Categoria

Cinema

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

O Amante Duplo, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 11 de agosto de 2018 0 Comentários

François Ozon é um diretor que trabalha loucamente, lançando praticamente um filme por ano a mais de 20 anos. Aclamado como um dos nomes mais importantes do cinema francês contemporâneo, seus filmes geralmente trazem uma abordagem psicanalítica sobre as relações humanas.


“O Amante Duplo”, é um filme ousado desde a primeira cena que mostra em um close impactante um exame ginecológico. A trama conta a história de uma relação amorosa anti-ética e políticamente incorreta entre um psicanalista e uma jovem ex-paciente, e ganha corpo quando surge um irmão gêmeo e também psicanalista mas de temperamento agressivo.


Em uma interessante homenagem ao diretor norte-americano Brian de Palma, Ozon constrói um thriler erótico e de suspense que prende a atenção do começo ao fim, manipulando o público com um roteiro inteligente onde as revelações nunca são suficientes para desvendar o mistério.
Você não pode perder “O Amante Duplo”, a mais recente obra François Ozon, que o Moviecom Arte exibe nos dias 11 e 12 de agosto às 11 horas e no dia 14 de agosto às 14 horas.

Ficha Técnica

Título: O Amante Duplo
Título original: L’Amant Double
Nacionalidades: França, Bélgica
Gêneros: Suspense, Drama, Erótico
Ano de produção: 2017
Estréia: 21 de junho de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 47min
Classificação: 18 anos
Direção: François Ozon
Roteiro: François Ozon, Joyce Carol Oates, Philippe Piazzo
Produção: Eric Altmayer, Nicolas Altmayer
Trilha sonora: Philippe Rombi
Direção de fotografia: Manuel Dacosse
Edição: Laure Gardette
Design de produção: Sylvie Olivé
Direção de arte: Lilith Bekmezian
Decoração de set: Julien Tesseraud
Figurino: Pascaline Chavanne
Estúdios: Mandarin Films, FOZ, Mars Films, Playtime, France 2 Cinéma, Canal+,France Télévisions
Distribuição: California Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Nos Vemos no Paraíso, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 1 de agosto de 2018 0 Comentários

“Roaring Twenties” é um termo usado para se referir aos anos 20, uma década de efervescência cultural em Nova York, Chicago, Paris, Berlim, Londres e em muitas outras grandes cidades, durante uma época de sustentada prosperidade econômica depois da Primeira Guerra Mundial.
E é nessa época de muitos excessos, associada à modernidade e uma ruptura com as antigas tradições, que o diretor francês Albert Dupontel ambienta a farsa melodramática “Nos Vemos no Paraíso” que o Moviecom Arte apresenta abrindo a temporada de agosto.


Dupontel sempre atua nos filmes que dirige e em “Nos Vemos no Paraíso” ele é Albert Maillard, personagem que narra a trama centrada na amizade e parceria com Édouard Péricourt (Nahuel Pérez Biscayart). Vindos de mundos opostos, Albert é um simples proletário, enquanto o jovem Édouard é um artista e aristocrata com sérios problemas de relacionamento com seu pai. Os dois se conhecem na guerra e quando ela acaba Albert passa a cuidar de Édouard que, desfigurado, simula a própria morte e passa a viver recluso criando máscaras fantásticas.


A dupla cria um golpe para fraudar a construção de um memorial aos mortos da região, idealizado pelo pai de Édouard, ao mesmo tempo em que Maillard tenta desmascarar o mercenário Tenente Pradelle, um oficial que fez fortuna com as centenas de corpos das vítimas da guerra.


Além de Albert Dupontel e Nahuel Pérez Biscayart o filme traz um elenco notável: Laurent Lafitte, Niels Aretrup, Emile Déquenne, Mélanie Thierry, Héloise Balster, André Marcon, Michel Uillermoz
Com sete indicações ao Cesar (o Oscar francês), “Nos Vemos no Paraíso” ganhou os prêmios de melhor direção, melhor roteiro, melhor fotografia, melhor figurino e melhor direção de arte. Aliás, a primorosa direção de arte de Pierre Queffelean e a fotografia espetacular de Vincent Mathias são os grandes destaques deste filme imperdível.


“Nos Vemos no Paraíso” é o filme da semana no Moviecom Arte e você poderá assistí-lo nos dias 04 e 05 de agosto às 11 horas e no dia 07 de agosto às 14 horas no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundaí.

Ficha Técnica
Título: Nos Vemos no Paraíso
Título Original: Au Revoir Là-Haut
Nacionalidade: França
Gênero: Comédia dramática
Ano de produção: 2017
Estréia: 5 de julho de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 57min
Classificação: 16 anos
Elenco: Nahuel Pérez Biscayart, Albert Dupontel, Laurent Lafitte, Niels Arestrup, Émilie Dequenne, Mélanie Thierry
Direção: Albert Dupontel
Roteiro: Albert Dupontel, Pierre Lemaitre
Produção: Catherine Bozorgan
Trilha sonora: Christophe Julien
Direção de fotografia: Vincent Mathias
Edição: Christophe Pinel
Design de produção: Pierre Queffelean
Direção de arte: Lilith Bekmezian
Figurino: Mimi Lempicka
Estúdios: Stadenn Prod, Manchester Films, Canal+, Ciné+, France Télévisions
Distribuição: Pandora Filmes

 

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Programação de Agosto do Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 1 de agosto de 2018 0 Comentários

Nos Vemos no Paraíso

Roaring Twenties é um termo usado para se referir aos anos 20, uma década de efervescência cultural em Nova York, Chicago, Paris, Berlim, Londres e em muitas outras grandes cidades, durante uma época de sustentada prosperidade econômica depois da Primeira Guerra Mundial.
E é nessa época de muitos excessos, associada à modernidade e uma ruptura com as antigas tradições, que o diretor francês Albert Dupontel ambienta a farsa melodramatica “Nos Vemos no Paraíso” que o Moviecom Arte apresenta abrindo a temporada de agosto.
Dupontel sempre atua nos filmes que dirige e em “Nos Vemos no Paraíso” ele é Albert Maillard, um veterano de guerra que tem de tomar conta de Edouard Péricourt, seu companheiro de pelotão que depois de ficar desfigurado, forjou sua própria morte e vive criando máscaras fantásticas.
A trama gira em torno de um golpe armado pelos dois personagens para participar de um concurso de estátuas e da dúbia relação entre ‘os dois amigos.
Com sete indicações ao Cesar (o Oscar francês), “Nos Vemos no Paraíso” ganhou como melhor roteiro e melhor direção. Destaque para a primorosa direção de arte e a fotografia deste filme que você poderá assistir nos dias 04 e 05 de agosto às 11 horas e no dia 07 de agosto às 14 horas no Moviecom Cinemas do Maxi Shopping Jundaí.

O Amante Duplo

François Ozon é um diretor que trabalha loucamente, lançando praticamente um filme por ano a mais de 20 anos. Aclamado como um dos nomes mais importantes do cinema francês contemporâneo, seus filmes geralmente trazem uma abordagem psicanalítca sobre as relações humanas.
“O Amante Duplo”, é um filme ousado desde a primeira cena que mostra em um close impactante um exame ginecológico. A trama conta a história de uma relação amorosa políticamente entre um psicanalista e uma jovem ex-paciente, e ganha corpo quando surge um irmão gêmeo e também psicanalista mas de temperamento agressivo.
Em uma interessante homenagem ao diretor norte-americano Brian de Palma, Ozon constrói um thriler erótico e de suspense que prende a atenção do começo ao fim, manipulando o público com um roteiro inteligente onde as revelações nunca são suficientes para desvendar o mistério.
Você não pode perder “O Amante Duplo”, a mais recente obra François Ozon, que o Moviecom Arte exibe nos dias 11 e 12 de agosto às 11 horas e no dia 14 de agosto às 14 horas.

Bergman 100 Anos

Em 2018, o diretor sueco Ingmar Bergman, falecido em 2007, teria completado 100 anos. Este documentário resgata a obra monumental do cineasta, autor de filmes icônicos como “O Sétimo Selo”, “Morangos Silvestres”, “Persona”, “Gritos e Sussurros”, “Luz de Inverno”, “O Ovo da Serpente” e “Fanny e Alexander”.
Dirigido por Jane Magnusson, “Bergman 100 Anos” foca no ano de 1957, quando Bergman lança dois filmes, filma mais dois, dirige um telefilme e quatro peças de teatro.
Conversando com atores, colaboradores, críticos e historiadores, o filme traça o retrato de um homem obsessivo, instável, difícil de lidar, mas ao mesmo tempo um dos maiores artistas da história da Suécia, e também o único diretor a receber a “Palma das Palmas” no festival de Cannes.
Obrigatório para todo cinéfilo de verdade, “Bergman 100 Anos” será exibido nos dias 18 e 19 de agosto às 11 horas e no dia 21 às 14 horas no Moviecom Arte.

Uma Casa a Beira-Mar

A idílica paisagem da enseada de Méjean, na França, magnificamente registrada na fotografia de Pierre Millon, é o cenário onde cineasta Robert Guédiguian narra o confronto de 3 irmãos reunidos em torno do leito do pai moribundo.
É neste contexto que Guédiguian se lança em um profundo estudo de cada personagem que aparece em cena, sem a necessidade de expor problemas e de buscar a redenção entre as partes. Contudo, temas como o racismo e a polêmica questão dos imigrantes, fazem parte deste drama que questiona o lugar do Paraíso nos tempos atuais, bem como do inferno que se encontra dentro de todos nós.
Fechando a programação de agosto do Moviecom Arte, “Uma Casa à Beira-Mar” será exibido nos dias 25 e 26 às 11 horas e no dia 28 às 14 horas, no Moviecom Arte do Moviecom Cinemas de Jundiaí.

____________________________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

CinemaMoviecomarte

Oh Lucy!, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 27 de julho de 2018 0 Comentários

A vida dura, fria e solitária das grandes metrópoles, cria personagens banais inseridos em contextos complexos. E vice-versa.
Tóquio é a cidade onde a diretora Atsuko Hiranayagi coloca a personagem central de seu novo filme. Mas poderia ser Nova York ou São Paulo.


Envolvida por uma realidade caótica, que se reflete em sua vida pessoal e profissional, Setsuko é uma mulher comum, com sentimentos reprimidos, sonhos apagados, com pouca ou nenhuma autoestima e uma rotina monótona e absolutamente sem graça.


Mas tudo muda quando ela, convencida por sua sobrinha, vai fazer uma aula de inglês gratuita. Ao quebrar sua rotina, Setsuko se permite viver uma grande transformação.
O agente transformador é John, um professor de inglês com métodos pouco convencionais. Ele obriga Setsuko a usar uma peruca loura e adotar um nome americano. Ela então se transforma em Lucy e a experiência de ser uma outra pessoa abre uma porta para um mundo de possibilidades que ela simplesmente ignorava.


Ela se apaixona por seu professor de inglês e, após o repentino sumiço dele, embarca para os Estados Unidos à sua procura, vivenciando uma série de aventuras e se desvencilhando de sua vida ordinária.
Essa é engraçada, delicada e comovente história de “Oh Lucy!”, que o Moviecom Arte exibe nos dias 28 e 29 às 11 horas e no dia 31 de julho às 14 horas. Venha rir, se emocionar e se apaixonar por essa comédia japonesa, ganhadora dos prêmios Independent Spirit de Melhor Atriz e de Melhor Filme de Estreia.

Ficha Técnica

Título original: Oh Lucy!
Nacionalidades: Japão, EUA
Gênero: Comédia dramática
Ano de produção: 2017
Estréia: 28 de junho de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 35min
Classificação: 16 anos
Direção: Atsuko Hirayanagi
Roteiro: Atsuko Hirayanagi, Boris Frumin, Atsuko Hirayanagi
Produção: Will Ferrell, Hiroyuki Akune, Meileen Choo, Jessie Creel, Jessica Elbaum, Anderson M. Hinsch, Atsuko Hirayanagi, Seiya Horio, Razmig Hovaghimian, Yukie Kito, Adam McKay, Katsuhiro Tsuchiya, Han West
Trilha sonora: Erik Friedlander
Direção de fotografia: Paula Huidobro
Edição: Kate Hickey
Produção de design: Norifumi Ataka, Jason Hougaard
Decoração de set: Jenna Craig, Yoshito Endo
Figurino: Masae Miyamoto
Estúdios: Matchgirl Pictures, Gloria Sanchez Productions, Meridian Content, Nippon Hôsô Kyôkai (NHK)
Distribuição: Imovision

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

A Amante, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 21 de julho de 2018 0 Comentários

O cinema da Tunísia é uma das boas novidade no circuito dos Festivais. Em “A Amante”, o estreante diretor e roteirista Mohamed Ben Attia é uma deliciosa surpresa, um drama romântico sobre desilusões e a imprevisibilidade que se sobrepõe a todos nossos planos.


Badalado em festivais de cinema pelo mundo em 2016, o filme chega ao Brasil com dois anos de atraso e com a pompa de ter vencido os prêmios de melhor ator e melhor filme no prestigiado Festival de Berlim.
Na trama, o introvertido Hedi (Majd Mastoura) parece ter sua vida sob controle. De casamento marcado e com um bom emprego em uma fábrica de automóveis arranjado pelo pai da noiva. À frente de todos os planos está a matriarca da família do protagonista, Baya (Sabah Bouzouita), sempre tomando as rédeas das situações em nome de “um bem maior”.


Tudo muda em uma viagem de trabalho, ele percebe que não é desta forma que ele pretende passar o resto de sua vida. Ele conhece uma jovem que vive de forma descomprometida e livre, que o leva a questionar tudo que o cerca e a redescobrir seus próprios sonhos e desejos.


Ganhador do Urso de Ouro do Festival de Berlim na categoria “Melhor Filme de Estreia” e do Urso de Prata de Melhor Ator (Majd Mastoura), “A Amante” é o filme da semana no Moviecom Arte, com exibição nos dias 21 e 22 de julho às 11 horas e no dia 24 de julho às 14 horas.

Ficha Tecnica
Título: A Amante
Título Original: Inhebek Hedi
Nacionalidades: Tunísia, Bélgica, França
Gêneros: Drama, Romance
Ano de produção: 2016
Estréia: 31 de maio de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 33 minutos
Classificação: 14 anos
Direção: Mohamed Ben Attia
Roteiro: Mohamed Ben Attia
Elenco: Majd Mastoura, Ryam Ben Messaoud, Sabah Bouzouita
Trilha sonora: Omar Aloulou
Direção de fotografia: Frédéric Noirhomme
Edição: Azza Chaabouni, Ghalia Lacroix, Hafedh Laridhi
Design de produção: Mohamed Denguezli
Figurino: Nedra Gribaa
Distribuição: Pandora Filmes

 

CinemaMoviecomarte

Chega de Fiu Fiu, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 16 de julho de 2018 0 Comentários

As cidades foram feitas para as mulheres? A pergunta é motor fundamental do longa-metragem “Chega de Fiu Fiu”, com direção de Amanda Kamanchek Lemos e Fernanda Frazão.
Produzido em parceria com a Brodagem Filmes, o documentário será lançado em maio nasceu da campanha homônima criada em 2014 pela organização Think Olga, trazendo ao centro do debate questões como o assédio e o direito das mulheres ao espaço público.


O filme alcançou recorde de arrecadação na plataforma de financiamento coletivo Catarse, atingindo a meta em menos de 24 horas.
“Chega de Fiu Fiu” explicita como a participação das mulheres no espaço urbano é marcada por insegurança.
Segundo Amanda Kamanchek: “Entraves como a falta de iluminação, lugares ermos, a dificuldade de mobilidade, longas distâncias na locomoção de casa ao trabalho, ausência de creches e péssimo atendimento em serviços de saúde e segurança seguem como catracas visíveis e invisíveis do acesso das mulheres às cidades. Tais entraves revelam o quanto as cidades foram construídas sem a perspectiva de gênero e agravam ainda mais as violências sofridas pelas mulheres, como o assédio”.


O filme é um retrato dessa violência de gênero em um contexto ainda pouquíssimo explorado: o espaço público, lançando a pergunta: “Qual é o lugar das mulheres nas cidades?”.
A narrativa é composta de três momentos: A utilização de óculos com uma microcâmera escondida, usado por mulheres em seu dia a dia; a vida de três personagens de diferentes cidades (Brasília, São Paulo e Salvador) e o diálogo com especialistas sobre assédio, identidades, sexualidade, participação e mobilização social e masculinidades.


De acordo com pesquisa da ActionAid de 2016, 86% das brasileiras já sofreram violência sexual ou assédio em espaços públicos. Delas, 77% ouviram assobios, 57% ouviram comentários de cunho sexual, 39% xingamentos, 50% foram seguidas, 44% tiveram seus corpos tocados, 37% tiveram homens que se exibiram para elas e 8% foram estupradas.

“Chega de Fiu Fiu” será exibido nos dias 21 e 22 de julho, às 11 horas, paralelamente ao fime da semana no Moviecom Arte.

Siga a página Chega de Fiu Fiu no Facebook: @chegadefiufiu

CinemaMoviecomarte

A Câmera de Claire, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 13 de julho de 2018 0 Comentários

Um dos diretores mais produtivos da atualidade, Hong Sang-soo já foi comparado a Jean-Luc Godard e é conhecido por seus roteiros criados a partir de sutilezas do dia-a-dia e em pessoas reais.
“A Câmera de Claire” se baseia em desacertos conjugais, um tema bastante recorrente na obra do diretor, e traz a diva Isabelle Huppert como Claire, uma professora, poeta e fotógrafa circulando pelas ruas de Cannes durante o famoso Festival de Cinema e travando amizade com alguns turistas sul coreanos.


Claire tira fotos de seus novos amigos mas não fica com elas. Entrega os registros aos próprios fotografados para que eles possam avaliar suas próprias transformações no decorrer da trama. “Porque a única forma de mudar as coisas é olhar para tudo novamente de forma bem devagar”, diz Claire.


Esses encontros funcionam como um fio condutor que revelará os demais personagens de um intrincado quebra-cabeças do qual fazem parte e que ao final mostrará as mudanças em cada um deles.

“A Câmera de Claire” será exibido no Moviecom Arte, do Moviecom Cinemas do Maxi shopping Jundiaí nos dias 14 e 15 de julho às 11 hs, e no dia 17 de julho às 14 hs.

Ficha Técnica
Título original: KEUL-LE-EO-UI KA-ME-LA
Título no Brasil: A Câmera de Claire
Gênero: Comédia Dramática
Duração: 68 min
Estreia no Brasil: 24 de Maio de 2018
País: França e Coréia do Sul
Idioma: Francês
Diretor: Hong Sang soo
Roteiro: Hong Sang soo
Elenco: Isabelle Huppert, Min hee Kim, Mi hee Chang, Jin young Jung, Yoon Heesun, Wanmin Lee, Taewoo Kang, Shahira Fahmy e Mark Peranson
Distribuição: Pandora Filmes

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Férias no Cinema!

Postado porTemperos de Cinema 3 de julho de 2018 0 Comentários

Julho é mês de férias e cinéfilo que é cinéfilo de verdade aproveita as férias para ver mais filmes. O Moviecom Arte vem com uma programação repleta de ótimos filmes para uma programação que não deixará suas férias passar em branco.

Amores de Chumbo, de Tuca Siqueira
Dias 07, 08 e 10
O cinema brasileiro, fora do eixo São Paulo-Rio, traz sempre grandes e agradáveis surpresas. É o caso de “Amores de Chumbo”, produção pernambucana que estreou no último Festival de Cinema do Rio de Janeiro e integrou a 41ª Mostra de Cinema de São Paulo.
Dirigido por Tuca Siqueira este filme parte das questões afetivas e amorosas de três amigos, o roteiro tem no período de repressão no Brasil um importante elemento narrativo. Os traumas e as vivências da ditadura são parte indissociável da vida dos protagonistas, todos com passado de resistência e militância política, durante o período de chumbo da ditadura militar.
Quarenta anos separam Maria Eugênia, escritora pernambucana radicada na França, do casal Miguel e Lúcia, que acabam de comemorar quatro décadas de união. O retorno de Maria Eugênia revela segredos do passado, dando margem a dúvidas e desconfianças há muito tempo guardadas.
Partindo do ponto de vista desses três personagens, se revive o momento político e social da época de chumbo da ditadura militar no Brasil — uma história que mudou o rumo de muitas vidas.

A Câmera de Claire, de Hong Sang-soo
Dias 14, 15 e 17 de julho
Um dos diretores mais produtivos da atualidade, Hong Sang-soo já foi comparado a Jean-Luc Godard e é conhecido por seus roteiros criados a partir de sutilezas do dia-a-dia e em pessoas reais.
“A Câmera de Claire” se baseia em desacertos conjugais, um tema bastante recorrente na obra do diretor, e traz a diva Isabelle Huppert como Claire, uma professora, poeta e fotógrafa circulando pelas ruas de Cannes durante o famoso Festival de Cinema e travando amizade com alguns turistas sul coreanos.
Claire tira fotos de seus novos amigos mas não fica com elas. Entrega os registros aos próprios fotografados para que eles possam avaliar suas próprias transformações no decorrer da trama.
Esses encontros funcionam como fio condutor da trama que revelará os demais personagens de um intrincado quebra-cabeças do qual fazem parte e, ao final dela, sairão transformados.

A Amante, de Mohamed Ben Attia
Dias 21, 22 e 24 de julho
O cinema da Tunísia é uma das boas novidade no circuito dos Festivais. Em “A Amante”, o estreante diretor e roteirista Mohamed Ben Attia é uma deliciosa surpresa, um drama romântico sobre desilusões e a imprevisibilidade que se sobrepõe a todos nossos planos.
Badalado em festivais de cinema pelo mundo em 2016, o filme chega ao Brasil com dois anos de atraso e com a pompa de ter vencido os prêmios de melhor ator e melhor filme no prestigiado Festival de Berlim.
Na trama, o introvertido Hedi (Majd Mastoura) parece ter sua vida sob controle. De casamento marcado e com um bom emprego em uma fábrica de automóveis arranjado pelo pai da noiva. À frente de todos os planos está a matriarca da família do protagonista, Baya (Sabah Bouzouita), sempre tomando as rédeas das situações em nome de “um bem maior”.
Tudo muda em uma viagem de trabalho, ele percebe que não é desta forma que ele pretende passar o resto de sua vida. Ele conhece uma jovem que vive de forma descomprometida e livre, que o leva a questionar tudo que o cerca e a redescobrir seus próprios sonhos e desejos.

Oh! Lucy, de Atsuko Hirayanagi
Dias 28, 29 e 31 de julho
A japonesa Atsuko Hiranayagi evoca aqueles personagens especiais em sua banalidade, vivendo situações tão absurdas que são absolutamente reais.
“Oh! Lucy” conta a história de uma mulher que mora sozinha em Tóquio e tem uma vida monótona. Sua sobrinha a convence a se matricular em um curso de inglês pouco convencional onde passa usar uma peruca loira e a representar uma norte-americana chamada Lucy.
A nova identidade surge como seu alter-ego e ela descobre sentimentos dos quais havia esquecido. Ela se apaixona por seu professor de inglês e, após o repentino sumiço dele, embarca para os Estados Unidos à sua procura, vivenciando uma série de aventuras e se desvencilhando de sua vida ordinária.

____________________________________

O Moviecom Arte é um projeto da publicitária e produtora Fátima Augusto em parceria com o Moviecom Jundiaí, que há 1o anos traz para a cidade filmes de arte e que não entram no circuito comercial.

Com um horário alternativo dentro da programação do cinema, o Moviecom Arte acontece todos os sábados e domingos às 11 horas e tem ingressos a R$ 10,50 e R$ 5,25.

Moviecom Jundiaí fica no Maxi Shopping – Av. Antônio Frederico Ozanan, 6000 – Vila Rio Branco, Jundiaí – SP

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Esplendor, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 28 de junho de 2018 0 Comentários

É possível descrever uma imagem para alguém que não pode vê-la mas é muito difícil colocar em palavras a experiência emocional que uma imagem pode oferecer. “Esplendor”, da cineasta japonesa Naomi Kawase, aborda essa questão do ponto de vista filosófico e também sentimental.


Os dois personagens centrais da trama refletem essa dupla abordagem. Uma jovem dubladora que trabalha com adaptações de filmes para deficientes visuais e um fotógrafo que está perdendo a visão em consequência de uma doença degenerativa.
O encontro dos dois resulta em uma cumplicidade emocionante, levando-os a descobrir novas formas de olhar suas próprias vidas e nos fazendo refletir sobre a delicadeza dos sentidos e as muitas interpretações da palavra “ver”.
A direção de Naomi Kawase, que também assina o roteiro, é de uma sensibilidade ímpar. O hiperclose, imagens desfocadas e cenas do pôr do sol são alguns recursos visuais que reforçam as questões abordadas.


Indicado para a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, onde recebeu o Prémio Ecuménico, e exibido na 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, “Esplendor” encerra a programação do mês do Moviecom Arte e será exibido nos dias 30 de junho e 01 de julho às 11 horas, e no dia 03 de julho às 14 horas.

Ficha Tecnica

Título: Esplendor
Título Original: Hikari
Nacionalidades: Japão e França
Gêneros: Drama, Romance
Ano de produção: 2017
Estréia: 10 de maio de 2018 (Brasil)
Duração: 1h 41 minutos
Classificação: 10 anos
Direção: Naomi Kawase
Elenco: Masatoshi Nagase, Ayame Misaki, Tatsuya Fuji
Roteiro: Naomi Kawase
Produção: Naoya Kinoshita, Masa Sawada, Yumiko Takebe
Música: Raphael Hamburger
Trilha sonora: Ibrahim Maalouf
Edição: Tina Baz
Estúdios: Comme des Cinémas, Kino Films, Kumie, MK2 Productions
Distribuição: Imovision

CinemaMoviecomarteMoviecomarte

Os Fantasmas de Ismael, no Moviecom Arte

Postado porTemperos de Cinema 21 de junho de 2018 0 Comentários

Escrito e dirigido pelo francês Arnaud Desplechin, “Os Fantasmas de Ismael” é um drama denso sobre um diretor de cinema assombrado por fantasmas do passado e em crise com sua vida no presente.


A trama gira em torno de Ismael, um cineasta em crise criativa tentando concluir um filme sobre seu suposto irmão, um diplomata envolvido em espionagem. Ao mesmo tempo, Ismael precisa lidar com um inesperado triângulo amoroso que envolve sua atual mulher Silvia e sua primeira esposa, desaparecida e dada como orta a mais de 20 anos e que ressurge querendo reocupar seu lugar na vida dele.


Estrelado por Marion Cotillard, Charlotte Gainsbourg, Mathieu Amalric e Louis Garrel, “Os Fantasmas de Ismael” não tem uma narrativa tradicional, como é característico das obras de Desplechin. Passado e presente se misturam quase de forma aleatória, sofrendo ainda intervenções de cenas do filme que acontece dentro do filme.


A narrativa fragmentada de Desplechin, combina diferentes gêneros cinematográficos e é recheado de referências a seus outros filmes. Contudo a linguagem é clara e dividida em 4 episódios distintos: o trauma, o desaparecimento e o reaparecimento e o novo relacionamento.


“Os Fantasmas de Ismael” fala também sobre o processo de criação de um artista e a falta de inspiração que, assim como um fantasma, assombra o diretor.
O destaque vai para a atuação irretocável de Charlotte Gainsbourg e Mathieu Amalric que conseguem dar uma impressionante profundidade a seus personagens.


Este é filme da semana no Moviecom Arte e você poderá conferir o novo trabalho deste diretor que é considerado “o Woody Allen francês” nos dias 23 e 24 às 11 horas e no dia 26 às 14 horas.

Ficha Técnica
Título: Os Fantasmas de Ismael
Título Original: Les Fantomes d’Ismaël
Direção: Arnaud Desplechin
Roteiro: Arnaud Desplechin, Julie Peyr, Lea Mysius
Produção: Pascal Caucheteux
Fotografia: Irina Lubtchansky
Edição: Laurence Briaud
Música: Grégoire Hetzel
Figurino: Nathalie Raoul
Gênero: Drama
País: França
Ano: 2017
Duração: 117 Minutos
Elenco: Marion Cotillard, Mathieu Amalric, Charlotte Gainsbourg, Louis Garrel
Distribuição: Imovision