Tag

#cinema

Receita da semanaReceitasTemperos

Sopa de Frango com Nozes

Postado porTemperos de Cinema 10 de agosto de 2018 0 Comentários

A segunda receita do cardápio inspirado no filme “Casablanca” é uma deliciosa sopa de frango com nozes. A chef Sandra Romansini nos ensina o passo a passo deste prato capaz de despertar paixões tão intensas quanto a de Ingrid Bergman e Humphrey Boggart neste clássico do cinema.

Receita: Sopa de frango com Castanhas e Amêndoas

Ingredientes:

100 ml de óleo de canola ou girassol
50 g de cebola picada
25 g de alho picado
400 g de peito, coxa e sobrecoxa de frango em cubos
2 envelopes de açafrão em pó ou pisticulo
4 litros de caldo de frango
40 g de gengibre fresco picado
5 g de cominho
1 colher fresco coentro picadinho
150 g de nozes
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:

Em uma panela aqueça o óleo de canola, doure o alho e a cebola, junte o frango e doure até ficarem crocantes, tempere com cominho, açafrão, e junte o caldo.
Deixe cozinhar bem até que estejam macios e tenros por último adicione as nozes e o coentro.
Sirva acompanhado de pão sírio.

Receita da semanaTemperos

Salada com Cuscuz Marroquino

Postado porTemperos de Cinema 4 de agosto de 2018 0 Comentários

Um clássico entre os clássicos, o filme “Casablanca”, de 1942, inspirou a nova série de receitas do Temperos de Cinema e foi o tema de mais um jantar temático da nossa Confraria.
A chef Sandra Romansini criou um cardápio que reproduz a paixão e o fascínio do filme estrelado por Ingrid Bergman e Humphrey Boggart e ambientado na mítica cidade marroquina.
E a receita que abre essa nova série é uma entrada surpreendente, deliciosa e super fácil de fazer, uma salada com cuscuz marroquino.
Coloque “As Time Goes By” para tocar e aproveite!

Receita de uma Salada com Cuscuz Marroquino

Ingredientes da Salada:
200 g Mini Pepinos lavados fatiados
100 g de pepinos japoneses descascados em cubos
200 g de morangos
50 g de tâmaras fatiadas
6 talos de cebolinhas francesas fatiadas
Pitada de sal
Pimenta do reino a gosto
Hortelã picadinha
Folhas de hortelã inteiras para decorar

Preparo da salada:
Misture cuidadosamente todos os ingredientes e tempere com sal e pimenta. Reserve.

Ingredientes para o Cuscuz Marroquino:

100 g de cuscuz marroquino demolhado com caldo de legumes por 30 minutos
Sal a gosto
Pimenta do reino agosto

Para o molho

200 ml de iogurte natural
50 ml de mel
2 colheres de hortelã picados

Preparo do molho:

Misture todos os ingredientes e reserve em geladeira

Montagem

Coloque no fundo de uma taça o cuscuz marroquino, disponha a salada de pepinos e morangos e regue com o molho de iogurte.

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Nos Vemos no Paraíso, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 1 de agosto de 2018 0 Comentários

“Roaring Twenties” é um termo usado para se referir aos anos 20, uma década de efervescência cultural em Nova York, Chicago, Paris, Berlim, Londres e em muitas outras grandes cidades, durante uma época de sustentada prosperidade econômica depois da Primeira Guerra Mundial.
E é nessa época de muitos excessos, associada à modernidade e uma ruptura com as antigas tradições, que o diretor francês Albert Dupontel ambienta a farsa melodramática “Nos Vemos no Paraíso” que o Moviecom Arte apresenta abrindo a temporada de agosto.


Dupontel sempre atua nos filmes que dirige e em “Nos Vemos no Paraíso” ele é Albert Maillard, personagem que narra a trama centrada na amizade e parceria com Édouard Péricourt (Nahuel Pérez Biscayart). Vindos de mundos opostos, Albert é um simples proletário, enquanto o jovem Édouard é um artista e aristocrata com sérios problemas de relacionamento com seu pai. Os dois se conhecem na guerra e quando ela acaba Albert passa a cuidar de Édouard que, desfigurado, simula a própria morte e passa a viver recluso criando máscaras fantásticas.


A dupla cria um golpe para fraudar a construção de um memorial aos mortos da região, idealizado pelo pai de Édouard, ao mesmo tempo em que Maillard tenta desmascarar o mercenário Tenente Pradelle, um oficial que fez fortuna com as centenas de corpos das vítimas da guerra.


Além de Albert Dupontel e Nahuel Pérez Biscayart o filme traz um elenco notável: Laurent Lafitte, Niels Aretrup, Emile Déquenne, Mélanie Thierry, Héloise Balster, André Marcon, Michel Uillermoz
Com sete indicações ao Cesar (o Oscar francês), “Nos Vemos no Paraíso” ganhou os prêmios de melhor direção, melhor roteiro, melhor fotografia, melhor figurino e melhor direção de arte. Aliás, a primorosa direção de arte de Pierre Queffelean e a fotografia espetacular de Vincent Mathias são os grandes destaques deste filme imperdível.


“Nos Vemos no Paraíso” é o filme da semana no Moviecom Arte e você poderá assistí-lo nos dias 04 e 05 de agosto às 11 horas e no dia 07 de agosto às 14 horas no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundaí.

Ficha Técnica
Título: Nos Vemos no Paraíso
Título Original: Au Revoir Là-Haut
Nacionalidade: França
Gênero: Comédia dramática
Ano de produção: 2017
Estréia: 5 de julho de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 57min
Classificação: 16 anos
Elenco: Nahuel Pérez Biscayart, Albert Dupontel, Laurent Lafitte, Niels Arestrup, Émilie Dequenne, Mélanie Thierry
Direção: Albert Dupontel
Roteiro: Albert Dupontel, Pierre Lemaitre
Produção: Catherine Bozorgan
Trilha sonora: Christophe Julien
Direção de fotografia: Vincent Mathias
Edição: Christophe Pinel
Design de produção: Pierre Queffelean
Direção de arte: Lilith Bekmezian
Figurino: Mimi Lempicka
Estúdios: Stadenn Prod, Manchester Films, Canal+, Ciné+, France Télévisions
Distribuição: Pandora Filmes

 

Extras

Casablanca, O Cardápio

Postado porTemperos de Cinema 26 de julho de 2018 0 Comentários

O próximo cardápio do Temperos de Cinema está quase pronto e deve estrear em breve. A inspiração para as receitas vem do filme “Casablanca”, de 1942, dirigido por Michael Curtiz e estrelado por Ingrid Bergman e Humphrey Bogart.


Considerado um dos maiores filmes da história do cinema americano, foi a grande sensação do Oscar em 1943, levando o prêmio de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Edição e Melhor Trilha Sonora.


Lançado no auge da Segunda Guerra Mundial, “Casablanca” conta a história de Rick Blaine, um americano amargo e cínico que vive e trabalha em Casablanca, onde tem um badalado café. Rick’s Café é frequentado tanto por nazistas, funcionários franceses, quanto por refugiados e criminosos. Um belo dia, Ilsa Lund, o grande amor do passado de Rick, aparece em seu bar ao lado do marido, Victor Laszlo, herói da resistência tcheca. O reencontro dos ex-amantes reacende o amor entre eles.


A maravilhosa canção As Time Goes By, escrita por Herman Hupfeld em 1931, tornou-se internacionalmente famosa depois de cantada pelo personagem Sam (Dooley Wilson) e foi eleita pelo American Film Institute como a segunda música de filme mais importante de todos os tempos.


Aliás, “Casablanca” ocupa lugar de destaque em todas as listas sobre os mais importantes filmes da história do cinema.
Várias cenas e frases do filme se tornaram icônicas. Entre elas a cena onde Ingrid Bergman diz “play it again, Sam”, quando pede a Dooley Wilson para tocar A Time Goes By. O mais curioso sobre essa frase, é que ela nunca foi dita no filme.
Outra cena e frase famosas, é despedida dos personagens de Humphrey Bogart e Ingrid Bergman, em que ela pergunta “e quanto a nós?”, ao que ele responde dizendo “nós sempre teremos Paris”.


O cineasta Woody Allen é tão apaixonado por “Casablanca” que em 1972 estrelou um filme chamado “Play It Again, Sam”, dirigido por Herbert Ross, recheado de aparições fantasmas de Bogart dando conselhos sobre como tratar as mulheres.
Em 1979, Allen voltaria a citar “Casablanca” nas cenas finais do filme “Manhattan”, colocando a frase “sempre teremos Paris” na despedida dos personagens Isaac e Tracy, interpretados por ele mesmo e Mariel Hemingway.
Mais uma curiosidade sobre o filme: O papel imortalizado por Bogart, a princípio fora entregue ao então ator Ronald Regan que, felizmente foi convocado pelo exército para ir para o front e não pode aceitar o convite.

Prepare-se para viver grandes paixões no novo cardápio do Temperos de Cinema inspirado nesse grande sucesso do cinema.

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

A Amante, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 21 de julho de 2018 0 Comentários

O cinema da Tunísia é uma das boas novidade no circuito dos Festivais. Em “A Amante”, o estreante diretor e roteirista Mohamed Ben Attia é uma deliciosa surpresa, um drama romântico sobre desilusões e a imprevisibilidade que se sobrepõe a todos nossos planos.


Badalado em festivais de cinema pelo mundo em 2016, o filme chega ao Brasil com dois anos de atraso e com a pompa de ter vencido os prêmios de melhor ator e melhor filme no prestigiado Festival de Berlim.
Na trama, o introvertido Hedi (Majd Mastoura) parece ter sua vida sob controle. De casamento marcado e com um bom emprego em uma fábrica de automóveis arranjado pelo pai da noiva. À frente de todos os planos está a matriarca da família do protagonista, Baya (Sabah Bouzouita), sempre tomando as rédeas das situações em nome de “um bem maior”.


Tudo muda em uma viagem de trabalho, ele percebe que não é desta forma que ele pretende passar o resto de sua vida. Ele conhece uma jovem que vive de forma descomprometida e livre, que o leva a questionar tudo que o cerca e a redescobrir seus próprios sonhos e desejos.


Ganhador do Urso de Ouro do Festival de Berlim na categoria “Melhor Filme de Estreia” e do Urso de Prata de Melhor Ator (Majd Mastoura), “A Amante” é o filme da semana no Moviecom Arte, com exibição nos dias 21 e 22 de julho às 11 horas e no dia 24 de julho às 14 horas.

Ficha Tecnica
Título: A Amante
Título Original: Inhebek Hedi
Nacionalidades: Tunísia, Bélgica, França
Gêneros: Drama, Romance
Ano de produção: 2016
Estréia: 31 de maio de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 33 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Mohamed Ben Attia
Roteiro: Mohamed Ben Attia
Elenco: Majd Mastoura, Ryam Ben Messaoud, Sabah Bouzouita
Trilha sonora: Omar Aloulou
Direção de fotografia: Frédéric Noirhomme
Edição: Azza Chaabouni, Ghalia Lacroix, Hafedh Laridhi
Design de produção: Mohamed Denguezli
Figurino: Nedra Gribaa
Distribuição: Pandora Filmes

 

CinemaMoviecomarte

A Câmera de Claire, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 13 de julho de 2018 0 Comentários

Um dos diretores mais produtivos da atualidade, Hong Sang-soo já foi comparado a Jean-Luc Godard e é conhecido por seus roteiros criados a partir de sutilezas do dia-a-dia e em pessoas reais.
“A Câmera de Claire” se baseia em desacertos conjugais, um tema bastante recorrente na obra do diretor, e traz a diva Isabelle Huppert como Claire, uma professora, poeta e fotógrafa circulando pelas ruas de Cannes durante o famoso Festival de Cinema e travando amizade com alguns turistas sul coreanos.


Claire tira fotos de seus novos amigos mas não fica com elas. Entrega os registros aos próprios fotografados para que eles possam avaliar suas próprias transformações no decorrer da trama. “Porque a única forma de mudar as coisas é olhar para tudo novamente de forma bem devagar”, diz Claire.


Esses encontros funcionam como um fio condutor que revelará os demais personagens de um intrincado quebra-cabeças do qual fazem parte e que ao final mostrará as mudanças em cada um deles.

“A Câmera de Claire” será exibido no Moviecom Arte, do Moviecom Cinemas do Maxi shopping Jundiaí nos dias 14 e 15 de julho às 11 hs, e no dia 17 de julho às 14 hs.

Ficha Técnica
Título original: KEUL-LE-EO-UI KA-ME-LA
Título no Brasil: A Câmera de Claire
Gênero: Comédia Dramática
Duração: 68 min
Estreia no Brasil: 24 de Maio de 2018
País: França e Coréia do Sul
Idioma: Francês
Diretor: Hong Sang soo
Roteiro: Hong Sang soo
Elenco: Isabelle Huppert, Min hee Kim, Mi hee Chang, Jin young Jung, Yoon Heesun, Wanmin Lee, Taewoo Kang, Shahira Fahmy e Mark Peranson
Distribuição: Pandora Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Férias no Cinema!

Postado porTemperos de Cinema 3 de julho de 2018 0 Comentários

Julho é mês de férias e cinéfilo que é cinéfilo de verdade aproveita as férias para ver mais filmes. O Moviecom Arte vem com uma programação repleta de ótimos filmes para uma programação que não deixará suas férias passar em branco.

Amores de Chumbo, de Tuca Siqueira
Dias 07, 08 e 10
O cinema brasileiro, fora do eixo São Paulo-Rio, traz sempre grandes e agradáveis surpresas. É o caso de “Amores de Chumbo”, produção pernambucana que estreou no último Festival de Cinema do Rio de Janeiro e integrou a 41ª Mostra de Cinema de São Paulo.
Dirigido por Tuca Siqueira este filme parte das questões afetivas e amorosas de três amigos, o roteiro tem no período de repressão no Brasil um importante elemento narrativo. Os traumas e as vivências da ditadura são parte indissociável da vida dos protagonistas, todos com passado de resistência e militância política, durante o período de chumbo da ditadura militar.
Quarenta anos separam Maria Eugênia, escritora pernambucana radicada na França, do casal Miguel e Lúcia, que acabam de comemorar quatro décadas de união. O retorno de Maria Eugênia revela segredos do passado, dando margem a dúvidas e desconfianças há muito tempo guardadas.
Partindo do ponto de vista desses três personagens, se revive o momento político e social da época de chumbo da ditadura militar no Brasil — uma história que mudou o rumo de muitas vidas.

A Câmera de Claire, de Hong Sang-soo
Dias 14, 15 e 17 de julho
Um dos diretores mais produtivos da atualidade, Hong Sang-soo já foi comparado a Jean-Luc Godard e é conhecido por seus roteiros criados a partir de sutilezas do dia-a-dia e em pessoas reais.
“A Câmera de Claire” se baseia em desacertos conjugais, um tema bastante recorrente na obra do diretor, e traz a diva Isabelle Huppert como Claire, uma professora, poeta e fotógrafa circulando pelas ruas de Cannes durante o famoso Festival de Cinema e travando amizade com alguns turistas sul coreanos.
Claire tira fotos de seus novos amigos mas não fica com elas. Entrega os registros aos próprios fotografados para que eles possam avaliar suas próprias transformações no decorrer da trama.
Esses encontros funcionam como fio condutor da trama que revelará os demais personagens de um intrincado quebra-cabeças do qual fazem parte e, ao final dela, sairão transformados.

A Amante, de Mohamed Ben Attia
Dias 21, 22 e 24 de julho
O cinema da Tunísia é uma das boas novidade no circuito dos Festivais. Em “A Amante”, o estreante diretor e roteirista Mohamed Ben Attia é uma deliciosa surpresa, um drama romântico sobre desilusões e a imprevisibilidade que se sobrepõe a todos nossos planos.
Badalado em festivais de cinema pelo mundo em 2016, o filme chega ao Brasil com dois anos de atraso e com a pompa de ter vencido os prêmios de melhor ator e melhor filme no prestigiado Festival de Berlim.
Na trama, o introvertido Hedi (Majd Mastoura) parece ter sua vida sob controle. De casamento marcado e com um bom emprego em uma fábrica de automóveis arranjado pelo pai da noiva. À frente de todos os planos está a matriarca da família do protagonista, Baya (Sabah Bouzouita), sempre tomando as rédeas das situações em nome de “um bem maior”.
Tudo muda em uma viagem de trabalho, ele percebe que não é desta forma que ele pretende passar o resto de sua vida. Ele conhece uma jovem que vive de forma descomprometida e livre, que o leva a questionar tudo que o cerca e a redescobrir seus próprios sonhos e desejos.

Oh! Lucy, de Atsuko Hirayanagi
Dias 28, 29 e 31 de julho
A japonesa Atsuko Hiranayagi evoca aqueles personagens especiais em sua banalidade, vivendo situações tão absurdas que são absolutamente reais.
“Oh! Lucy” conta a história de uma mulher que mora sozinha em Tóquio e tem uma vida monótona. Sua sobrinha a convence a se matricular em um curso de inglês pouco convencional onde passa usar uma peruca loira e a representar uma norte-americana chamada Lucy.
A nova identidade surge como seu alter-ego e ela descobre sentimentos dos quais havia esquecido. Ela se apaixona por seu professor de inglês e, após o repentino sumiço dele, embarca para os Estados Unidos à sua procura, vivenciando uma série de aventuras e se desvencilhando de sua vida ordinária.

____________________________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Esplendor, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 28 de junho de 2018 0 Comentários

É possível descrever uma imagem para alguém que não pode vê-la mas é muito difícil colocar em palavras a experiência emocional que uma imagem pode oferecer. “Esplendor”, da cineasta japonesa Naomi Kawase, aborda essa questão do ponto de vista filosófico e também sentimental.


Os dois personagens centrais da trama refletem essa dupla abordagem. Uma jovem dubladora que trabalha com adaptações de filmes para deficientes visuais e um fotógrafo que está perdendo a visão em consequência de uma doença degenerativa.
O encontro dos dois resulta em uma cumplicidade emocionante, levando-os a descobrir novas formas de olhar suas próprias vidas e nos fazendo refletir sobre a delicadeza dos sentidos e as muitas interpretações da palavra “ver”.
A direção de Naomi Kawase, que também assina o roteiro, é de uma sensibilidade ímpar. O hiperclose, imagens desfocadas e cenas do pôr do sol são alguns recursos visuais que reforçam as questões abordadas.


Indicado para a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, onde recebeu o Prémio Ecuménico, e exibido na 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, “Esplendor” encerra a programação do mês do Moviecom Arte e será exibido nos dias 30 de junho e 01 de julho às 11 horas, e no dia 03 de julho às 14 horas.

Ficha Tecnica

Título: Esplendor
Título Original: Hikari
Nacionalidades: Japão e França
Gêneros: Drama, Romance
Ano de produção: 2017
Estréia: 10 de maio de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 41 minutos
Classificação: 10 anos
Direção: Naomi Kawase
Elenco: Masatoshi Nagase, Ayame Misaki, Tatsuya Fuji
Roteiro: Naomi Kawase
Produção: Naoya Kinoshita, Masa Sawada, Yumiko Takebe
Música: Raphael Hamburger
Trilha sonora: Ibrahim Maalouf
Edição: Tina Baz
Estúdios: Comme des Cinémas, Kino Films, Kumie, MK2 Productions
Distribuição: Imovision

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Acertando o Passo, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 8 de junho de 2018 0 Comentários

Richard Loncraine é o diretor de “Acertando o Passo”, uma comédia dramática estrelada por Imelda Staunton e Celia Imrie, que o Moviecom Arte exibe nos dias 09, 10 e 12 de junho.


A trama gira em torno de duas irmãs na terceira idade que, forçadas pelas circunstâncias, voltam a conviver depois de muitos anos afastadas e aí constatam suas diferenças e quanto têm a aprender uma com a outra.


Esta é a segunda vez que Loncraine mira personagens da terceira idade. Em 2015 ele dirigiu “Ruth e Alex”, estrelado por Diane Keaton e Morgan Freeman, que viviam um casal de idosos que decide vender o apartamento onde vivem.
Em “Acertando o Passo”, uma senhora rica ao descobrir a infidelidade do marido resolve voltar a viver com a irmã, com quem não falava a muitos anos. Essa convivência se revela profundamente transformadora para ambas.


Entre as descobertas e redescobertas, essa senhora passa a frequentar aulas de dança e se abre para novas possibilidades, inclusive para um novo amor.


Richard Loncraine não economiza nos clichês típicos dos filmes de dança e da terceira idade, mas faz uso deles com inteligência e sem perder aquele estilo europeu de cinema, onde o foco está no personagem e em suas relações. “Acertando o Passo”, é um fime emocionante e divertido.

Ficha Técnica
Título original: Finding Your Feet
Nacionalidade: Reino Unido
Gêneros: Comédia, Drama
Ano de produção: 2017
Estréia: 10 de maio de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 51 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Richard Loncraine
Roteiro: Meg Leonard, Nick Moorcroft
Elenco: Imelda Staunton, Joanna Lumley, Timothy Spall, Celia Imrie e Phoebe Nicholls
Trilha sonora: Michael J. McEvoy
Direção de fotografia: John Pardue
Edição: Johnny Daukes
Design de produção: Jon Bunker
Figurino: Jill Taylor
Distribuição: California Filmes

CinemaMoviecomarte

Programação de Junho do Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 29 de maio de 2018 0 Comentários

Junho chega trazendo o friozinho do inverno e por isso a programação do Moviecom Arte está super quente, com os melhores lançamentos da temporada.


Dias 02 e 03 às 11 horas
Dia 05 às 14 horas
MADAME
A comédia romântica “Madame”, de Amanda Sthers, conta a história de um casal milionário norte-americanos que se mudam para Paris na esperança de reavivar o relacionamento.
Durante um jantar oferecido a um sofisticado grupo de amigos europeus, a supersticiosa anfitriã se dá conta de que tem 13 convidados à mesa e obriga Maria, uma das suas empregadas, a juntar-se a eles e assumir a personagem de uma aristocrata espanhola.
Atrapalhada, a pobre Maria esforça-se para interpretar sua personagem o mais discretamente possível mas acaba conquistando as atenções de um influente comerciante de arte inglês que fica totalmente seduzido por ela.
O namoro entre eles vai além daquela noite e, apavorados, os patrões americanos fazem o possível e o imossível para terminar com a relação antes que o inglês perceba o papel deles naquela terrível mentira.
“Madame” é estrelado por Toni Collette, Harvey Keitel, Michael Smiley e a sempre impagável Rossy de Palma, uma das grandes musas de Almodovar.

Dias 09 e 10 às 11 horas
Dia 12 às 14 horas
ACERTANDO O PASSO
O enredo desta comédia inglesa permite – quase exige – o uso de todos os clichês possíveis, coisa que Richard Loncraine faz com inteligência em “Acertando o Passo”, sem perder aquele estilo europeu de cinema onde o foco está no personagem e em suas relações.
Estrelado pelas brilhantes Imelda Staunton e Celia Imrie, este filme conta a história de duas irmãs que se reencontram depois de muitos anos de afastamento. uma é exatamente o oposto da outra e nessa convivência descobrem que têm muito o que aprender uma com a outra.
Um dos destques do filme é o elenco na faixa dos 60 anos para mais, faixa etária cada vez mais desprezada por Hollywood.


Dias 16 e 17 às 11 horas
Dia 19 às 14 horas
0 TERCEIRO ASSASSINATO
Os filmes de tribunais já ganharam o status de categoria e é interessante ver como o público reage a eles. O talentoso diretor Hirokazu Kore-eda traz em “O Terceiro Assassinato” um formato completamente inovador para um filme de tribunal, questionando os procedimentos legais e relativizando o conceito de julgamento.
A trama gira em torno de um advogado de sucesso que aceita um novo caso motivado por razões pessoais. Ele defende um homem que esteve preso por muitos anos, condenado por seu pai. Solto, ele confessa um novo assassinato, mas a muda a versão do crime a cada depoimento, transformando o julgamento em uma farsa.
Sem sustentação para a defesa do seu cliente, o advogado usa de todo tipo de artimanhas legais para evitar a condenação à morte.
Estrelado por Fukuyama Masaharu no papel do advogado, “O Terceiro Assassinato” é mais um grande filme de Hirokazu Kore-eda, um dos nomes obrigatórios na seleção do Festival de Cannes desde 1995.

Dias 23 e 24 às 11 horas
Dia 26 às 14 horas
OS FANTASMAS DE ISMAEL
Com um elenco que inclui as divas Marion Cotillard e Charlotte Gainsbourg, além dos galãs Mathieu Amalric e Louis Garrel, “Os Fantasmas de Ismael” é um drama denso dirigido por Arnaud Desplechin.
Neste filme acompanhamos a história de um cineasta de temperamento instável perseguido pelo fantasma de sua esposa, desaparecida há mais de 20 anos, e que agora resgata de sua vida afetiva em um novo relacionamento. Ao mesmo tempo, se envolve em um novo trabalho sobre a trajetória errante de seu irmão diplomata.
Arnaud Desplechin é conhecido como “O Woody Allen francês” e por não ter uma narrativa tradicional. Neste filme tipicamente francês faz uma análise sobre o amor em sua forma contemporânea, com um linguagem clara e dividida em 4 episódios distintos: o trauma, o deasaparecimento e o reaparecimento e o novo relacionamento.
Fala também sobre o processo de criação de um cineasta e a falta de inspiração que, assim como um fantasma, assombra alguns artistas.

Dias 30 de junho e 01 de julho às 11 horas
Dia 03 de julho às 14 horas
ESPLENDOR
O desafio de fazer cinema para pessoas com deficiência visual é o tema do surpreendente “Esplendor”, dirigido por Naomi Kawase e estrelado por Masatoshi Nagase, Ayame Misaki e Tatsuya Fuji
O filme conta a história de uma jovem profissional responsável por fazer versões cinematográficas para deficientes visuais e sua relação com um fotógrafo que está perdendo a visão. Ele a desafia a encontrar uma forma mais sutil de descrever o filme.
Enquanto a relação entre eles vai se aprofundando, ela percebe que antigos traumas de seu passado voltarão à tona em sua vida. Essa jornada de descobertas é magistralmente conduzida pela delicada cineasta japonesa Naomi Kawase, que também é responsável pelo sensível roteiro que usa a metalinguagem de forma brilhante.

 

_____________________________________________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP