras ente eles a serem vencidas.
‘O Orgulho’ do diretor franco-israelense Yvan Attal, aborda a intolerância e o poder das palavras.

DIAS 08, 09 E 11 DE SETEMBRO
Título : OS 50 SÃO OS NOVOS 30
Direção: Valérie Lemercier
Uma comédia de ficção cheia de realidade. A francesa Valérie Lemercier dirige e atua em “Os 50 São Os Novos 30”, onde ela interpreta Marie-Francine, uma mulher que aos 50 anos está muito velha para o seu emprego e para o marido, que a troca por uma mulher mais nova. Ela volta a morar na casa dos pais, que a tratam de forma infantilizada, e começa a trabalhar em uma pequena loja de cigarros eletrônicos, onde finalmente conhecerá Miguel (Patrick Timsit). Sem admitir, ele está na mesma situação que ela. Com a paixão emergente, eles precisam abrigar o novo amor sem que nenhum dos dois tenha uma casa própria.


DIAS 15, 16 E 18 DE SETEMBRO
PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NO DIA 15 – ANIVERSÁRIO DO MOVIECOMARTE
Título : CAFÉ
Direção: Cristiano Bortone
Neste filme o diretor e roteirista italiano Cristiano Bortone conta três histórias em diferentes lugares do mundo, todas ligadas por um elemento simbólico: O café.
Na Bélgica, durante um tumulto, a loja de Iraqi Hamed (Hichem Yacoubi) é saqueada. Seu precioso pote de café é roubado e ao descobrir o responsável ele decide fazer justiça com as próprias mãos. Na Itália, Renzo (Dario Aita), apaixonado barista, se envolve no roubo de uma fábrica e as coisas saem do controle. Na China, Ren Fei (Fangsheng Lu), gerente bem-sucedido, é designado para cuidar de fábrica que ameaça poluir um vale em Yunnan, bela região na fronteira com o Laos.
As tramas vão se alternando ao longo do filme sem confundir o público. A sequência cronológica permite acompanhar cada uma das histórias com a mesma intensidade e envolver-se nas respectivas situações e conflitos. Com um certo tom de suspense em certos momentos, a obra constitui um drama que assim como a bebida pode ser um pouco amargo mas é prazeroso no final.

DIAS 22, 23 E 25 DE SETEMBRO
Título : TROCA DE RAINHAS
Direção: Marc Dugain
O diretor francês Marc Dugain traz o livro de Chantal Thomas para uma produção suntuosa, que recria em detalhes a vida na corte francesa do século XVIII.
A trama se passa em 1721. Para manter a paz entre França e Espanha após anos de guerra, o Regente do Reino da França, Philippe d’Orléans (Olivier Gourmet), propõe uma troca de princesas que resulta no noivado do rei da França, Louis XV com Anna Maria Victoria, então com 11 e 4 anos respectivamente; e do príncipe herdeiro Louis com Louise-Elisabeth d’Orleans, com 11 e 12 anos respectivamente. A chegada das jovens princesas ameaça os jogos de poder na Corte.

DIAS 29 E 30 DE SETEMBRO e 02 DE OUTUBRO
Título : EGON SCHIELE
Direção: Dieter Berner
Talvez voc~e nunca tenha ouvido falar de Egon Schiele, apesar da sua importância para o mundo das artes. Sua vida foi bem curta (morreu com apenas 28 anos, há exatamente um século – em 31 de outubro de 1918) mas ele não passou por este mundo sem fazer barulho. Seu trabalho fortemente marcado pelo erotismo, ainda hoje é tido como pornográfico mas na época foi perseguido e renegado, transformando-o em um artista maldito e ao mesmo tempo uma celebridade, um pop star com seguidores fervorosos.
Em “Egon Schiele: Morte e a Donzela”, o diretor austríaco Dieter Berner faz um interessante estudo sobre o artista, sua vida e obra ambas tão emblemáticas, que até hoje provoca grandes controvérsias.

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

O Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

Receita da semanaReceitasTemperos

Sopa de Frango com Nozes

Postado porTemperos de Cinema 10 de agosto de 2018 0 Comentários

A segunda receita do cardápio inspirado no filme “Casablanca” é uma deliciosa sopa de frango com nozes. A chef Sandra Romansini nos ensina o passo a passo deste prato capaz de despertar paixões tão intensas quanto a de Ingrid Bergman e Humphrey Boggart neste clássico do cinema.

Receita: Sopa de frango com Castanhas e Amêndoas

Ingredientes:

100 ml de óleo de canola ou girassol
50 g de cebola picada
25 g de alho picado
400 g de peito, coxa e sobrecoxa de frango em cubos
2 envelopes de açafrão em pó ou pisticulo
4 litros de caldo de frango
40 g de gengibre fresco picado
5 g de cominho
1 colher fresco coentro picadinho
150 g de nozes
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:

Em uma panela aqueça o óleo de canola, doure o alho e a cebola, junte o frango e doure até ficarem crocantes, tempere com cominho, açafrão, e junte o caldo.
Deixe cozinhar bem até que estejam macios e tenros por último adicione as nozes e o coentro.
Sirva acompanhado de pão sírio.

Receita da semanaTemperos

Salada com Cuscuz Marroquino

Postado porTemperos de Cinema 4 de agosto de 2018 0 Comentários

Um clássico entre os clássicos, o filme “Casablanca”, de 1942, inspirou a nova série de receitas do Temperos de Cinema e foi o tema de mais um jantar temático da nossa Confraria.
A chef Sandra Romansini criou um cardápio que reproduz a paixão e o fascínio do filme estrelado por Ingrid Bergman e Humphrey Boggart e ambientado na mítica cidade marroquina.
E a receita que abre essa nova série é uma entrada surpreendente, deliciosa e super fácil de fazer, uma salada com cuscuz marroquino.
Coloque “As Time Goes By” para tocar e aproveite!

Receita de uma Salada com Cuscuz Marroquino

Ingredientes da Salada:
200 g Mini Pepinos lavados fatiados
100 g de pepinos japoneses descascados em cubos
200 g de morangos
50 g de tâmaras fatiadas
6 talos de cebolinhas francesas fatiadas
Pitada de sal
Pimenta do reino a gosto
Hortelã picadinha
Folhas de hortelã inteiras para decorar

Preparo da salada:
Misture cuidadosamente todos os ingredientes e tempere com sal e pimenta. Reserve.

Ingredientes para o Cuscuz Marroquino:

100 g de cuscuz marroquino demolhado com caldo de legumes por 30 minutos
Sal a gosto
Pimenta do reino agosto

Para o molho

200 ml de iogurte natural
50 ml de mel
2 colheres de hortelã picados

Preparo do molho:

Misture todos os ingredientes e reserve em geladeira

Montagem

Coloque no fundo de uma taça o cuscuz marroquino, disponha a salada de pepinos e morangos e regue com o molho de iogurte.

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Nos Vemos no Paraíso, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 1 de agosto de 2018 0 Comentários

“Roaring Twenties” é um termo usado para se referir aos anos 20, uma década de efervescência cultural em Nova York, Chicago, Paris, Berlim, Londres e em muitas outras grandes cidades, durante uma época de sustentada prosperidade econômica depois da Primeira Guerra Mundial.
E é nessa época de muitos excessos, associada à modernidade e uma ruptura com as antigas tradições, que o diretor francês Albert Dupontel ambienta a farsa melodramática “Nos Vemos no Paraíso” que o Moviecom Arte apresenta abrindo a temporada de agosto.


Dupontel sempre atua nos filmes que dirige e em “Nos Vemos no Paraíso” ele é Albert Maillard, personagem que narra a trama centrada na amizade e parceria com Édouard Péricourt (Nahuel Pérez Biscayart). Vindos de mundos opostos, Albert é um simples proletário, enquanto o jovem Édouard é um artista e aristocrata com sérios problemas de relacionamento com seu pai. Os dois se conhecem na guerra e quando ela acaba Albert passa a cuidar de Édouard que, desfigurado, simula a própria morte e passa a viver recluso criando máscaras fantásticas.


A dupla cria um golpe para fraudar a construção de um memorial aos mortos da região, idealizado pelo pai de Édouard, ao mesmo tempo em que Maillard tenta desmascarar o mercenário Tenente Pradelle, um oficial que fez fortuna com as centenas de corpos das vítimas da guerra.


Além de Albert Dupontel e Nahuel Pérez Biscayart o filme traz um elenco notável: Laurent Lafitte, Niels Aretrup, Emile Déquenne, Mélanie Thierry, Héloise Balster, André Marcon, Michel Uillermoz
Com sete indicações ao Cesar (o Oscar francês), “Nos Vemos no Paraíso” ganhou os prêmios de melhor direção, melhor roteiro, melhor fotografia, melhor figurino e melhor direção de arte. Aliás, a primorosa direção de arte de Pierre Queffelean e a fotografia espetacular de Vincent Mathias são os grandes destaques deste filme imperdível.


“Nos Vemos no Paraíso” é o filme da semana no Moviecom Arte e você poderá assistí-lo nos dias 04 e 05 de agosto às 11 horas e no dia 07 de agosto às 14 horas no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundaí.

Ficha Técnica
Título: Nos Vemos no Paraíso
Título Original: Au Revoir Là-Haut
Nacionalidade: França
Gênero: Comédia dramática
Ano de produção: 2017
Estréia: 5 de julho de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 57min
Classificação: 16 anos
Elenco: Nahuel Pérez Biscayart, Albert Dupontel, Laurent Lafitte, Niels Arestrup, Émilie Dequenne, Mélanie Thierry
Direção: Albert Dupontel
Roteiro: Albert Dupontel, Pierre Lemaitre
Produção: Catherine Bozorgan
Trilha sonora: Christophe Julien
Direção de fotografia: Vincent Mathias
Edição: Christophe Pinel
Design de produção: Pierre Queffelean
Direção de arte: Lilith Bekmezian
Figurino: Mimi Lempicka
Estúdios: Stadenn Prod, Manchester Films, Canal+, Ciné+, France Télévisions
Distribuição: Pandora Filmes

 

Extras

Casablanca, O Cardápio

Postado porTemperos de Cinema 26 de julho de 2018 0 Comentários

O próximo cardápio do Temperos de Cinema está quase pronto e deve estrear em breve. A inspiração para as receitas vem do filme “Casablanca”, de 1942, dirigido por Michael Curtiz e estrelado por Ingrid Bergman e Humphrey Bogart.


Considerado um dos maiores filmes da história do cinema americano, foi a grande sensação do Oscar em 1943, levando o prêmio de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Edição e Melhor Trilha Sonora.


Lançado no auge da Segunda Guerra Mundial, “Casablanca” conta a história de Rick Blaine, um americano amargo e cínico que vive e trabalha em Casablanca, onde tem um badalado café. Rick’s Café é frequentado tanto por nazistas, funcionários franceses, quanto por refugiados e criminosos. Um belo dia, Ilsa Lund, o grande amor do passado de Rick, aparece em seu bar ao lado do marido, Victor Laszlo, herói da resistência tcheca. O reencontro dos ex-amantes reacende o amor entre eles.


A maravilhosa canção As Time Goes By, escrita por Herman Hupfeld em 1931, tornou-se internacionalmente famosa depois de cantada pelo personagem Sam (Dooley Wilson) e foi eleita pelo American Film Institute como a segunda música de filme mais importante de todos os tempos.


Aliás, “Casablanca” ocupa lugar de destaque em todas as listas sobre os mais importantes filmes da história do cinema.
Várias cenas e frases do filme se tornaram icônicas. Entre elas a cena onde Ingrid Bergman diz “play it again, Sam”, quando pede a Dooley Wilson para tocar A Time Goes By. O mais curioso sobre essa frase, é que ela nunca foi dita no filme.
Outra cena e frase famosas, é despedida dos personagens de Humphrey Bogart e Ingrid Bergman, em que ela pergunta “e quanto a nós?”, ao que ele responde dizendo “nós sempre teremos Paris”.


O cineasta Woody Allen é tão apaixonado por “Casablanca” que em 1972 estrelou um filme chamado “Play It Again, Sam”, dirigido por Herbert Ross, recheado de aparições fantasmas de Bogart dando conselhos sobre como tratar as mulheres.
Em 1979, Allen voltaria a citar “Casablanca” nas cenas finais do filme “Manhattan”, colocando a frase “sempre teremos Paris” na despedida dos personagens Isaac e Tracy, interpretados por ele mesmo e Mariel Hemingway.
Mais uma curiosidade sobre o filme: O papel imortalizado por Bogart, a princípio fora entregue ao então ator Ronald Regan que, felizmente foi convocado pelo exército para ir para o front e não pode aceitar o convite.

Prepare-se para viver grandes paixões no novo cardápio do Temperos de Cinema inspirado nesse grande sucesso do cinema.