Categoria

Moviecomarte

Programação atualizada dos filmes do  Moviecomarte.

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Férias no Cinema!

Postado porTemperos de Cinema 3 de julho de 2018 0 Comentários

Julho é mês de férias e cinéfilo que é cinéfilo de verdade aproveita as férias para ver mais filmes. O Moviecom Arte vem com uma programação repleta de ótimos filmes para uma programação que não deixará suas férias passar em branco.

Amores de Chumbo, de Tuca Siqueira
Dias 07, 08 e 10
O cinema brasileiro, fora do eixo São Paulo-Rio, traz sempre grandes e agradáveis surpresas. É o caso de “Amores de Chumbo”, produção pernambucana que estreou no último Festival de Cinema do Rio de Janeiro e integrou a 41ª Mostra de Cinema de São Paulo.
Dirigido por Tuca Siqueira este filme parte das questões afetivas e amorosas de três amigos, o roteiro tem no período de repressão no Brasil um importante elemento narrativo. Os traumas e as vivências da ditadura são parte indissociável da vida dos protagonistas, todos com passado de resistência e militância política, durante o período de chumbo da ditadura militar.
Quarenta anos separam Maria Eugênia, escritora pernambucana radicada na França, do casal Miguel e Lúcia, que acabam de comemorar quatro décadas de união. O retorno de Maria Eugênia revela segredos do passado, dando margem a dúvidas e desconfianças há muito tempo guardadas.
Partindo do ponto de vista desses três personagens, se revive o momento político e social da época de chumbo da ditadura militar no Brasil — uma história que mudou o rumo de muitas vidas.

A Câmera de Claire, de Hong Sang-soo
Dias 14, 15 e 17 de julho
Um dos diretores mais produtivos da atualidade, Hong Sang-soo já foi comparado a Jean-Luc Godard e é conhecido por seus roteiros criados a partir de sutilezas do dia-a-dia e em pessoas reais.
“A Câmera de Claire” se baseia em desacertos conjugais, um tema bastante recorrente na obra do diretor, e traz a diva Isabelle Huppert como Claire, uma professora, poeta e fotógrafa circulando pelas ruas de Cannes durante o famoso Festival de Cinema e travando amizade com alguns turistas sul coreanos.
Claire tira fotos de seus novos amigos mas não fica com elas. Entrega os registros aos próprios fotografados para que eles possam avaliar suas próprias transformações no decorrer da trama.
Esses encontros funcionam como fio condutor da trama que revelará os demais personagens de um intrincado quebra-cabeças do qual fazem parte e, ao final dela, sairão transformados.

A Amante, de Mohamed Ben Attia
Dias 21, 22 e 24 de julho
O cinema da Tunísia é uma das boas novidade no circuito dos Festivais. Em “A Amante”, o estreante diretor e roteirista Mohamed Ben Attia é uma deliciosa surpresa, um drama romântico sobre desilusões e a imprevisibilidade que se sobrepõe a todos nossos planos.
Badalado em festivais de cinema pelo mundo em 2016, o filme chega ao Brasil com dois anos de atraso e com a pompa de ter vencido os prêmios de melhor ator e melhor filme no prestigiado Festival de Berlim.
Na trama, o introvertido Hedi (Majd Mastoura) parece ter sua vida sob controle. De casamento marcado e com um bom emprego em uma fábrica de automóveis arranjado pelo pai da noiva. À frente de todos os planos está a matriarca da família do protagonista, Baya (Sabah Bouzouita), sempre tomando as rédeas das situações em nome de “um bem maior”.
Tudo muda em uma viagem de trabalho, ele percebe que não é desta forma que ele pretende passar o resto de sua vida. Ele conhece uma jovem que vive de forma descomprometida e livre, que o leva a questionar tudo que o cerca e a redescobrir seus próprios sonhos e desejos.

Oh! Lucy, de Atsuko Hirayanagi
Dias 28, 29 e 31 de julho
A japonesa Atsuko Hiranayagi evoca aqueles personagens especiais em sua banalidade, vivendo situações tão absurdas que são absolutamente reais.
“Oh! Lucy” conta a história de uma mulher que mora sozinha em Tóquio e tem uma vida monótona. Sua sobrinha a convence a se matricular em um curso de inglês pouco convencional onde passa usar uma peruca loira e a representar uma norte-americana chamada Lucy.
A nova identidade surge como seu alter-ego e ela descobre sentimentos dos quais havia esquecido. Ela se apaixona por seu professor de inglês e, após o repentino sumiço dele, embarca para os Estados Unidos à sua procura, vivenciando uma série de aventuras e se desvencilhando de sua vida ordinária.

____________________________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Esplendor, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 28 de junho de 2018 0 Comentários

É possível descrever uma imagem para alguém que não pode vê-la mas é muito difícil colocar em palavras a experiência emocional que uma imagem pode oferecer. “Esplendor”, da cineasta japonesa Naomi Kawase, aborda essa questão do ponto de vista filosófico e também sentimental.


Os dois personagens centrais da trama refletem essa dupla abordagem. Uma jovem dubladora que trabalha com adaptações de filmes para deficientes visuais e um fotógrafo que está perdendo a visão em consequência de uma doença degenerativa.
O encontro dos dois resulta em uma cumplicidade emocionante, levando-os a descobrir novas formas de olhar suas próprias vidas e nos fazendo refletir sobre a delicadeza dos sentidos e as muitas interpretações da palavra “ver”.
A direção de Naomi Kawase, que também assina o roteiro, é de uma sensibilidade ímpar. O hiperclose, imagens desfocadas e cenas do pôr do sol são alguns recursos visuais que reforçam as questões abordadas.


Indicado para a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, onde recebeu o Prémio Ecuménico, e exibido na 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, “Esplendor” encerra a programação do mês do Moviecom Arte e será exibido nos dias 30 de junho e 01 de julho às 11 horas, e no dia 03 de julho às 14 horas.

Ficha Tecnica

Título: Esplendor
Título Original: Hikari
Nacionalidades: Japão e França
Gêneros: Drama, Romance
Ano de produção: 2017
Estréia: 10 de maio de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 41 minutos
Classificação: 10 anos
Direção: Naomi Kawase
Elenco: Masatoshi Nagase, Ayame Misaki, Tatsuya Fuji
Roteiro: Naomi Kawase
Produção: Naoya Kinoshita, Masa Sawada, Yumiko Takebe
Música: Raphael Hamburger
Trilha sonora: Ibrahim Maalouf
Edição: Tina Baz
Estúdios: Comme des Cinémas, Kino Films, Kumie, MK2 Productions
Distribuição: Imovision

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Os Fantasmas de Ismael, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 21 de junho de 2018 0 Comentários

Escrito e dirigido pelo francês Arnaud Desplechin, “Os Fantasmas de Ismael” é um drama denso sobre um diretor de cinema assombrado por fantasmas do passado e em crise com sua vida no presente.


A trama gira em torno de Ismael, um cineasta em crise criativa tentando concluir um filme sobre seu suposto irmão, um diplomata envolvido em espionagem. Ao mesmo tempo, Ismael precisa lidar com um inesperado triângulo amoroso que envolve sua atual mulher Silvia e sua primeira esposa, desaparecida e dada como orta a mais de 20 anos e que ressurge querendo reocupar seu lugar na vida dele.


Estrelado por Marion Cotillard, Charlotte Gainsbourg, Mathieu Amalric e Louis Garrel, “Os Fantasmas de Ismael” não tem uma narrativa tradicional, como é característico das obras de Desplechin. Passado e presente se misturam quase de forma aleatória, sofrendo ainda intervenções de cenas do filme que acontece dentro do filme.


A narrativa fragmentada de Desplechin, combina diferentes gêneros cinematográficos e é recheado de referências a seus outros filmes. Contudo a linguagem é clara e dividida em 4 episódios distintos: o trauma, o desaparecimento e o reaparecimento e o novo relacionamento.


“Os Fantasmas de Ismael” fala também sobre o processo de criação de um artista e a falta de inspiração que, assim como um fantasma, assombra o diretor.
O destaque vai para a atuação irretocável de Charlotte Gainsbourg e Mathieu Amalric que conseguem dar uma impressionante profundidade a seus personagens.


Este é filme da semana no Moviecom Arte e você poderá conferir o novo trabalho deste diretor que é considerado “o Woody Allen francês” nos dias 23 e 24 às 11 horas e no dia 26 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Os Fantasmas de Ismael
Título Original: Les Fantomes d’Ismaël
Direção: Arnaud Desplechin
Roteiro: Arnaud Desplechin, Julie Peyr, Lea Mysius
Produção: Pascal Caucheteux
Fotografia: Irina Lubtchansky
Edição: Laurence Briaud
Música: Grégoire Hetzel
Figurino: Nathalie Raoul
Gênero: Drama
País: França
Ano: 2017
Duração: 117 Minutos
Elenco: Marion Cotillard, Mathieu Amalric, Charlotte Gainsbourg, Louis Garrel
Distribuição: Imovision

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Acertando o Passo, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 8 de junho de 2018 0 Comentários

Richard Loncraine é o diretor de “Acertando o Passo”, uma comédia dramática estrelada por Imelda Staunton e Celia Imrie, que o Moviecom Arte exibe nos dias 09, 10 e 12 de junho.


A trama gira em torno de duas irmãs na terceira idade que, forçadas pelas circunstâncias, voltam a conviver depois de muitos anos afastadas e aí constatam suas diferenças e quanto têm a aprender uma com a outra.


Esta é a segunda vez que Loncraine mira personagens da terceira idade. Em 2015 ele dirigiu “Ruth e Alex”, estrelado por Diane Keaton e Morgan Freeman, que viviam um casal de idosos que decide vender o apartamento onde vivem.
Em “Acertando o Passo”, uma senhora rica ao descobrir a infidelidade do marido resolve voltar a viver com a irmã, com quem não falava a muitos anos. Essa convivência se revela profundamente transformadora para ambas.


Entre as descobertas e redescobertas, essa senhora passa a frequentar aulas de dança e se abre para novas possibilidades, inclusive para um novo amor.


Richard Loncraine não economiza nos clichês típicos dos filmes de dança e da terceira idade, mas faz uso deles com inteligência e sem perder aquele estilo europeu de cinema, onde o foco está no personagem e em suas relações. “Acertando o Passo”, é um fime emocionante e divertido.

Ficha Técnica
Título original: Finding Your Feet
Nacionalidade: Reino Unido
Gêneros: Comédia, Drama
Ano de produção: 2017
Estréia: 10 de maio de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 51 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Richard Loncraine
Roteiro: Meg Leonard, Nick Moorcroft
Elenco: Imelda Staunton, Joanna Lumley, Timothy Spall, Celia Imrie e Phoebe Nicholls
Trilha sonora: Michael J. McEvoy
Direção de fotografia: John Pardue
Edição: Johnny Daukes
Design de produção: Jon Bunker
Figurino: Jill Taylor
Distribuição: California Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Uma Cinderela Moderna no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 31 de maio de 2018 0 Comentários

A espanhola Rossy de Palma é uma das grandes divas do cinema contemporâneo. Musa de Almodóvar (com quem trabalhou em 7 filmes), Rossy esbanja talento e versatilidade, indo da comédia à tragédia em personagens que se tornaram históricos.
E é em uma rasgada comédia romântica que ela está de volta, desta vez sob a direção da francesa Amanda Sthers, em “Madame”, um conto de fadas moderno que faz uma divertida releitura do arquétipo de Cinderela.


A história gira em torno de Maria (Rossy de Palma), a empregada espanhola de um casal de milionários americanos que vai morar em Paris. Durante um jantar oferecido a um seleto grupo de amigos europeus, a supersticiosa anfitriã se dá conta de que tem 13 convidados à mesa e obriga Maria a passar por uma aristocrata espanhola.


Atrapalhada, a pobre Maria esforça-se para interpretar sua personagem o mais discretamente possível mas acaba conquistando as atenções de um influente comerciante de arte inglês que fica totalmente seduzido por ela.
O namoro entre eles vai além daquela noite e, apavorados, os patrões americanos fazem o possível e o impossível para terminar com a relação antes que o inglês perceba o papel deles naquela terrível mentira.


O enredo não é dos mais originais mas Amanda Sthers abusa e faz bom uso de todos os clichês, contando ainda com o talento de um elenco de estrelas como Toni Collette, Harvey Keitel e Tom Hughes, além de mais uma atuação impagável de Rossy de Palma.
Tudo isso resulta em uma deliciosa e sofisticada comédia que vai além de divertir o público. Nas entrelinhas do texto estão algumas das facetas mais perversas da nossa sociedade como as diferenças de classes e a abusiva relação patronal para com empregados de classes sociais inferiores.


“Madame” é o filme da semana no Moviecom Arte e será exibido nos dias 02 e 03 de junho às 11 horas e no dia 05 de junho às 14 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica
Título original: Madame
Nacionalidade: França
Gêneros: Drama, Comédia, Romance
Ano de produção: 2017
Estréia: 29 de março de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 30 minutos
Direção: Amanda Sthers
Roteiro: Amanda Sthers, Matthew Robbins, Amanda Sthers
Elenco: Rossy de Palma, Toni Collette, Harvey Keitel, Michael Smiley, Tom Hughes, Violaine Gillibert, Stanislas Merhar, Sue Cann, Ariane Séguillon, Amélie Grace Zhurkin, James Foley, Brendan Patricks, Tim Fellingham, Joséphine de La Baume e Sonia Rolland.
Produção: Cyril Colbeau-Justin, Matthew Gledhill, Didier Lupfer, Alain Pancrazi
Trilha sonora: Matthieu Gonet
Direção de fotografia: Régis Blondeau
Edição: Nicolas Chaudeurge
Design de produção: Herald Najar
Decoração de set: Julyan Giraux
Distribuição: California Filmes

 

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Deixe A Luz Do Sol Entrar, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 23 de maio de 2018 0 Comentários

A diva Juliette Binoche aparece com frequência na programação do Moviecom Arte e não é porque somos fãs declarados dela. Aos 54 anos ela é uma atriz cheia de energia e super solicitada por todos os diretores, dos novatos aos mais renomados.


Incapaz de dizer não a um bom roteiro, vira e mexe Binoche aparece vestindo um personagem incrível. Em “Deixe a Luz do Sol Entrar”, de Claire Denis, ela é Isabelle, uma artista parisiense – mãe e divorciada – em busca do amor verdadeiro.
“Deixe a Luz do Sol Entrar” nasceu de um convite que a diretora Claire Denis e outras diretoras receberam para fazerem adaptações de “Fragmentos De um Discurso Amoroso”, obra de Roland Barthes que completou em 2017 o aniversário de 40 anos de sua primeira publicação.


Em sua obra Barthes falava da solidão e extrema depreciação dos discursos amorosos de hoje em dia e é isso que vemos na história da personagem de Juliette Binoche. Isabelle vive em um entra e sai de relacionamentos, sempre se decepcionando com seus parceiros.


Claire Denis assina o roteiro em parceria com Christine Angot, criando uma sucessão de conversas que vão da trivialidade ao existencialismo que, muito além do romance ou da comédia, é uma jornada de autoconhecimento de uma mulher dos nossos tempos.
Além de Binoche, outro astro francês super requisitado do cinema francês – e também figura fácil no Moviecom Arte – faz participação especial no filme: Gérard Depardieu. Ele surge na trama como um psiquiatra que eleva Isabelle a refletir sobre o essencial.
“Deixe a Luz do Sol Entrar” é o filme da semana no Moviecom Arte, que será exibido nos dias nos dias 26 e 27 às 11 horas e dia 29 de maio às 14 horas.

Ficha Técnica
Título Original: Un Beau Soleil Intérieur
Título no Brasil: Deixe a Luz do Sol Entrar
Nacionalidades: França, Bélgica
Gêneros: Drama, Comédia, Romance
Ano de produção: 2017
Estréia: 29 de março de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 35 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Claire Denis
Roteiro: Claire Denis & Christine Angot
Elenco: Juliette Binoche, Xavier Beauvois, Philippe Katerine, Josiane Balasko, Sandrine Dumas, Nicolas Duvauchelle e Alex Descas
Produção: Emilien Bignon, Jacques-Henri Bronckart, Olivier Bronckart, Christine De Jekel, Olivier Delbosc, Philippe Logie
Trilha sonora: Stuart A. Staples
Direção de fotografia: Agnès Godard
Edição: Guy Lecorne
Design de produção: Arnaud de Moleron
Distribuição: Imovision

CinemaExtrasMoviecomarteMoviecomarte

O Renascimento do Parto 2, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 15 de maio de 2018 0 Comentários

Além de sua programação normal, o Moviecom Arte apresentará no próximo final de semana, dias 19 e 20 de maio às 11 horas, “O Renascimento do Parto 2”. Continuação do documentário lançado em 2013, este documentário volta a promover o debate sobre a humanização do parto, nascimento e violência obstétrica.
Dirigido novamente por Eduardo Chauvet – que agora assina também o roteiro – o longa traz depoimentos de mães, ativistas, médicos e outros profissionais da área da saúde.


O primeiro filme veio na esteira de dados que impressionam sobre as cesarianas no Brasil. O país é o campeão mundial de cirurgias cesarianas no setor privado. Mais de 55% das grávidas brasileiras passam pelo procedimento cirúrgico. Esse número salta para mais de 90% dos nascimentos na rede privada de saúde. A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de que a porcentagem de cesarianas não ultrapasse 15% do total de nascimentos.
As consequências desses índices são graves e incluem o aumento de partos prematuros, crescimento do desmame precoce, enfraquecimento do vínculo materno com o bebê e depressão pós-parto, entre outros.
Motivado por esses dados, Eduardo Chauvet produziu o primeiro longa sem nenhum recurso público ou privado. De forma independente, bateu o recorde brasileiro de crowdfunding ao arrecadar mais de R$ 140 mil, dinheiro utilizado para garantir a exibição no circuito comercial.


O esforço valeu a pena. “O Renascimento do Parto” terminou 2013 como o segundo documentário mais assistido nos cinemas do país. Em 22 semanas em cartaz, o filme passou por 50 cidades e foi selecionado para festivais dentro e fora do Brasil. Neste ano, coincidindo com o lançamento de “O Renascimento do Parto 2” no circuito exibidor de cinemas, o longa também será lançado nas plataformas de vídeo sob demanda pela Vitrine Filmes.


Seu sucesso revela a urgente demanda por mais conteúdo de qualidade a respeito do tema. Cada vez mais, mulheres e famílias brasileiras, especialistas e gestores de saúde se preocupam com a forma como os bebês são trazidos ao mundo.
Nesta sequência, o filme tem na violência obstétrica o seu fio condutor, muito recorrente no Brasil, como também aponta para experiências bem-sucedidas de parto normal praticados tanto no Brasil como no exterior.
Além de “O Renascimento do Parto 2”, já está garantido o lançamento de “O Renascimento do Parto 3” nos cinemas em setembro de 2018, fechando assim a trilogia.

Ficha Técnica

Título original: O Renascimento do Parto 2
Distribuição: Espaço Filmes
País: Brasil
Gênero: Documentário
Ano de produção: 2015
Lançamento nacional: 10 de maio de 2018
Classificação: 12 anos
Direção: Eduardo Chauvet

CinemaMoviecomarteMoviecomartePrograçãoDe Maio

Submersão no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 3 de maio de 2018 0 Comentários

Religião e ciência, o amor e a solidão, o conhecimento e a ignorância, o fundo do mar e o deserto, esses extremos são os temas centrais desta nova obra do cultuado diretor alemão, Wim Wenders, e que abre a programação de Maio do Moviecom Arte.


Baseado no livro homônio do autor britânico J.M. Ledgard, “Submersão” parte do tórrido e rápido encontro de um casal pouco provável, uma pesquisadora científica e um espião, em um hotel da costa francesa.
As lembranças desse encontro arrebatador acompanharão os dois personagens em momentos em que ambos estarão a um passo da morte, perseguindo seus ideais.


“Submersão”, mais que uma história de amor e de desencontros, é um profundo mergulho na alma humana e o poder de acreditar.
A interpretação de Alicia Vikander e James McAvoy (com uma sintonia e química perfeita); a belíssima fotografia de Benoît Debie; e a capacidade de Wim Wnders de sempre nos surpreender, são alguns dos pontos altos deste filme que você assistirá no Moviecom Arte nos dias 05 e 06 às 11 horas e dia 08 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Submersão
Título original: Submergence
Nacionalidade: EUA
Gêneros: Suspense, Romance
Ano de produção: 2017
Duração: 1h 52 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Wim Wenders
Roteiro: Erin Dignam, J.M. Ledgard
Trilha sonora: Fernando Velázquez
Direção de fotografia: Benoît Debie
Edição: Toni Froschhammer
Design de produção: Thierry Flamand
Direção de arte: Virginie Hernvann, Florian Müller, Andreas Olshausen
Decoração de set: Deborah Chambers
Figurino: Bina Daigeler
Distribuição: California Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Novo Filme do Brilhante Diretor Andrey Zvyagintsev

Postado porTemperos de Cinema 27 de abril de 2018 0 Comentários

Representando a Russia no Oscar 2018 e premiado em Cannes e em Londres, “Sem Amor” é uma verdadeira obra de arte dirigida por Andrey Zvyagintsev, um dos grandes nomes do cinema europeu contemporâneo.


“Sem Amor” é um filme denso e forte, bem ao gosto dos verdadeiros cinéfilos. Fala sobre a frivolidade nas relações humanas de uma forma geral. E é interessante o modo como Zvyagintsev parte de uma simples narrativa de um acontecimento em um universo micro, transformando-a em uma metáfora que nos obriga a refletir sobre seus milhares de desdobamentos no mundo atual.


A história mostra um casal que está divorciando-se e única coisa que resta daquela união frustrada é uma criança extremamente abalada com essa separação e as constantes brigas que ecoam pelo apartamento da família.
Na nova vida desse homem e dessa mulher não sobra espaço e nem atenção para a criança, que passa a ser completamente ignorada até que um dia desaparece, completa e misteriosamente.


O diretor do pesadíssimo “Leviatã”, que também concorreu ao Oscar em 2014, surpreende mais uma vez com uma obra que mostra não só a decadência humana mas também a decadência de seu país, a Russia, sendo um a consequência da decadência do outro.
Decadência essa que não conhece fronteiras e hoje atinge grande parte da sociedade mundial.
Este é o filme da semana no Moviecom Arte e você poderá assistí-lo nos dias 28 e 29 de abril, sábado e domingo, sempre às 11 horas, ou na terça-feira dia 1º de maio (feriado!!!), às 14 horas. E o Moviecom Arte você já sabe, é um projeto exclusivo do Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica:
Título: Sem Amor
Título original: Nelyubov
Título em inglês: Loveless
Nacionalidades: Rússia, França, Bélgica, Alemanha
Gênero: Drama
Ano de produção: 2017
Duração: 2h 07 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Andrey Zvyagintsev
Roteiro: Oleg Negin, Andrey Zvyagintsev
Produção: Pascal Caucheteux, Gleb Fetisov, Sergey Melkumov, Olivier Père, Alexander Rodnyansky
Trilha sonora: Evgueni Galperine, Sacha Galperine
Direção de fotografia: Mikhail Krichman
Edição: Anna Mass
Produção de design: Andrey Ponkratov
Distribuição: Sony Pictures

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Eu, Tonya, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 19 de abril de 2018 0 Comentários

“Eu, Tonya”, filme da semana no Moviecom Arte, conta a história da patinadora artística Tonya Harding que brilhou entre as décadas de 80 e 90 e também se tornou uma das figuras mais polêmicas do meio esportivo.


Dirigido por Craig Gillespie e com roteiro de Steven Rogers baseado na biografia e relatos da própria Tony Harding, esta cinebiografia conta a história da primeira patinadora norte-americana a fazer o dificílimo salto Axel triplo e que revolucionou o esporte ao usar rock, música pop e trilha de filmes em suas apresentações.

Apesar de todo o reconhecimento, sua determinação inabalável, seu perfil competitivo e seu temperamento difícil, levaram Tonya a se envolver em polêmicas que terminaram encerrando precocemente sua carreira.


Em uma excelente performance a atriz Margot Robbie, indicada ao Oscar de Melhor Atriz por este trabalho, interpreta Tonya Harding em diversos momentos de sua vida, do estrelato na adolescência ao esquecimento nos tempos atuais. A ex-atleta hoje tem 47 anos.


O filme teve mais duas indicações ao Oscar: Melhor Montagem e Melhor Atriz Coadjuvante. Acabou levando este último pelo também impecável desempenho da atriz Allison Janney.
Mas esqueça as fórmulas tradicionais das cinebiografias. “Eu, Tonya” surpreende também pela narrativa super original. E você poderá conferir tudo isso no Moviecom Arte nos dias 21 e 22 de abril às 11 horas e dia 24 de abril às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Eu, Tonia
Titulo original: I, Tonya
Nacionalidade: EUA
Gêneros: Biografia, Drama
Ano da produção: 2017
Duração: 2 horas
Direção: Craig Gillespie
Roteiro: Steven Rogers
Produção: Tom Ackerley, Len Blavatnik, Margot Robbie, Steven Rogers
Música: Peter Nashel
Fotografia: Nicolas Karakatsanis
Edição: Tatiana S. Riegel
Design de produção: Jade Healy
Direção de arte: Andi Crumbley
Figurino: Jennifer Johnson
Estúdios: Clubhouse Pictures (II), LuckyChap Entertainment
Distribuição: California Filmes