Categoria

Moviecomarte

Programação semanal atualizada das salas Moviecomarte e Sala Cult.

Moviecomarte

Graças a Deus no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 16 de julho de 2019 0 Comentários

A história de “Graças a Deus” é baseada em fatos reais e fala sobre casos de abusos sexuais provocados por um padre. O respeitado cineasta francês François Ozon chama atenção por abordar este tema em um filme político e social, refletindo sobre as circunstâncias do abuso sexual infantil, a pedofilia dos clérigos e o impacto psicológico sobre as vítimas.


Na história, Alexandre (Melvil Poupaud) toma coragem para escrever uma carta à Igreja Católica, revelando um segredo: quando era criança, foi abusado sexualmente pelo padre Preynat (Bernard Verley).


Os psicólogos da Igreja tentam ajudar, mas não conseguem ocultar o fato de que o criminoso jamais foi afastado do cargo, pelo contrário: ele continua atuando junto às crianças.
Alexandre toma coragem e publica a sua carta, o que logo faz aparecerem muitas outras denúncias de abuso, feitas pelo mesmo padre, além da conivência do cardeal Barbarin (François Marthouret), que sempre soube dos crimes, mas nunca tomou providências.


Juntos, Alexandre, François (Denis Ménochet) e Emmanuel (Swann Arlaud) criam um grupo de apoio para aumentar a pressão na justiça por providências, enfrentando o poder da cúpula da Igreja.


Destaque no Festival Varilux de 2019, “Graças a Deus” é o filme que o Moviecom Arte apresenta nos dias 20 e 21 de julho, às 11 horas. Imperdível.

Ficha Técnica
Título: Graças a Deus
Título original: Grâce à Dieu
Nacionalidades: França, Bélgica
Gênero: Drama
Ano de produção: 2018
Estréia: 20 de junho de 2019 (Brasil)
Duração: 2h 17min
Classificação: 14 anos
Direção: François Ozon
Roteiro: François Ozon
Elenco: Melvil Poupaud, Denis Ménochet, Swann Arlaud, Eric Caravaca, Frédéric Pierrot
Trilha sonora: Evgueni Galperine, Sacha Galperine
Direção de fotografia: Manuel Dacosse
Design de produção: Emmanuelle Duplay
Decoração de set: Philippe Cord’homme
Figurino: Pascaline Chavanne
Distribuição: California Filmes

Moviecomarte

Dor e Glória no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 11 de julho de 2019 0 Comentários

O esfuziante Pedro Almodovar, um dos mais idolatrados diretores do mundo, surge melancólico e bem menos colorido em seu mais recente filme, “Dor e Glória”.


Antonio Banderas interpreta Salvador Mallo, alter ergo de Almodovar, um melancólico cineasta em declínio que se vê obrigado a pensar sobre as escolhas que fez na vida quando seu passado retorna.
Entre lembranças e reencontros, ele reflete sobre sua infância na década de 1960, seu processo de imigração para a Espanha, seu primeiro amor maduro e sua relação com a escrita e com o cinema.


Antonio Banderas recria Almodovar de forma impressionante e essa atuação lhe rendeu o premio de melhor ator no Festival de Cannes e praticamente já o coloca entre os indicados ao Oscar em 2020.

“Dor e Glória” traz também algumas obras da filmografia do diretor espanhol, entre elas: “Tudo Sobre Minha Mãe”, “A Má Educação”, e “A Pele Que Habito”.


Banderas e Penelope Cruz estrelam este filme que o Moviecom Arte apresenta nos dias 13 e 14 de julho, às 11 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Ficha Técnica
Título: Dor e Glória
Título original: Dolor y Gloria
Nacionalidade: Espanha
Gênero: Drama
Ano de produção: 2019
Estréia: 13 de junho de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 52 min
Direção: Pedro Almodóvar
Roteiro: Pedro Almodóvar
Elenco: Antonio Banderas, Penélope Cruz, Leonardo Sbaraglia, Asier Newman, Cecilia Roth, Raúl Arévalo
Produção: Agustín Almodóvar, Esther García
Trilha sonora: Alberto Iglesias
Direção de fotografia: José Luis Alcaine
Edição: Teresa Font
Design de produção: Antxón Gómez
Direção de arte: María Clara Notari
Figurino: Paola Torres
Estúdio: l Deseo
Distribuição: Universal Pictures

 

Moviecomarte

A Grande Dama do Cinema, No Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 5 de julho de 2019 0 Comentários

Com apenas 6 atores e 3 locações, “A Grande Dama do Cinema” é um longa surpreendente do oscarizado diretor argentino Juan José Campanella.


Mara Ordaz, personagem central da trama, remete à Nora Desmond, protagonista de “Crepúsculo dos Deuses” (o clássico de Billy Wilder, de 1950). Mara foi uma estrela na juventude, chegou a ganhar um grande prêmio internacional (o Oscar?), mas foi esquecida com o passar dos anos.
Afastada das telas há décadas, Mara vive em uma velha mansão decadente nas cercanias de Buenos Aires com o marido paraplégico, o também ator Pedro (Luis Brandoni), o cineasta Norberto (Oscar Maritnez) e o roteirista Martin (Marcos Mundstock), todos no ostracismo, assim como ela.


Baseado no romance El Cuento de las Comadrejas, “A Grande Dama do Cinema” brinca com as convenções do melodrama para construir uma saborosa farsa sobre o próprio cinema. É ao mesmo tempo muito engraçado e bastante cruel em sua visão sobre o envelhecer em uma indústria que endeusa a juventude.


O convívio entre Marta, Pedro, Norberto e Martin reproduz de certa forma a teia de relações que um dia tiveram, quando ainda estavam na ativa. Ela, nas posição de diva, ainda que na obscuridade, os tiraniza. O marido nunca teve uma carreira a sua altura, e os outros dois de certa forma tiveram suas carreiras atreladas à dela. A imensa casa onde vivem isolados do mundo real, é um mausoléu de lembranças, forrado de cartazes, fotos, troféus e lembranças. Dividem espaço com ratos e a falta de dinheiro.


Tudo muda quando entram cena dois jovens aparentemente deslumbrados com o passado glorioso de Mara. Eles prometem levá-la de volta à ribalta e tentam convencê-la a vender a casa, sem levar em consideração que ela não vive só, que sua vida está profundamente ligada a de seus companheiros. Carente de atenção e seduzida pela possibilidade de resgatar seus dias de estrela, ela sucumbe.


A trama, cheia de reviravoltas, é, no fundo, uma grande homenagem ao cinema, tanto aos seus gêneros e formatos narrativos quanto a sua mística, por vezes aterrorizante, assim como em Crepúsculo dos Deuses.
Campanella prova, mais uma vez, ser um hábil artesão, um ótimo contador de histórias. O elenco de grandes veteranos do cinema argentino dá um verdadeiro show de interpretação e são o ponto alto deste filme.
Estrelado por Graciela Borges, Luis Brandoni e Oscar Martinez, “A Grande Dama do Cinema” é o filme que o Moviecom Arte apresenta nos dias 06 e 07 de julho, às 11 horas.

Ficha Técnica
Título original: El cuento de las comadrejas
Nacionalidades: Argentina, Espanha
Gêneros: Comédia, Drama
Ano de produção: 2019
Estréia: 16 de maio de 2019 (Brasil)
Duração: 2h 03min
Direção: Juan José Campanella
Elenco; Graciela Borges, Oscar Martínez, Luis Brandoni, Marcos Mundstock, Clara Lago, Nicolás Francella e Maru Zapata
Roteiro: Juan José Campanella
Trilha sonora: Emilio Kauderer
Direção de fotografia: Félix Monti
Direção de arte: Nelson Noel Luty
Figurino: Cecilia Monti
Distribuição: Fênix Filmes

Moviecomarte

Programação de Julho no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 4 de julho de 2019 0 Comentários

DIAS 06 e 07
A GRANDE DAMA DO CINEMA
de Juan José Campanella

Com apenas 6 atores e 3 locações, “A Grande Dama do Cinema” é um longa surpreendente do oscarizado diretor argentino Juan José Campanella.
Misturando suspense e um humor super ácido, Campanella conta a história de um grupo improvável de artistas do cinema, que vivem juntos em um universo criado por eles dentro dos limites de uma mansão.
Formado por uma antiga estrela do cinema, um ator nos últimos dias de vida, um roteirista frustrado e um diretor peculiar, o grupo faz de tudo para preservar o universo lúdico em que vivem, praticmente isolados do mundo real.
Apesar dos diálogos recheados de ofensas, os quatro nutrem uma profunda amizade e um senso de proteção mútua, que se torna ainda mais evidente  quando dois jovens chegam ao local e ameaçam botar tudo a perder.
Estrelado por Graciela Borges, Luis Brandoni e Oscar Martinez, “A Grande Dama do Cinema” é o filme que o Moviecom Arte apresenta nos dias 06 e 07 de julho, às 11 horas.

DIAS 13 e 14
DOR E GLÓRIA

de Pedro Almodòvar

O esfuziante Pedro Almodovar, um dos mais idolatrados diretores do mundo, surge melancólico e bem menos colorido em seu mais recente filme, “Dor e Glória”.
Antonio Banderas interpreta Salvador Mallo, alter ergo de Almodovar, um melancólico cineasta em declínio que se vê obrigado a pensar sobre as escolhas que fez na vida quando seu passado retorna.
Entre lembranças e reencontros, ele reflete sobre sua infância na década de 1960, seu processo de imigração para a Espanha, seu primeiro amor maduro e sua relação com a escrita e com o cinema.
Antonio Banderas recria Almodovar de forma impressionante e essa atuação lhe rendeu o premio de melhor ator no Festival de Cannes e praticamente já o coloca entre os indicados ao Oscar em 2020.
“Dor e Glória” traz também algumas obras da filmografia do diretor espanhol, entre elas: “Tudo Sobre Minha Mãe”, “A Má Educação”, e “A Pele Que Habito”.
Banderas e Penelope Cruz estrelam este filme que o Moviecom Arte apresenta nos dias 13 e 14 de julho, às 11 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

DIAS 20 e 21
GRAÇAS A DEUS

de  François Ozon

A história de “Graças a Deus” é baseada em fatos reais e fala sobre casos de abusos sexuais provocados por um padre. O respeitado cineasta francês François Ozon chama atenção por abordar este tema em um filme político e social, refletindo sobre as circunstâncias do abuso sexual infantil, a pedofilia dos clérigos e o impacto psicológico sobre as vítimas.
Na história, Alexandre (Melvil Poupaud) toma coragem para escrever uma carta à Igreja Católica, revelando um segredo: quando era criança, foi abusado sexualmente pelo padre Preynat (Bernard Verley).
Os psicólogos da Igreja tentam ajudar, mas não conseguem ocultar o fato de que o criminoso jamais foi afastado do cargo, pelo contrário: ele continua atuando junto às crianças.
Alexandre toma coragem e publica a sua carta, o que logo faz aparecerem muitas outras denúncias de abuso, feitas pelo mesmo padre, além da conivência do cardeal Barbarin (François Marthouret), que sempre soube dos crimes, mas nunca tomou providências.
Juntos, Alexandre, François (Denis Ménochet) e Emmanuel (Swann Arlaud) criam um grupo de apoio para aumentar a pressão na justiça por providências, enfrentando o poder da cúpula da Igreja.
Destaque no Festival Varilux de 2019, “Graças a Deus” é o filme que o Moviecom Arte apresenta nos dias 20 e 21 de julho, às 11 horas. Imperdível.

 

DIAS 27 E 28
CASAL IMPROVÁVEL

Esta comédia estrelada por Charlize Theron e Seth Rogen, desafia os conceitos público do que seria um casal ideal. Esta fórmula exaustivamente usada com um viéz cômco, aqui se aplica em uma trama romântica utópica, que subverte expectativas e preconceitos políticos e de gênero com uma sinceridade irresistível.
Dirigido por Jonathan Levine, “Casal Improvável” conta a hstória de um
jornalista investigativo que se demite após receber a notícia de que o site para qual trabalha foi vendido para um grande conglomerado de mídia.
Para se animar depois de perder o emprego, ele vai a uma festa com seu melhor amigo Lance e acaba reencontrando sua antiga babá, agora Secretária de Estado americana e candidata à presidência.
Cansada de ser assessorada por profissionais que não a conhecem, ela decide contratá-lo para escrever seus discursos de campanha. Um romance improvável surge entre eles, causando uma inesperada reação em cadeia.
Esta deliciosa comédia é o filme que o Moviecom Arte apresenta nos dias 27 e 28 de julho, às 11 horas, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí.

Moviecomarte

Tudo Que Tivemos, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 29 de junho de 2019 0 Comentários

Mais um projeto cinematográfico a explorar a convivência com uma pessoa condicionada ao Alzheimer, “Tudo o Que Tivemos” apresenta impasses interessantes a uma rotina tão frustrante.


Há uma visão conservadora, mas não menos verdadeira, no amor que Bert (Robert Foster) nutre por Ruth (Blythe Danner). O marido precisa enfrentar as suas próprias convicções no cuidado de sua querida esposa. Ele não quer enviá-la para um outro lugar, onde seria tratada com mais objetividade e segurança, porque encara como seu dever manter o amor, que carrega há décadas pela esposa, até os seus últimos segundos.


Nesse meio tempo, portanto entram os filhos do casal, pensando que poderão mudar a cabeça do pai. Tudo o Que Tivemos, paralelamente a isso, encaminhará jornadas mais pessoais a cada um dos membros dessa família.


Este filme encerra a programação de Junho do Moviecom Arte com sessões nos dias 29 e 30 de Junho às 11 horas e no dia 02 de Julho às 14 horas. No Moviecom Arte é claro.

Ficha Técnica
Título no Brasil: Tudo o que Tivemos
Título original: What They Had
Gênero: Drama
Duração: 101 min
Estreia no Brasil: 02 de Maio de 2019
Classificação indicativa: NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
País: EUA
Diretor: Elizabeth Chomko
Roteirista: Elizabeth Chomko
Elenco: Hilary Swank, Michael Shannon, Robert Forster, Blythe Danner, Taissa Farmiga, Josh Lucas, Sarah Sutherland, Marilyn Dodds, Frank Aimee e Garcia William Smillie

Moviecomarte

Em Trânsito, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 20 de junho de 2019 0 Comentários

Juntamente com Barbara (2012) e Fênix (2014), o longa “Em Trânsito” fecha uma trilogia de filmes que o próprio diretor Christian Petzold chamou de “Amor em Tempos de Sistemas Opressivos“. O três roteiros têm inspiração em Transit, no livro de Anna Seghers publicado em 1944.

PAULA BEER ET FRANZ ROGOWSKI

“Em Trânsito” é ambientado na Europa onde a ameaça fascista está em toda parte, mas ao mesmo tempo ainda invisível. O roteiro não mostra a reação das pessoas frente ao inimigo. A luta pela vida, nesse caso, é colocada juntamente com uma espera que causa medo e força as pessoas a pedirem vistos, buscarem novos documentos e viverem em trânsito, de cidade em cidade, de país em país. O objetivo é chegar a um destino onde possam, longe dos agentes do Reich, continuar (ou, nesse caso, reconstruir) suas vidas.


Contudo, “Em Trânsito” não é um filme de época apenas. Ele mistura passado e presente para falar dos refugiados na Europa dos dias atuais, vivendo as mesmas sensações.


Estrelado por Franz Rogowski e Paula Beer, “Em Trânsito” é um filme que nos coloca num estranho limite de percepção e recepção do amor em meio à opressão. A obra suscita mais a angústia de não viver esse sentimento amoroso.
Este será o filme da semana no Moviecom Arte dos dias 22 e 23 às 11 horas e dia 25 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título original: Transit
Nacionalidades: Alemanha, França
Gênero: Drama
Ano de produção: 2018
Estréia: 11 de abril de 2019 (Brasil)
Duração: 1h 41min
Classificação: Livre
Direção: Christian Petzold
Roteiro: Christian Petzold
Elenco: Franz Rogowski, Paula Beer, Godehard Giese
Trilha sonora: Stefan Will
Direção de fotografia: Hans Fromm
Edição: Bettina Böhler
Design de produção: Kade Gruber
Decoração de set: Aurelie Combe
Figurino: Katharina Ost
Distribuição: Supo Mungam Films

Moviecomarte

O Gênio e o Louco, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 14 de junho de 2019 0 Comentários

Baseado no livro de Simon Winchester, “O Gênio e o Louco” gira em torno da criação do Dicionário Oxford e traz Sean Penn e Mel Gibson interpretando William Chester e John Murray, dois homens ambiciosos que tentam concluir um dos maiores projetos do mundo: a criação do Dicionário Oxford.


Um deles é o Professor que tomou a decisão de iniciar o compilado, em 1857. O outro é o Doutor W.C. Minor que contribuiu com mais de 10.000 verbetes para o dicionário, mesmo estando internado em um hospício para criminosos. Os dois têm suas vidas ligadas pela loucura, genialidade e obsessão.


O desempenho irretocável de Penn e Gibson nos levam para o centro da vida acadêmica na sociedade britânica do século 19, formada por pessoas ávidas por leitura. Os dois personagens históricos interpretados por eles são movidos por uma paixão arrebatadora e pelo grande desafio.


O diretor Farhad Safinia assina também o roteiro ao lado de Todd Komarnicki.
“O Gênio e o Louco” é o filme que o Moviecom Arte arpesenta nos dias 15 e 16 às 11 horas e no dia 18 às 14 horas. Imperdível.

Ficha Técnica
Título no Brasil: O Gênio e o Louco
Título Original: The Professor and the Madman
Gênero: Biografia Drama
País de Origem: Irlanda
Diretor: Farhad Safinia
Roteirista: John Boorman Todd Komarnicki Farhad Safinia
Elenco: Mel Gibson Sean Penn Natalie Dormer Jennifer Ehle Ioan Gruffudd Jeremy Irvine Aidan McArdle Adam Fergus
Ano de produção: 2019
Fotografia: Kasper Tuxen
Trilha Sonora: Bear McCreary
Distribuidora: Imagem Filmes

Moviecomarte

Um Amor Inesperado, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 6 de junho de 2019 0 Comentários

Ricardo Darín é figura fácil aqui no Moviecom Arte. E o incansável ator argentino está de volta na nossa telona protagonizando uma deliciosa comédia dramática, “Um Amor Inesperado”, dirigido por Juan Vera.


O filme fala sobre duas pessoas que reavaliam a vida amorosa após a partida do único filho que vai estudar no exterior.
Ricardo Darín e Mercedes Morán são o grande destaque do filme, passando de forma brilhante os dilemas do casal, através de um texto repleto de tiradas espertas sobre o comportamento pós-separação e o medo da solidão.


Este é o filme de estréia do produtor e roteirista Juan Vera como diretor e ele aproveita a qualidade do elenco, a começar pelos dois protagonistas, para fazer um filme leve, mas permeado por diversas questões relacionadas às vicissitudes dos relacionamentos amorosos.


“Um Amor Inesperado” é o filme que o Moviecom Arte traz às vésperas do Dia dos Namorados, com sessões nos dias 08 e 09 às 11 horas e no dia 11 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título original: El Amor Menos Pensado
Nacionalidade: Argentina
Gêneros: Romance, Comédia
Ano de produção: 2018
Estréia: 14 de março de 2019 (Brasil)
Duração: 2h 16min
Classificação: 14 anos
Direção: Juan Vera
Roteiro: Juan Vera, Daniel Cúparo

Elenco: Ricardo Darín e Mercedes Morán
Produção: Juan Vera, Ricardo Darín, Chino Darín, Christian Faillace, Juan Pablo Galli, Juan Lovece, Federico Posternak, Cindy Teperman
Direção de fotografia: Rodrigo Pulpeiro
Edição: Pablo Barbieri Carrera
Design de produção: Mercedes Alfonsín
Estúdios: Boneco Films, Kenya Films, Patagonik Film Group
Distribuição: Alpha Filmes Ltda

Moviecomarte

A Sombra do Pai, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 30 de maio de 2019 0 Comentários

Depois de sua estreia com “O Animal Cordial”, a diretora Gabriela Amaral Almeida lança “A Sombra do Pai”, um drama com pitadas do cinema de terror e com o qual ela se firma como um grande nome do cinema brasileiro contemporâneo.
Gabriela domina todas as técnicas e isso fica claro quando ela se propõe a fazer um filme sobre uma criança que perdeu a mãe precocemente, sendo forçada a se virar sozinha para cuidar da casa e do pai viúvo e fragilizado.


Protagonizado pelo jundiaiense Júlio Machado e pela jovem estreante Nina Medeiros, “A Sombra Do Pai” fala também sobre arquétipo masculino do homem forte, viril, apolíneo – mas que, por dentro, está desmoronando na incapacidade de administrar seus sentimentos.


“A Sombra do Pai” é um filme de camadas que se misturam. Gabriela constrói assim um longa com referências da cultura brasileira e de sua própria vivência, além é claro de suas referências cinematográficas.


Destaque para as atuações de Nina Medeiros, como a intrigante Dalva; Julio Machado, impecável na figura complexa do pai; e Luciana Paes, premiada no Festival de Cinema de Brasília por seu papel como a tia da menina.
“A Sombra do Pai” abre a Programação de Junho no Moviecom Arte e você poderá vê-lo nos dias 01 e 02 às 11 horas e no dia 04 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: A Sombra do Pai
Gênero(s): Drama, Suspense e Terror
Duração: 92 min
Estreia no Brasil: 02 de Maio de 2019
Classificação indicativa: NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
País: Brasil
Idioma: Português
Diretor: Gabriela Amaral Almeida
Roteiro: Gabriela Amaral Almeida
Elenco: Nina Medeiros, Julio Machado, Luciana Paes e Rafael Raposo
Distribuição: Pandora Filmes

Moviecomarte

Todos Já Sabem, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 23 de maio de 2019 0 Comentários

Com um elenco encabeçado por Penélope Cruz, Javier Bardem e Ricardo Darín, Todos Já Sabem (Todos lo Saben) se apresenta com um delírio cinéfilo ao reunir os melhores atores hispânicos da atualidade em um mesmo filme.


A obra é escrita e comandada pelo iraniano Asghar Farhadi (o ganhador do Oscar com “A Separação”). Esta é a sua primeira produção que não tem sua pátria como tema, ambientando este melodrama em um pequeno povoado da Espanha para contar uma tragédia que expõe segredos e mentiras de uma família.


Nos primeiros minutos de tela, o elenco é apresentado com fluidez e habilidade. Após anos distante, Laura (Penélope Cruz) volta ao povoado da sua família com os dois filhos, a adolescente Irene (Carla Campra) e menino Diego (Iván Chavero), para o casamento da irmã mais nova Ana (Inma Cuesta). Toda a família prepara-se para a festividade que toma conta de tela por longos momentos, desde a cerimônia na igreja até a grande festa no quintal de casa.


Entre os convidados está Paco (Javier Bardem) e sua esposa Bea (Bárbara Lennie), amigos da família e uma equipe de filmagem, além dos vizinhos do povoado. No meio da bebedeira e danças, a luz apaga-se e Paco busca um transformador em sua fazenda para dar continuidade à celebração.


A partir deste momento, entretanto, Laura percebe que Irene não está no quarto, nem no banheiro, ou qualquer lugar da casa. Já aflita, ela recebe uma mensagem para que não chame a polícia, senão sua filha corre risco de morte. Desse modo começa o grande suspense de Todos Já Sabem e todos as possibilidades são postas à mesa.
Este é o filme que encerra a programação de maio do Moviecom Arte, no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundiaí, com sessões nos dias 25 e 26 às 11 horas e no dia 28 às 14 horas.

Ficha técnica
Nome: Todos já sabem
Nome Original: Everybody knows
Cor filmagem: Colorida
Origem: França / Espanha / Itália
Ano de produção: 2018
Gênero: Drama / Suspense
Duração: 133 min
Classificação: 14 anos
Direção: Asghar Farhadi
Roteiro: Asghar Farhadi
Elenco: Penélope Cruz, Javier Bardem, Ricardo Darín, Bárbara Lennie

Fotografia: José Luis Alcaine

Distribuição: Paris Filmes