Tag

cinema francês

Moviecomarte

Boas Intenções no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 29 de agosto de 2019 0 Comentários

“Boas Intenções” gira em torno de Isabelle, uma professora de francês que trabalha em um centro de serviços humanitários e, assim, acaba interagindo com diversos imigrantes que vieram refugiados de seus países. Ao ser convocada para alfabetizá-los, Isabelle se depara com várias dificuldades e aos poucos vai conhecendo as personas por trás das nacionalidades que representam, percebendo que todos aqueles estereótipos criados ao redor das mais diversas culturas do mundo não passam de visões preconceituosas e quebrando gradualmente a maneira xenófoba com que enxergava aquelas pessoas.


O objetivo de “Boas Intenções” é mostrar como uma mulher (europeia, diga-se de passagem) pode aprender a desconstruir seus preconceitos através da convivência com pessoas pertencentes a culturas diferentes – tudo isso através do bom humor; o que é apropriado, já que a comédia costuma ser uma forma eficaz de discutir temas sérios.


Gilles Legrand, além de dirigir, assina o roteiro em parceria com Léonore Confino. Ambos fazem de “Boas Intenções” uma obra quase politicamente incorreta mas quando analisarmos profundamente o significado do filme entenderemos o quão quebrado como sociedade nós estamos nos tornando.


Este filme será exibido nos dias 31 de agosto e 1 de setembro às 11 horas e no dia 3 de setembro às 14 horas, no Moviecom Arte.

Ficha Técnica
Título original: Les Bonnes intentions
Nacionalidade: França
Gênero: Comédia dramática
Ano de produção: 2018
Estréia: 4 de julho de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 43min
Direção: Gilles Legrand
Elenco: Agnès Jaoui, Claire Sermonne, Tim Seyfi
Roteiro: Gilles Legrand, Léonore Confino
Trilha sonora: Armand Amar
Direção de fotografia: Pierre Cottereau
Edição: Andrea Sedlácková
Design de produção: Riton Dupire-Clément
Decoração de set: Jeanne Bizard, Fanny Dromigny, Mohamed Jabbad
Distribuição: Pandora Filmes

Moviecomarte

Um Homem Fiel no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 1 de agosto de 2019 0 Comentários

Este é o segundo longa dirigido pelo galã francês Louis Garrel. Após Dois Amigos (20015), o filho de Philippe Garrel volta ao tema dos triângulos amorosos, indeciso entre as duas mulheres que estão ao seu redor.


Em “Um Homem Fiel” ele aparece novamente como Abel – o mesmo nome do seu personagem em Dois Amigos. Na primeira cena do filme, ele fica sabendo que sua namorada, Marianne (Laetitia Casta), está grávida de seu melhor amigo, Paul.


Ao invés de brigas, discussões, choros ou protestos, a reação dele é tipicamente francesa e com um “bom, preciso ir agora para não chegar atrasado”, os dois se separam, os anos se passam e o reencontro se dá quase uma década depois, após a morte inesperada de Paul.


Abel decide retomar o antigo relacionamento com Marianne e quando as coisas parecem se acertar, enfim, surge uma nova paixão na vida de Abel, Eva (Lily Rose), irmã de Paul.


Os três protagonistas mesmo decepcionando-se quando percebem que a vida não correspondem às suas aspirações, demonstram suas fragilidades e anseios, e permitem que o público se identifique com eles em várias situações.
O roteiro escrito em parceria com o grande Jean-Claude Carrière, autor de clássicos como O Discreto Charme da Burguesia (1972) e Esse Obscuro Objeto do Desejo (1977) , é um drama romântico que discorre de maneira atraente sobre várias questões e com personagens cheos de carisma e sensibilidade.

Dica: Preste atenção no ciumento filho de Marianne, Joseph (Joseph Engel) com sua “inocência cruel”, como diria Cazuza, tentando separar o casal.

“Um Homem Fiel” integrou a Mostra Varilux de Cinema Francês 2019 e abre a nossa programação de agosto, com exibição nos dias 03 e 04 de agosto às 11 horas, e na terça dia 06 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Um Homem Fiel
Título original: L’Homme Fidèle
Nacionalidade: França
Gêneros: Romance, Comédia
Ano de produção: 2018
Estréia: 4 de julho de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 15min
Classificação: 12 Anos
Direção: Louis Garrel

Elenco: Arthur Igual, Bakary Sangaré, Dali Benssalah, Diane Courseille, Joseph Engel, Kiara Carrière, Laetitia Casta, Lily-Rose Depp, Louis Garrel, Vladislav Galard
Roteiro: Louis Garrel, Jean-Claude Carrière
Direção de fotografia: Irina Lubtchansky
Edição: Joëlle Hache
Design de produção: Jean Rabasse
Distribuição: Supo Mungam Films

 

Moviecomarte

Programação de Agosto do Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 1 de agosto de 2019 0 Comentários

As férias acabaram e em agosto o Moviecom Arte volta a ter sessões às terças-feiras às 14 horas. Ainda bem pois a seleção de filmes deste mês está incrível e você merece uma oportunidade a mais para ver e até para rever os filmes em cartaz.

O grande destaque do mês é para o cinema francês, com produções que brilharam nos principais festivais do mundo e também nas principais mostras de cinema aqui no Brasil.

Veja a programação e reserve as datas em sua agenda:

 


DIAS 03, 04 E 06
UM HOMEM FIEL
De Louis Garrel

Este é o segundo longa dirigido pelo galã francês Louis Garrel. Após Dois Amigos (20015), o filho de Philippe Garrel volta ao tema dos triangulos amorosos, indeciso entre as duas mulheres que estão ao seu redor.
Em “Um Homem Fiel” ele aparece novamente como Abel – o mesmo nome do seu personagem em Dois Amigos – rapaz que, certo dia, ao se preparar para ir ao trabalho, recebe sem meias palavras a notícia da gravidez de sua namorada, Marianne (Laetitia Casta).
Ao invés de brigas, discussões, choros ou protestos, a reação dele é tipicamente francesa e com um “bom, preciso ir agora para não chegar atrasado”, os dois se separam, os anos se passam e o reencontro se dá quase uma década depois.
E quando as coisas parecem se acertar, enfim, surge uma nova paixão, Eva (Lily Rose), cunhada de Marianne.
O roteiro escrito em parceria com o grande Jean-Claude Carrière, autor de clássicos como O Discreto Charme da Burguesia (1972) e Esse Obscuro Objeto do Desejo (1977) , é um drama romântico que discorre de maneira atraente sobre várias questões.
“Um Homem Fiel” integrou a Mostra Varilux de Cinema Francês 2019 e abre a nossa programação de agosto, com exibição nos dias 03 e 04 de agosto às 11 horas, e na terça dia 06 às 14 horas.


DIAS 10, 11 e 13 .
JORNADA DA VIDA
De Philippe Godeau
Uma fábula simples mas carregada de densidade, “Jornada da Vida” é o novo longa de Phillippe Godeau que conta a jornada de Yao, um garoto (vivido pelo estreante Lionel Louis Basse) para encontrar seu escritor favorito, Seydou Tall (Omar Sy).
Yao mora numa comunidade no interior do Senegal e, ao descobrir que seu escritor favorito vem ao país participar da Bienal, desloca-se quase 400 quilômetros por um autográfo do ídolo. Comovido pelo empenho do garoto, Seydou se dispõe a levá-lo de volta à sua casa. A partir daí, vemos uma espécie de road movie que faz Seydou, um francês de família senegalesa, como muitos na França, reencontrar-se com suas origens africanas.
A direção de Phillipe Godeau traz uma poesia visual para compor a ambientação senegalesa. Planos inspirados fazem dessa história profunda também um prazer visual pelo que aquele país tem de belo e também de feio.
A presença da religião e o tema da colonização marcam fortemente o roteiro, fazendo com que essa produção seja também uma obra decolonial, ou seja, através da qual se repensa algumas das consequências da dominação de países externos sobre outros – como se deu no Brasil por Portugal e no Senegal pela França.
“Jornada da Vida” conduz o espectador a uma viagem cheia de cor e força. Um deleite para quem busca outras narrativas e pontos de vista na tela grande.
Este é o filme que o Moviecom Arte aprsenta nos dias 10 e 11 de agosto às 11 horas e no dia 13 de agosto às 14 horas.

 


DIAS 17, 18 E 20
ATENTADO AO HOTEL TAJ MAHAL
De Anthony Maras
Em novembro de 2008, um grupo de homens armados executou uma série de ataques em pontos estratégicos da cidade de Bombaim, em uma sequência de atentados que deixaram mais de 170 mortos e outras centenas de feridos.
Desde que se decidiu a retratar tais acontecimentos, que basicamente envolveram a matança indiscriminada e à queima-roupa, o diretor Anthony Maras deve ter se encontrado em uma encruzilhada quando deu início à produção de Atentado ao Hotel Taj Mahal. Há alguma maneira certa de se filmar um massacre objetivamente? É possível transformar tamanho evento em material de thriller sem descambar para o exploratório?
Atentado ao Hotel Taj Mahal apresenta-se, de fato, como um thriller, tendo seu início assim que os terroristas desembarcam de seus botes em Bombaim. com uma tensão crescente até que os disparos começam.
Enquanto isso, acompanhamos em paralelo o microcosmo do hotel Taj Mahal Palace, desde os empregados aos abastados hóspedes. Maras apresenta o ambiente do hotel com atenção especial, definindo locações chave sem exatamente mapeá-las como um todo – algo que será valioso lá na frente. A relação do hotel com os hóspedes é sintetizada com eficiência através do mantra “o hóspede é deus”, dito pelo chef Hemant Oberoi (Anupam Kher) aos seus lacaios no início do dia. A frase indica serventia, inferioridade, mas passa a simbolizar algo mais poderoso.
O roteiro de Maras e John Colee exibe uma violência objetiva, frontal e rápida, mantendo um tom uniformemente grave durante as mais de duas horas de filme. Sem nunca transformar as ocorrências em aventura, também evita o melodrama, algo notável quando se trata de uma tragédia em tamanha escala. Atentado ao Hotel Taj Mahal é um thriller, sim, mas do tipo mais cru que há, com trechos de puro terror e outros de pura humanidade.
Prepare-se para ver este filme impressionante no Moviecom Arte, dias 17 e 18 de agosto às 11 horas e no dia 20 de agosto às 14 horas.

 

DIAS 24, 25 E 27
A ARVORE DOS FRUTOS SELVAGENS
De Nuri Bilge Ceylan
No cinema (como nas artes em geral), quase nada é somente o que parece. A “Árvore dos Frutos Selvagens” transcende facilmente o cinema para tratar da humanidade e os muitos modos de lidar com ela.
Dentro de um contexto de diferenças entre os costumes rurais e urbanos, o filme busca tocar em pontos delicados dialogando com a dificuldade de se manter honesto consigo e com os outros; com a responsabilidade da existência (alcançando algum grau existencialista digno de Ingmar Bergman); com a responsabilidade por assim dizer – especialmente a de precisar fazer o que se diz como certo; e corroendo aquele que talvez seja o lado mais difícil da vida: o enfrentamento da própria insignificância.
As reflexões propostas pelo roteiro, aliás, mexem no vespeiro das discussões teológicas, especialmente quando, em certo ponto – e lindamente sem chegar a uma resposta exata – um diálogo sobre a adaptação necessária da religião à realidade se dá. É como querer opinar ali, participar, mas sabendo que a subjetividade escrita pelo roteiro é tão genuína quanto a do próprio cinema.
Não bastasse o peso de tanto, a precisão da direção de fotografia de Gökhan Tiryaki (prolífico cinefotógrafo turco, igualmente de Sono de Inverno) é arrebatadora. É possível que Tiryaki tenha estado tão envolvido com A Árvore dos Frutos Selvagens que tenha passado dias planejando a perfeição entre luz e sombra para cada frame, especialmente quando do uso da luz natural.

Você precisa assistir “A Árvore dos Frutos Selvagens”, um dos melhores filmes da temporada e que será exibido no Moviecom Arte nos deias 24 e 25 de agosto às 11 horas e no dia 27 de agosto às 14 horas.

 

DIAS 31 DE AGOSTO, 01 E 03 DE SETEMBRO
BOAS INTENÇÕES
De Gilles Legrand
“Boas Intenções” gira em torno de Isabelle, uma professora de francês que trabalha em um centro de serviços humanitários e, assim, acaba interagindo com diversos imigrantes que vieram refugiados de seus países. Ao ser convocada para alfabetizá-los, Isabelle se depara com várias dificuldades e aos poucos vai conhecendo as personas por trás das nacionalidades que representam, percebendo que todos aqueles estereótipos criados ao redor das mais diversas culturas do mundo não passam de visões preconceituosas e quebrando gradualmente a maneira xenófoba com que enxergava aquelas pessoas.
O objetivo de “Boas Intenções” é mostrar como uma mulher (europeia, diga-se de passagem) pode aprender a desconstruir seus preconceitos através da convivência com pessoas pertencentes a culturas diferentes – tudo isso através do bom humor; o que é apropriado, já que a comédia costuma ser uma forma eficaz de discutir temas sérios.
Gilles Legrand, além de dirigir, assina o roteiro em parceria com Léonore Confino. Ambos fazem de “Boas Intenções” uma obra quase politicamente incorreta mas quando analisarmos profundamente o significado do filme entenderemos o quão quebrado como sociedade nós estamos nos tornando.
Este filme será exibido nos dias 31 de agosto e 1 de setembro às 11 horas e no dia 3 de setembro às 14 horas, no Moviecom Arte.

Moviecomarte

Vidas Duplas, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 10 de maio de 2019 0 Comentários

Com um conjunto de ótimos atores (entre eles a diva Juliette Binche) e diálogos afiadíssimos, o diretor francês Olivier Assayas apresenta em Vidas Duplas (Double Vies) uma discussão sobre a revolução tecnológica dos hábitos de leitura como porta de entrada para outros dilemas, tais como profissão, relacionamento e, principalmente, a hipocrisia humana.


Se não fosse a língua francesa, poderíamos dizer que se trata de uma obra de Woody Allen.
Em um encontro social, enquanto bebem vinho, os convidados discutem sobre a contradição entre a escassa leitura de jornais e os grande acessos dos blogs como principal fonte de informação.


Em outro momento, questiona-se a facilidade dos leitores digitais em detrimento dos livros físicos. A acalorada discussão inicial é um pontapé para as questões individuais de cada personagem.
O filme segue relacionamentos entrelaçados e os viés de cada um sobre as suas questões pessoais. Os protagonistas deste embate de perspectivas são o bem-sucedido editor Alain (Guillaume Canet) e Léonard (Vincent Macaigne), escritor de suas próprias experiências.


No caso, Alain rejeita a última obra de Léonard por achá-lo repetitivo e desejar novas vozes no mercado. Ao mesmo tempo, ele lida com a nova postura da editora em publicar mais e-book a livros físicos.
As discussões sobre popularização da leitura e menor custo de produção permeiam todo o longa.
“Vidas Duplas”, de Olivier Assayas, é o filme da semana no Moviecom Arte nos dias 11 e 12, às 11 horas, e dia 14 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título original: Doubles Vies
Nacionalidade: França
Gêneros: Comédia, Romance
Ano de produção: 2018
Estréia: 18 de abril de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 47min
Classificação: 14 anos
Direção: Olivier Assayas
Elenco: Juliette Binoche, Guillaume Canet, Vincent Macaigne
Roteiro: Olivier Assayas
Direção de fotografia: Yorick Le Saux
Edição: Simon Jacquet
Design de produção: François-Renaud Labarthe
Figurino: Jürgen Doering
Distribuição: California Filmes

Moviecomarte

Um Banho de Vida, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 3 de maio de 2019 0 Comentários

O diretor francês Gilles Lellouche assina “Um Banho de Vida” (Le Grand Bain), uma deliciosa e delicada comédia sobre um grupo de homens de meia idade que começa a praticar natação sincronizada, uma modalidade esportiva praticada mais habitualmente por mulheres.


O protagonista é Bertrand (Mathieu Amalric), um pai de família desempregado e depressivo, que um dia resolve, ao ver um anúncio no jornal, participar de uma equipe de nado sincronizado.
Quem o recebe no grupo é Thierry (Philippe Katerine), e logo ele se vê entre novos amigos, todos falando sobre suas frustrações no vestiário, na sauna e no bar. Bertrand percebe que mais do que horas na piscina o grupo de natação é um encontro terapêutico.


Os personagens e seus dilemas são expostos pouco a pouco, enquanto a trama se desenvolve dentro das paredes do ginásio esportivo.
O ponto alto da trama acontece quando o grupo de amadores se inscreve para uma competição mundial de nada sincronizado masculino na Dinamarca.
A partir desse momento, os homens começam a treinar duro sob a tutela de Amanda (Leïla Bekhti), uma treinadora paraplégica e linha dura que bate nos homens e os intimida verbalmente e aos berros.

“Um Banho de Vida” é o filme que abre a programação de maio do Moviecom Arte e será exibido nos dias 04 e 05 às 11 horas e no dia 07 às 14 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica
Título: Um Banho de Vida
Título original: Le Grand Bain
Nacionalidade: França
Gêneros: Drama, Comédia
Ano de produção: 2019
Estréia: 21 de março de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 58min
Classificação: 14 anos
Direção: Gilles Lellouche
Roteiro: Gilles Lellouche, Ahmed Hamidi, Julien Lambroschini
Trilha sonora: Jon Brion
Direção de fotografia: Laurent Tangy
Edição: Simon Jacquet
Design de produção: Florian Sanson
Decoração de set: Camille Bougon-Pigneul
Figurino: Elise Bouquet, Reem Kuzayli
Distribuição: Pagu Pictures

Moviecomarte

TROCA DE RAINHAS, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 19 de setembro de 2018 0 Comentários

O diretor francês Marc Dugain traz o livro de Chantal Thomas para uma produção suntuosa, que recria em detalhes a vida na corte francesa do século XVIII.


A trama se passa em 1721. Para manter a paz entre França e Espanha após anos de guerra, o Regente Philippe d’Orléans (Olivier Gourmet), propõe uma troca de princesas, o que resulta no noivado do rei da França, Louis XV com Anna Maria Victoria, então com 11 e 4 anos respectivamente; e do príncipe herdeiro Louis com Louise-Elisabeth d’Orleans, com 11 e 12 anos.


As crianças movimentam a vida na Corte, colocando em cheque os jogos pelo poder e abrindo discussões sobre as implicações morais e cotidianas do tal acordo.


Além da produção esmerada outro destaque é a atuação do talentoso elenco infantil, centro da trama, que dá conta do recado sem deixar o interesse do espectador cair ou esfriar.


“Troca de Rainhas” é o filme da semana no Moviecom Arte e será exibido nos dias 22 e 23 de setembro às 11 horas e no dia 25 de setembro às 14 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica
Título: Troca de Rainhas
Título original: L’Echange des Princesses
Nacionalidades: França, Bélgica
Gêneros: Histórico, Drama
Ano de produção: 2017
Estréia: 16 de agosto de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 40min
Classificação: 12 anos
Direção: Marc Dugain
Elenco; Elenco: Adriana Rodríguez, Alice D’Hauwe, Anamaria Vartolomei, Camille Pistone, Catherine Mouchet, Cédric Cerbara, Didier Sauvegrain, Gwendolyn Gourvenec e Igor van Dessel.
Roteiro: Marc Dugain, Chantal Thomas. Baseado no livro escrito por Chantal Thomas
Produção: Patrick André, Charles Gillibert, Genevieve Lemal, Julien Loeffler, Stefan Riesser, Celia Simonnet, Fabrice Smadja
Direção de fotografia: Gilles Porte
Edição: Monica Coleman
Design de produção: Patrick Dechesne, Alain-Pascal Housiaux
Figurino: Fabio Perrone
Estúdios: High Sea Production, Scope Pictures, Motion Partners, Canal+ , Ciné+, France Télévisions
Distribuição: Pandora Filmes

Moviecomarte

Os 50 São Os Novos 30, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 6 de setembro de 2018 0 Comentários

Em uma comédia de ficção cheia de realidade a diretora francesa Valérie Lemercier brinca com “tragédias” típicas do mundo das adultos como o fim de um casamento, perder o emprego e voltar a morar com os pais.


“Em Os 50 São Os Novos 30”, além de dirigir Valérie Lemercier interpreta a personagem principal da trama, Marie-Francine, uma mulher que aos 50 anos está muito velha para o seu emprego e também para o marido, que a troca por uma mulher mais nova.

Ela volta a morar na casa dos pais, que a tratam de forma infantilizada, e começa a trabalhar em uma pequena loja de cigarros eletrônicos, conhece Miguel (Patrick Timsit), que está na mesma situação que ela.
Com a paixão emergente, eles precisam abrigar o novo amor mas nenhum dos dois tenha uma casa própria.
Esta comédia hilária, romântica e bem realista é o filme da semana no Moviecom Arte. O filme será exibido nos dias 08 e 09 de setembro às 11 horas e no dia 11 de setembro às 14 horas.

Ficha Técnica
Título no Brasil: 50 São os Novos 30
Título original: Marie-Francine
Gênero: Comédia romantica
Duração: 95 min
Estreia no Brasil: 28 de Junho de 2018
País: França
Diretor: Valérie Lemercier
Roteirista: Valérie Lemercier Sabine Haudepin
Elenco: Valérie Lemercier, Patrick Timsit, Hélène Vincent, Philippe Laudenbach, Denis Podalydè,s Nadège Beausson, Diagne Marie Petiot, Anna Lemarchand, Simon Perlmutter, Géraldine Martineau, Loïc Legendre, Danièle Lebrun, Patrick Préjean, Pierre Vernier, Philippe Vieux, Clara Simpson, Marie Barraud e Salim Torki.
Distribuição: CineArt

Moviecomarte

O Orgulho, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 31 de agosto de 2018 0 Comentários

“O Orgulho” é o sexto longa dirigido pelo franco-israelense Yvan Attal e aborda temas como a intolerância e o poder das palavras, de forma leve e com algumas pitadas de humor.

Este filme rendeu a Neïla Salah o César de Melhor Atriz Revelação por sua interpretação da personagem Camélia Jordana, uma cabeleireira do subúrbio de Paris que quer ser advogada e desde o primeiro dia de aula na universidade entra em confronto com um professor veterano arrogante, preconceituoso, alcoolotra e famoso por seus ataques explosivos.
Filmado pelos alunos fazendo comentários extremamente grosseiros e racistas, ele é desafiado a preparar Neïla para vencer um concurso acadêmico de retórica em troca de uma segunda chance de seus superiores.
As diferenças são muitas, assim como é enorme a quantidade de ensinamentos que um pode oferecer ao outro mas há muitas barreiras ente eles a serem vencidas.


“O Orgulho” é o filme que abre a programação de Setembro do Moviecom Arte e será exibido nos dias 01 e 02 às 11 horas e no dia 04 às 14 horas no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica

Título original: Le Brio
Nacionalidades: França, Bélgica
Gêneros: Comédia, Drama
Ano de produção: 2017
Estréia: 19 de julho de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 37min
Classificação: 12 anos
Direção: Yvan Attal
Elenco: Abderahmane Cherif, Ayman Rahoui, Camélia Jordana, Damien Zanoli, Daniel Auteuil, Eddy Suiveng, Fahmi Guerbaa, Guillaume Duhesme, Jean-Baptiste Lafarge, Jean-Philippe Puymartin, Nassim Si Ahmed, Nicolas Vaude, Nozha Khouadra, Olivier Adler, Paulette Joly, Philippe Houillez, Randa Berrouba-Tani, Virgil Leclaire, Yasin Houicha, Zohra Benali
Roteiro: Victor Saint Macary, Yaël Langmann, Yvan Attal, Noé Debré, Bryan Marciano
Produção: Jonathan Blumental, Serge de Poucques, Benjamin Elalouf, Sylvain Goldberg, Nadia Khamlichi, Adrian Politowski, Dimitri Rassam, Ardavan Safaee, Jérôme Seydoux, Gilles Waterkeyn
Trilha sonora: Michael Brook
Direção de fotografia: Rémy Chevrin
Edição: Célia Lafitedupont
Design de produção: Michèle Abbé-Vannier
Figurino: Carine Sarfati
Distribuição: Pandora Filmes

Moviecomarte

Uma Casa À Beira-Mar, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 21 de agosto de 2018 0 Comentários

Os fãs do cinema francês vão adorar. O Moviecom Arte traz esta semana um dos melhores diretores franceses da atualidade e sua mais recente obra.


A idílica paisagem da enseada de Méjean, na França, magnificamente registrada na fotografia de Pierre Millon, é o cenário onde cineasta Robert Guédiguian narra o confronto de 3 irmãos reunidos em torno do leito do pai moribundo no longa “Uma Casa À Beira-Mar”.


É neste contexto que Guédiguian se lança em um profundo estudo de cada personagem que aparece em cena, sem a necessidade de expor problemas e de buscar a redenção entre as partes.
Tudo gira em torno de um drama familiar e do passar do tempo, contudo temas como o racismo e a polêmica questão dos imigrantes, fazem parte deste drama que questiona o lugar do Paraíso nos tempos atuais, bem como do inferno que se encontra dentro de todos nós.

Premiado no Festival de Cinema de Veneza de 2017, “Uma Casa À Beira-Mar” fecha a programação de agosto do Moviecom Arte, e será exibido nos dias 25 e 26 às 11 horas e no dia 28 às 14 horas, no Moviecom Arte do Moviecom Cinemas de Jundiaí.

Ficha Técnica
Título: Uma Casa À Beira-Mar
Título Original: La Villa
Nacionalidade: França
Gênero: Drama
Ano de produção: 2017
Estréia: 12 de julho de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 47min
Classificação: 12 anos
Direção: Robert Guédiguian
Elenco: Ariane Ascaride, Jean-Pierre Darroussin, Gérard Meylan, Anaïs Demoustier
Roteiro: Robert Guédiguian, Serge Valletti
Produção: Marc Bordure, Robert Guédiguian
Direção de fotografia: Pierre Milon
Edição: Bernard Sasia
Figurino: Anne-Marie Giacalone
Estúdios: Agat Films & Cie, France 3 Cinéma, Canal+, France Télévisions, Ciné+
Distribuição: Imovision

Moviecomarte

O Amante Duplo, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 11 de agosto de 2018 0 Comentários

François Ozon é um diretor que trabalha loucamente, lançando praticamente um filme por ano a mais de 20 anos. Aclamado como um dos nomes mais importantes do cinema francês contemporâneo, seus filmes geralmente trazem uma abordagem psicanalítica sobre as relações humanas.


“O Amante Duplo”, é um filme ousado desde a primeira cena que mostra em um close impactante um exame ginecológico. A trama conta a história de uma relação amorosa anti-ética e políticamente incorreta entre um psicanalista e uma jovem ex-paciente, e ganha corpo quando surge um irmão gêmeo e também psicanalista mas de temperamento agressivo.


Em uma interessante homenagem ao diretor norte-americano Brian de Palma, Ozon constrói um thriler erótico e de suspense que prende a atenção do começo ao fim, manipulando o público com um roteiro inteligente onde as revelações nunca são suficientes para desvendar o mistério.
Você não pode perder “O Amante Duplo”, a mais recente obra François Ozon, que o Moviecom Arte exibe nos dias 11 e 12 de agosto às 11 horas e no dia 14 de agosto às 14 horas.

Ficha Técnica

Título: O Amante Duplo
Título original: L’Amant Double
Nacionalidades: França, Bélgica
Gêneros: Suspense, Drama, Erótico
Ano de produção: 2017
Estréia: 21 de junho de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 47min
Classificação: 18 anos
Direção: François Ozon
Roteiro: François Ozon, Joyce Carol Oates, Philippe Piazzo
Produção: Eric Altmayer, Nicolas Altmayer
Trilha sonora: Philippe Rombi
Direção de fotografia: Manuel Dacosse
Edição: Laure Gardette
Design de produção: Sylvie Olivé
Direção de arte: Lilith Bekmezian
Decoração de set: Julien Tesseraud
Figurino: Pascaline Chavanne
Estúdios: Mandarin Films, FOZ, Mars Films, Playtime, France 2 Cinéma, Canal+,France Télévisions
Distribuição: California Filmes