Categoria

Moviecomarte

Programação semanal atualizada das salas Moviecomarte e Sala Cult.

CinemaMoviecomarteMoviecomartePrograçãoDe Maio

Gloria Bell no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 16 de maio de 2019 0 Comentários

Sebastián Lelio é um diretor chileno que ganhou os holofotes em 2013 pelas nomeações e prêmios recebidos pelo filme “Gloria” e chegou ao Oscar em 2018 com o filme “Uma Mulher Fantástica”, que conta com uma protagonista transexual e que você assistiu aqui no Moviecom Arte.


Agora, em 2019, ele traz a versão americana de seu longa-metragem de 2013 com um novo título “Gloria Bell”.
Protagonizado por Julianne Moore em mais uma atuação magnífica, o longa conta a história de Gloria, uma mulher acima dos 50 anos, com um espírito jovial que se envolve com um ex-oficial da Marinha que ela conhece em uma danceteria de Los Angeles.


Além da atuação de Julianne Moore, a trilha sonora é excepcional, repleta de sucessos da era “disco” que cumprem um papel essencial na consolidação dessa mulher mais velha e de espírito livre que passa os dias trabalhando em um escritório tradicional e conservador e que, à noite, se solta, dançando nas discotecas.


“Gloria Bell” é uma sofisticada comédia romântica que mostra que o amor pode surgir a qualquer momento, que os relacionamentos nunca são simples e que nada pode deixar você para baixo enquanto você continuar dançando.


Este é o filme da semana no Moviecom Arte do Moviecom Cinemas no Maxi Shopping Jundiaí. Você poderá assisti-lo nos dias 18 e 19 às 11 horas e no dia 21 às horas.

Ficha Técnica
Título: Gloria Bell
Título Original: Gloria Bell
Gênero: Comédia, Drama
Direção: Sebastián Lelio
Roteiro: Alice Johnson Boher e Sebastián Lelio
Elenco: Julianne Moore, Alanna Ubach, Michael Cera, Sean Astin, John Turturro & Jeanne Tripplehorn
Fotografia: Natasha Braier
Trilha Sonora: Matthew Herbert
Montagem: Soledad Salfate
Design de Produção: Shannon WalshEstreia no Brasil: 28 de Março de 2019
País de Origem: EUA
Idioma: Inglês
Ano de produção: 2018
Duração: 102 min
Classificação: 14 anos
Distribuição: Sony

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Vidas Duplas, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 10 de maio de 2019 0 Comentários

Com um conjunto de ótimos atores (entre eles a diva Juliette Binche) e diálogos afiadíssimos, o diretor francês Olivier Assayas apresenta em Vidas Duplas (Double Vies) uma discussão sobre a revolução tecnológica dos hábitos de leitura como porta de entrada para outros dilemas, tais como profissão, relacionamento e, principalmente, a hipocrisia humana.


Se não fosse a língua francesa, poderíamos dizer que se trata de uma obra de Woody Allen.
Em um encontro social, enquanto bebem vinho, os convidados discutem sobre a contradição entre a escassa leitura de jornais e os grande acessos dos blogs como principal fonte de informação.


Em outro momento, questiona-se a facilidade dos leitores digitais em detrimento dos livros físicos. A acalorada discussão inicial é um pontapé para as questões individuais de cada personagem.
O filme segue relacionamentos entrelaçados e os viés de cada um sobre as suas questões pessoais. Os protagonistas deste embate de perspectivas são o bem-sucedido editor Alain (Guillaume Canet) e Léonard (Vincent Macaigne), escritor de suas próprias experiências.


No caso, Alain rejeita a última obra de Léonard por achá-lo repetitivo e desejar novas vozes no mercado. Ao mesmo tempo, ele lida com a nova postura da editora em publicar mais e-book a livros físicos.
As discussões sobre popularização da leitura e menor custo de produção permeiam todo o longa.
“Vidas Duplas”, de Olivier Assayas, é o filme da semana no Moviecom Arte nos dias 11 e 12, às 11 horas, e dia 14 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título original: Doubles Vies
Nacionalidade: França
Gêneros: Comédia, Romance
Ano de produção: 2018
Estréia: 18 de abril de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 47min
Classificação: 14 anos
Direção: Olivier Assayas
Elenco: Juliette Binoche, Guillaume Canet, Vincent Macaigne
Roteiro: Olivier Assayas
Direção de fotografia: Yorick Le Saux
Edição: Simon Jacquet
Design de produção: François-Renaud Labarthe
Figurino: Jürgen Doering
Distribuição: California Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Um Banho de Vida, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 3 de maio de 2019 0 Comentários

O diretor francês Gilles Lellouche assina “Um Banho de Vida” (Le Grand Bain), uma deliciosa e delicada comédia sobre um grupo de homens de meia idade que começa a praticar natação sincronizada, uma modalidade esportiva praticada mais habitualmente por mulheres.


O protagonista é Bertrand (Mathieu Amalric), um pai de família desempregado e depressivo, que um dia resolve, ao ver um anúncio no jornal, participar de uma equipe de nado sincronizado.
Quem o recebe no grupo é Thierry (Philippe Katerine), e logo ele se vê entre novos amigos, todos falando sobre suas frustrações no vestiário, na sauna e no bar. Bertrand percebe que mais do que horas na piscina o grupo de natação é um encontro terapêutico.


Os personagens e seus dilemas são expostos pouco a pouco, enquanto a trama se desenvolve dentro das paredes do ginásio esportivo.
O ponto alto da trama acontece quando o grupo de amadores se inscreve para uma competição mundial de nada sincronizado masculino na Dinamarca.
A partir desse momento, os homens começam a treinar duro sob a tutela de Amanda (Leïla Bekhti), uma treinadora paraplégica e linha dura que bate nos homens e os intimida verbalmente e aos berros.

“Um Banho de Vida” é o filme que abre a programação de maio do Moviecom Arte e será exibido nos dias 04 e 05 às 11 horas e no dia 07 às 14 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica
Título: Um Banho de Vida
Título original: Le Grand Bain
Nacionalidade: França
Gêneros: Drama, Comédia
Ano de produção: 2019
Estréia: 21 de março de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 58min
Classificação: 14 anos
Direção: Gilles Lellouche
Roteiro: Gilles Lellouche, Ahmed Hamidi, Julien Lambroschini
Trilha sonora: Jon Brion
Direção de fotografia: Laurent Tangy
Edição: Simon Jacquet
Design de produção: Florian Sanson
Decoração de set: Camille Bougon-Pigneul
Figurino: Elise Bouquet, Reem Kuzayli
Distribuição: Pagu Pictures

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Programação de Maio no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 3 de maio de 2019 0 Comentários

Se você não vai até Cannes, o Moviecom Arte traz Cannes até você.  A nossa programação de maio traz alguns dos grandes filmes que receberam indicações para o cobiçado prêmio do cinema europeu e também uma nova versão do badalado diretor iraniano Asghar Farhadi para o seu filme de estreia “Gloria”.

DIAS 04, 05 E 07
UM BANHO DE VIDA
de Gilles Lellouche

Comédia francesa aborda masculinidade e depressão

Um Banho de Vida (Le Grand Bain) é uma comédia leve sobre a sublimação dos problemas por meio de um esporte artístico, a natação sincronizada masculina.
Grande parte das piadas do filme são relacionadas à emulação de um lado mais feminino de um grupo de homens de meia-idade por conta da modalidade notoriamente praticada por esportistas mulheres.
Com esse argumento, o filme apresenta cada personagem participante do grupo de nadadores amadores sob o comando de uma treinadora e ex-ginasta olímpica.
O protagonista é o depressivo Bertrand (Mathieu Amalric), um pai de família desempregado que passa os dias na cama ou jogando Candy Crush no sofá, enquanto sua esposa e filhos vivem ao redor da sua ausência emocional. Um dia ele vê o anúncio para participar de uma equipe de nado sincronizado e decide inscrever-se.
Recebido por Thierry (Philippe Katerine), Bertrand percebe que mais do que horas na piscina o grupo de natação é um encontro terapêutico. Isso porque eles compartilham suas frustrações no vestiário, na sauna e no bar entre cervejas para aliviar o peso da vida durante a outra parte do dia. Os personagens e seus dilemas são expostos pouco a pouco, enquanto a trama desenvolve-se também dentro das paredes do ginásio esportivo.

DIAS 11, 12 E 14
VIDAS DUPLAS
de Olivier Assayas

Comédia Francesa com tom de Woody Allen

Com um conjunto de ótimos atores e diálogos afiadíssimos, o diretor francês Olivier Assayas apresenta em Vidas Duplas (Double Vies) uma discussão sobre a revolução tecnológica dos hábitos de leitura como porta de entrada para outros dilemas, tais como profissão, relacionamento e, principalmente, a hipocrisia humana.
Se não fosse a língua francesa, poderíamos dizer que se trata de uma obra de Woody Allen.
Em um encontro social, enquanto bebem vinho, os convidados discutem sobre a contradição entre a escassa leitura de jornais e os grande acessos dos blogs como principal fonte de informação.
Em outro momento, questiona-se a facilidade dos leitores digitais em detrimento dos livros físicos. A acalorada discussão inicial é um pontapé para as questões individuais de cada personagem.
O filme segue relacionamentos entrelaçados e os viés de cada um sobre as suas questões pessoais. Os protagonistas deste embate de perspectivas são o bem-sucedido editor Alain (Guillaume Canet) e Léonard (Vincent Macaigne), escritor de suas próprias experiências.
No caso, Alain rejeita a última obra de Léonard por achá-lo repetitivo e desejar novas vozes no mercado. Ao mesmo tempo, ele lida com a nova postura da editora em publicar mais e-book a livros físicos.
As discussões sobre popularização da leitura e menor custo de produção permeiam todo o longa.

DIAS 18, 19 E 21
GLORIA BELL
de Sebastián Lelio

Um “Lady Bird” da Melhor Idade

Sebastián Lelio é um diretor chileno que ganhou os holofotes em 2013 pelas nomeações e prêmios recebidos pelo filme “Gloria” e chegou ao Oscar em 2018 com o filme “Uma Mulher Fantástica”, que conta com uma protagonista transexual e que você assistiu aqui no Moviecom Arte.
Agora, em 2019, ele traz a versão americana de seu longa-metragem de 2013 com um novo título “Gloria Bell”. Protagonizado por Julianne Moore em mais uma atuação magnífica, o longa conta a história de Gloria, uma mulher acima dos 50 anos, com um espírito jovial que se envolve com um ex-oficial da Marinha que ela conhece em uma danceteria de Los Angeles.
Além da atuação de Julianne Moore, a trilha sonora é excepcional, repleta de sucessos da era “disco”.

 

DIAS 25, 26 E 28
TODOS JÁ SABEM
de Asghar Farhadi

Suspense e Segredos do Passado em Tom Novelesco

Com um elenco encabeçado por Penélope Cruz, Javier Bardem e Ricardo Darín, Todos Já Sabem (Todos lo Saben) se apresenta com um delírio cinéfilo ao reunir os melhores atores hispânicos da atualidade em um mesmo filme.
A obra é escrita e comandada pelo iraniano Asghar Farhadi (o ganhador do Oscar com “A Separação”). Esta é a sua primeira produção que não tem sua pátria como tema, ambientando este melodrama em um pequeno povoado da Espanha.
Nos primeiros minutos de tela, o elenco é apresentado com fluidez e habilidade. Após anos distante, Laura (Penélope Cruz) volta ao povoado da sua família com os dois filhos, a adolescente Irene (Carla Campra) e menino Diego (Iván Chavero), para o casamento da irmã mais nova Ana (Inma Cuesta). Toda a família prepara-se para a festividade que toma conta de tela por longos momentos, desde a cerimônia na igreja até a grande festa no quintal de casa.
Entre os convidadeos está Paco (Javier Bardem) e sua esposa Bea (Bárbara Lennie), amigos da família e uma equipe de filmagem, além dos vizinhos do povoado. No meio da bebedeira e danças, a luz apaga-se e Paco busca um transformador em sua fazenda para dar continuidade à celebração.
A partir deste momento, entretanto, Laura percebe que Irene não está no quarto, nem no banheiro, ou qualquer lugar da casa. Já aflita, ela recebe uma mensagem para que não chame a polícia, senão sua filha corre risco de morte. Desse modo começa o grande suspense de Todos Já Sabem e todos as possibilidades são postas à mesa.

 

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Suprema, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 26 de abril de 2019 0 Comentários

O drama biográfico “Suprema” conta a história de Ruth Bader Ginsburg, a segunda mulher que se tornou juíza da Suprema Corte Americana.


Dirigido por Mimi Leder e trazendo Felicity Jones no papel principal, “Suprema” mostra a luta de Ginsburg contra a desigualdade de gênero, bem como o papel dos jovens nas mudança de ideia de uma geração.
Jane, a filha de Ginsburg, é uma das personagens mais intrigantes do filme: com apenas 15 anos, a menina é responsável por mostrar à mãe que a transformação da mentalidade das próximas gerações já estava acontecendo, e que as leis precisavam mudar para acompanhar esse processo.


Ruth Bader Ginsburg se tornou um símbolo da luta pelos direitos iguais para as mulheres e atualmente, aos 85 anos, ainda é referência para as gerações atuais.


Este é o filme que escolhemos para exibição no Moviecom Arte dos dias 27 e 28 às 11 horas e dia 30 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título original: On the Basis of Sex
Nacionalidade: EUA
Gêneros: Drama, Biografia
Ano de produção: 2018
Estréia: Sem data definida
Direção: Mimi Leder
Roteiro: Daniel Stiepleman
Elenco: Felicity Jones, Justin Theroux, Armie Hammer
Produção: Robert W. Cort, Betsy Danbury, Jonathan King, Erin F. Larsen, Karen Loop, Carlen Palau
Trilha sonora: Mychael Danna
Direção de fotografia: Michael Grady
Edição: Michelle Tesoro
Design de produção: Nelson Coates
Direção de arte: Camille Parent, Paola Ridolfi
Decoração de set: Emmanuelle Boies, Sylvain Mendez, Sonia Venne
Figurino: Isis Mussenden
Distribuição: Diamind Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Querido Menino, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 18 de abril de 2019 0 Comentários

Estrelado por Steve Carell e Timothée Chalamet, “Querido Menino” é dirigido pelo belga Felix van Groeningen e conta a história de David Sheff, respeitado jornalista e escritor, pai de três filhos, sendo um destes Nic Sheff, seu primogênito da primeira união. Apesar do garoto ser um jovem muito inteligente, amável e gentil com todos, não conseguiu fugir do vício nas drogas, principalmente após experimentar metanfetaminas. Esta compulsão de Nic abala as estruturas familiares, especialmente seu pai David, que busca a todo custo entender a dependência de seu filho.


Esta é a primeira grande empreitada de Felix van Groeningen em Hollywood e o diretor optou por uma direção discreta onde o espectador acompanha a aflição de um pai que negligencia a atual esposa e outros dois filhos para preocupar-se a todo instante com o primogênito.


Steve Carell entrega uma atuação regular e emotiva, em que seu personagem chega a experimentar o ópio em busca de entender o que o filho sente. Mas o destaque fica com a enérgica atuação de Timothée Chalamet.
Venha conferir este realista e belo drama no Moviecom Arte dos dias 20 e 21 às 11 horas e dia 23 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título original: Beautiful Boy
Nacionalidade: EUA
Gênero: Drama
Ano de produção: 2018
Estréia: 21 de fevereiro de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 52min
Classificação: 14 anos
Direção: Felix Van Groeningen
Roteiro: Felix Van Groeningen, Luke Davies
Produção: Brad Pitt, Sarah Esberg, Dede Gardner, Jeremy Kleiner, Nan Morales
Elenco: Steve Carell, Timothée Chalamet e Maura Tierney
Direção de fotografia: Ruben Impens
Edição: Nico Leunen
Design de produção: Ethan Tobman
Direção de arte: Patrick M. Sullivan Jr.
Decoração de set: Jennifer Lukehart
Figurino: Emma Potter
Distribuição: Diamond Films

 

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

A Mula, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 12 de abril de 2019 0 Comentários

Clint Eastwood é uma das grandes lendas do cinema. Com mais de 6 décadas à frente e por trás das câmeras ele anuncia aos 89 anos sua aposentadoria.
Para a despedida das telas, Clint escolheu o filme “A Mula”, um roteiro de Nick Schenk baseado em uma história real, que ele dirige e protagoniza.


Mais amável e menos turrão que em seus filmes anteriores, Clint Eastwood interpreta Leo Sharp, um homem que coleciona uma série de honras que vão desde de prêmios por seus trabalhos como paisagista e decorador até o reconhecimento por ter lutado contra os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.


No entanto, foi aos 90 anos que conquistou algo surpreendente: ele foi preso por portar o equivalente a três milhões de dólares em cocaína no seu carro, uma picape velha, no Michigan. Sharp era o líder do Sinaloa, um cartel de drogas no México e foi sentenciado à três anos de cadeia.


“A Mula” conta ainda com um time de estrelas de primeira linha em seu elenco, como Bradley Cooper, Andy Garcia, Talissa Farmiga e Alison Eastwood.
Este é o filme que exibiremos para você no Moviecom Arte dos dias 13 e 14 às 11 horas e dia 16 às 14 horas. Imperdível.

Ficha Técnica
Título original: The Mule
Nacionalidade: EUA
Gêneros: Drama, Biografia
Ano de produção: 2018
Estréia: 14 de dezembro de 2018 (EUA)
Direção: Clint Eastwood
Elenco: Taissa Farmiga, Bradley Cooper, Clint Eastwood, Michael Peña, Laurence Fishburne, Clifton Collins Jr., Manny Montana, Noel Gugliem,i Dianne Wiest e Alison Eastwood
Roteiro: Nick Schenk
Produção: Clint Eastwood, Jillian Apfelbaum, David Bernad,Ruben Fleischer, Dan Friedkin, Todd Hoffman, Jessica Meier, Tim Moore, Kristina Rivera, Bradley Thomas
Direção de fotografia: Yves Bélanger
Edição: Joel Cox
Design de produção: Kevin Ishioka
Direção de arte: Rory Bruen, Julien Pougnier
Decoração de set: Ronald R. Reiss
Distribuição: Warner Bros.

 

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Vice, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 4 de abril de 2019 0 Comentários

Com uma carreira sólida no reino das comédias de gosto duvidoso, Adam McKay surpreende em “Vice”, seu mais recente trabalho, que chegou com 8 indicações ao Oscar 2.019.
O filme nos coloca em um momento crucial na vida de Dick Cheney, vice-presidente dos Estados Unidos, durante os ataques terroristas de 11 de setembro. Conforme seguimos a agitação dos funcionários da Casa Branca somos transportados para Wyoming de 1963, onde Cheney é um jovem trabalhador braçal, bêbado, sem perspectivas que acabara de largar a faculdade e é pressionado pela esposa para achar um caminho na vida.

Com muito humor e uma linguagem extremamente acessiva, o diretor segue acompanhando a carreira de Cheney, saltando para 1969 quando trabalhou com Donald Rumsfeld, assessor econômico de Nixon, tornando-se um agente político experiente enquanto conciliava a vida em família, chegando até ao cargo de chefe de gabinete da Casa Branca para o presidente Gerald Ford, enquanto Rumsfeld se torna secretário de Defesa.

Mesmo sem nunca permitir a total empatia pelo protagonista, Adam McKay ainda consegue entregar momentos de humanidade dentro de um personagem tão moralmente lacônico. Com a saída dos republicanos da Casa Branca o político veterano resolve concorrer para o congresso, época em que sofre seu primeiro ataque cardíaco.

A história de Cheney é atraente por si só, mas é a performance de Christian Bale que realmente entrega o engenho ardiloso por trás de suas ações. Se a transformação física já é impressionante, é a atenção aos gestos, cacoetes e até mesmo timbre de voz que esconde a malícia do personagem. Como o próprio Bale “brincou” em seu discurso de agradecimento pela estatueta de melhor ator no Globo de Ouro, Satã foi sua maior inspiração para o papel; deixando assim bem claro o sabor diabólico de sua interpretação.

“Vice”, de Adam McKay, será exibido no Moviecom Arte dias 06 e 07 às 11 horas e no dia 09 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título original: Vice
Nacionalidade: EUA
Gênero: Drama, Biografia
Ano de produção: 2018
Estréia: 31 de janeiro de 2019 (Brasil)
Direção: Adam McKay
Roteiro: Adam McKay
Produção: Brad Pitt, Will Ferrell, Megan Ellison, Dede Gardner, Jason George, Jeremy Kleiner, Jillian Longnecker, Adam McKay, Kevin J. Messick, Jeff G. Waxman
Trilha sonora: Nicholas Britell
Direção de fotografia: Greig Fraser
Edição: Hank Corwin
Design de produção: Patrice Vermette
Direção de arte: David Meyer, Brad Ricker, Dean Wolcott
Decoração de set: Jan Pascale
Figurino: Susan Matheson
Elenco: Amy Adams, Alison Pill, Christian Bale, Steve Carell
Distribuição: Imagem Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Abril no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 4 de abril de 2019 0 Comentários

Segundo Walter Salles Júnior, o papel principal do cinema “é gerar uma memória de nós mesmos”, refletir o retrato de uma sociedade num dado momento.
Contando histórias e a própria História, o Moviecom Arte traz uma programação especial para o mês de abril. Uma seleção feita a dedo com o melhor da produção cinematográfica independente da atualidade.
Confira e marque na sua agenda.

DIAS 06, 07 E 09
VICE, de Adam McKay

Com uma carreira sólida no reino das comédias de gosto duvidoso, Adam McKay surpreende em “Vice”, seu mais recente trabalho, que chegou com 8 indicações ao Oscar 2.019.
O filme nos coloca em um momento crucial na vida de Dick Cheney, vice-presidente dos Estados Unidos, durante os ataques terroristas de 11 de setembro. Conforme seguimos a agitação dos funcionários da Casa Branca somos transportados para Wyoming de 1963, onde Cheney é um jovem trabalhador braçal, bêbado, sem perspectivas que acabara de largar a faculdade e é pressionado pela esposa para achar um caminho na vida.

Com muito humor e uma linguagem extremamente acessiva, o diretor segue acompanhando a carreira de Cheney, saltando para 1969 quando trabalhou com Donald Rumsfeld, assessor econômico de Nixon, tornando-se um agente político experiente enquanto conciliava a vida em família, chegando até ao cargo de chefe de gabinete da Casa Branca para o presidente Gerald Ford, enquanto Rumsfeld se torna secretário de Defesa.

Mesmo sem nunca permitir a total empatia pelo protagonista, Adam McKay ainda consegue entregar momentos de humanidade dentro de um personagem tão moralmente lacônico. Com a saída dos republicanos da Casa Branca o político veterano resolve concorrer para o congresso, época em que sofre seu primeiro ataque cardíaco.

A história de Cheney é atraente por si só, mas é a performance de Christian Bale que realmente entrega o engenho ardiloso por trás de suas ações. Se a transformação física já é impressionante, é a atenção aos gestos, cacoetes e até mesmo timbre de voz que esconde a malícia do personagem. Como o próprio Bale “brincou” em seu discurso de agradecimento pela estatueta de melhor ator no Globo de Ouro, Satã foi sua maior inspiração para o papel; deixando assim bem claro o sabor diabólico de sua interpretação.

“Vice”, de Adam McKay, será exibido no Moviecom Arte dias 06 e 07 às 11 horas e no dia 09 às 14 horas.

 

DIAS 13, 14 E 16 DE ABRIL
A MULA, de Clint Eastwood

Clint Eastwood é uma das grandes lendas do cinema. Com mais de 6 décadas à frente e por trás das câmeras ele anuncia aos 89 anos sua aposentadoria.
Para a despedida das telas, Clint escolheu o filme “A Mula”, um roteiro de Nick Schenk baseado em uma história real, que ele dirige e protagoniza.
Mais amável e menos turrão que em seus filmes anteriores, Clint Eastwood interpreta Leo Sharp, um homem que coleciona uma série de honras que vão desde de prêmios por seus trabalhos como paisagista e decorador até o reconhecimento por ter lutado contra os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.


No entanto, foi aos 90 anos que conquistou algo surpreendente: ele foi preso por portar o equivalente a três milhões de dólares em cocaína no seu carro, uma picape velha, no Michigan. Sharp era o líder do Sinaloa, um cartel de drogas no México e foi sentenciado à três anos de cadeia.
“A Mula” conta ainda com um time de estrelas de primeira linha em seu elenco, como Bradley Cooper, Andy Garcia, Talissa Farmiga e Alison Eastwood.
Este é o filme que exibiremos para você no Moviecom Arte dos dias 13 e 14 às 11 horas e dia 16 às 14 horas. Imperdível.

DIAS 20, 21 E 23 DE ABRIL
QUERIDO MENINO, de  Felix van Groeningen

Estrelado por Steve Carell e Timothée Chalamet, “Querido Menino” é dirigido pelo belga Felix van Groeningen e conta a história de David Sheff, respeitado jornalista e escritor, pai de três filhos, sendo um destes Nic Sheff, seu primogênito da primeira união. Apesar do garoto ser um jovem muito inteligente, amável e gentil com todos, não conseguiu fugir do vício nas drogas, principalmente após experimentar metanfetaminas. Esta compulsão de Nic abala as estruturas familiares, especialmente seu pai David, que busca a todo custo entender a dependência de seu filho.


Esta é a primeira grande empreitada de Felix van Groeningen em Hollywood e o diretor optou por uma direção discreta onde o espectador acompanha a aflição de um pai que negligencia a atual esposa e outros dois filhos para preocupar-se a todo instante com o primogênito.
Steve Carell entrega uma atuação regular e emotiva, em que seu personagem chega a experimentar o ópio em busca de entender o que o filho sente. Mas o destaque fica com a enérgica atuação de Timothée Chalamet.
Venha conferir este realista e belo drama no Moviecom Arte dos dias 20 e 21 às 11 horas e dia 23 às 14 horas.

DIAS 27, 28 E 30 DE ABRIL

SUPREMA, de Mimi Leder

O drama biográfico “Suprema” conta a história de Ruth Bader Ginsburg, a segunda mulher que se tornou juíza da Suprema Corte Americana.
Dirigido por Mimi Leder e trazendo Felicity Jones no papel principal, “Suprema” mostra a luta de Ginsburg contra a desigualdade de gênero, bem como o papel dos jovens nas mudança de ideia de uma geração.


Jane, a filha de Ginsburg, é uma das personagens mais intrigantes do filme: com apenas 15 anos, a menina é responsável por mostrar à mãe que a transformação da mentalidade das próximas gerações já estava acontecendo, e que as leis precisavam mudar para acompanhar esse processo.
Ruth Bader Ginsburg se tornou um símbolo da luta pelos direitos iguais para as mulheres e atualmente, aos 85 anos, ainda é referência para as gerações atuais.
Este é o filme que escolhemos para exibição no Moviecom Arte dos dias 27 e 28 às 11 horas e dia 30 às 14 horas.

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Guerra Fria, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 28 de março de 2019 0 Comentários

O diretor polonês Pawel Pawlikowski é um dos grandes nomes do cinema contemporâneo e seu mais recente trabalho, “Guerra Fria”, lhe rendeu o prêmio de melhor direção em Cannes e concorreu ao Oscar 2.019 de Melhor Filme Estrangeiro.


“Guerra Fria” conta uma história de amor inspirada na vida dos pais do cineasta. Duas pessoas completamente diferentes uma da outra, em suas origens e personalidade, Zula e Wiktor se apaixonam e ambos terão que ceder em suas personalidades para viver uma história que se desenha de forma atropelada, durante o período da Guerra Fria iniciada na década de 50, em seu país de origem e em boa parte da Europa.


Pawell transforma suas recorrências estilísticas em signos palatáveis através das linhas evolutivas de seus protagonistas. O trabalho conjunto dele com seu casal de atores é de enorme responsabilidade para conseguir esse espaço empático.


Filmado em preto e branco, técnica que o diretor já utilizou em “Ida” (seu filme de estreia), “Guerra Fria” é conduzido pela música que o transforma em uma obra requintada e super lapidada.
Você não pode perder “Guerra Fria” no Moviecom Arte nos dias 30 e 31 de março às 11 horas e no dia 2 de abril às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Guerra Fria
Título original: Zimna Wojna
Nacionalidades: Polônia, Reino Unido, França
Gêneros: Drama, Romance
Ano de produção: 2018
Estréia: 7 de fevereiro de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 28min
Classificação: 14 anos
Direção: Pawel Pawlikowski
Roteiro: Pawel Pawlikowski, Janusz Glowacki, Piotr Borkowski
Elenco: Joanna Kulig, Tomasz Kot, Jeanne Balibar
Direção de fotografia: Lukasz Zal
Edição: Jaroslaw Kaminski
Design de produção: Benoît Barouh, Marcel Slawinski, Katarzyna Sobanska-Strzalkowska
Decoração de set: Marcel Slawinski, Katarzyna Sobanska-Strzalkowska
Figurino: Ola Staszko
Distribuição: California Filmes